Home Editorial Afinal o Covid-19 é como o iogurte. Ao 10º dia expira a...

Afinal o Covid-19 é como o iogurte. Ao 10º dia expira a validade!

1246
8

O que vou partilhar não é na base do diz que disse é com conhecimento de causa.

A afirmação é minha e assumo-a, existe uma elevadíssima probabilidade de existirem professores, funcionários e alunos a regressar às escolas ainda infetados com covid-19.

Porquê?

É do conhecimento público que a DGS deu indicações para que ao fim de 10 dias, se as vítimas de covid estiverem sem sintomas, estas devem regressar à vida ativa, neste caso para as escolas.

Conheço 3 casos que revelam bem o estado das coisas e que passo a partilhar:

1º Caso

Professora regressa à escola após 10 dias, sem ter realizado qualquer teste que comprove que se encontra livre do covid.

2º Caso

Professora regressa à escola só após ter obtido negativo no teste covid.

3º Caso

Professora recusa regressar à escola após os 10 dias de confinamento, desrespeitando a ordem do delegado de saúde. Via médica de família, consegue obter uma baixa por doença. Após vários testes e ao fim de 30 dias, a professora continua positiva ao covid-19, permanecendo em casa e assim salvaguardando a sociedade.

Vamos supor que no 1º caso a professora tem covid tal como no 3º caso. Nunca ninguém saberá, nem nunca ninguém saberá se os novos contágios no meio escolar e não só, são provenientes dessa pessoa. Indo ao encontro do que diz o Infarmed, quando afirmou que 81% dos casos são de origem desconhecida. Claro que são! Deixam as pessoas regressar à vida ativa sem saber se ainda são portadoras do vírus!

A sensação que fica, é uma profunda incapacidade de lidar com tantos casos devido à escassez de meios humanos, associado ao elevado custo financeiro destes testes. Como a carga viral é mais reduzida ao fim do 10º dia, manda-se tudo trabalhar na esperança que o vírus resolva ser amigo e fique dentro de “portas” do portador. Ora, este vírus já provou que não é amigo, nem pretende ser no futuro…

Estes são casos reais, situações factuais e que devem ser às centenas ou mesmo milhares. Toda a credibilidade do processo de controlo da pandemia deve ser posto em causa, até porque os resultados provam, que as medidas implementadas e estratégias de combate não estão a funcionar e precisam de ser melhoradas.

A Dra Graça Freitas diz que os técnicos é que sabem, deduzo que esteja a referir-se entre outros, aos delegados de saúde e ela própria, pois bem, esta foi a senhora que referiu em tempos, que a máscara dava uma falsa sensação de segurança, entre outros tesourinhos que vão ficar para a história… Sobre a sua capacidade técnica e os exemplos que dei acima, eu, enquanto leigo mas cidadão com olhos, ouvidos e cabeça para pensar, tenho a legitimidade de questionar a capacidade técnica destes alegados técnicos. Tenho a legitimidade e até obrigação de exigir que se atue, despeça-se quem deu provas de ser incompetente e alterem-se políticas que estão a custar milhares de vidas!

Para terminar, apenas uma comparação com as devidas ressalvas pois são situações bastante diferentes, se eu desse aulas com a capacidade técnica que estes “técnicos” têm demonstrado, já tinha os pais à porta da escola a pedir a minha cabeça e com toda a razão!

Está na hora de agir!

Alexandre Henriques

 

 

 

8 COMMENTS

  1. Não é na base do diz que disse, mas é na base de desconhecimento científico.

    Basta uma rápida pesquisa para ver que não é só por cá.

    https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/if-you-are-sick/end-home-isolation.html

    em alguns países o período de isolamento até é menor
    https://thl.fi/en/web/thlfi-en/-/coronavirus-quarantine-period-cut-to-10-days-as-of-12-october

    Temos todos que ser um pouco mais rigorosos nas análises.
    Não há necessidade de lançar pánico sobre os colegas (ou qualquer outro trabalhador) que regressam ao trabalho depois de um período de isolamento.

    • Lançar o pânico? O que eu afirmo é verdade! Não há garantias que quem regressa não contamine os restantes, há probabilidades reduzidas. Eu prefiro nulas, prefiro que se teste e depois regressem. Qual é o mal desta visão?

      • Sim, lançar o pânico.

        É ou não a prática em vários países desenvolvidos?
        É ou não com base no que a evidência científica indica?

        Vamos manter em isolamento pessoas que a comunidade científica diz que, mesmo que positivas para o vírus, não podem transmitir o vírus a outros?

        Ou nos EUA, Filândia e tantos outros países também estão errados?

        • A Finlândia é um bom exemplo, mas argumentar com um dos países onde existem mais casos de covid e mais mortos… Não me parece que faça muito sentido.

          Além disso, vários são os casos onde as pessoas sem sintomas permanecem em isolamento, ultrapassando os 10 dias, veja-se por exemplo o caso dos jogadores de futebol, será que o corpo deles é diferente?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here