Início Editorial A Violência Contra Professores É Tão Banal Que Pais, ME E Até...

A Violência Contra Professores É Tão Banal Que Pais, ME E Até Sindicatos Já Ignoram

4728
13

Ninguém reagiu! Fiz uma ronda pelos principais sindicatos, associações de pais e Ministério da Educação e ninguém reagiu. Incrível como depois de uma primeira página, onde consta uma das mais violentas agressões a professores dos últimos tempos, ninguém se pronunciou, ninguém disse nada, desvalorizando completamente a barbárie que aconteceu na escola Francisco Torrinha no Porto.

Nem mesmo a idade do professor (63) que tem idade para ser avô do aluno (12), ou o motivo que levou à agressão – o aluno ter sido repreendido por estar a jogar à bola dentro da sala -, ou mesmo a violência da agressão – pontapé nos testículos – seguida de nova agressão – murro na testa já depois de ter saído da aula – levou a uma reação, uma linha que fosse dos “nobres” da nossa praça.

Está claro que as principais associações de pais estão-se lixando se os professores dão aulas com olhos negros, a sua preocupação tem sido a escola a tempo inteiro, talvez para que alguns papás (atenção que também sou pai) não tenham de tomar conta de selvagens (sim, selvagens) durante o dia.

O Ministério da Educação, remete-se para a sua flexibilização (SE João Costa), recuperação de parte do tempo de serviço docente congelado (SE Alexandra Leitão) e um Ministro que sempre que abre a boca é um desastre completo, revelador de uma incompetência e falta de sensibilidade gritante. Já nem falo do Primeiro- Ministro ou do Presidente da República que ao saber que os “seus” melhores professores do mundo foram agredidos fica calado que nem um rato.

E depois temos os sindicatos, tão defensores dos professores, mas completamente cegos por algumas causas que os fazem ignorar muito do que se passa nas escolas, nomeadamente a indisciplina.

É vergonhoso ficar calado e não escrever uma única linha, proferir uma única frase, lamentando o sucedido e exigindo medidas de responsabilização de alunos e encarregados de educação.

Nada, o que assistimos foi uma mão cheia de nada, como se nada tivesse acontecido, como se o assunto fosse irrelevante. E não me venham falar em facebooks e twitters pois não é aí que se deve tomar uma posição, é nos sites oficiais e com comunicados para a comunicação social.

O professor agredido não foi agredido sozinho, foi toda uma classe que foi agredida, direi mesmo, uma sociedade agredida. Um professor é muito mais do que um transmissor de saberes, é um farol social, é um pilar de valores para o futuro do país.

Quando se “aceita” que um professor seja agredido, aceita-se que todos os valores que o professor representa sejam igualmente agredidos.

Que sociedade é esta meu Deus? Que sociedade é esta???

Alexandre Henriques

COMPARTILHE

13 COMENTÁRIOS

  1. Costumo dizer que “está tudo invertido”… Se a agressão fosse ao contrário decerto haveria já inúmeras reações públicas.
    A “escola a tempo inteiro” so veio trazer mais violência às escolas e contribuir para a desresponsabilização e incompetência parental.
    Um agradecimento por mais um texto de “alerta”.

    • Concordo!!! Aí se fosse ao contrário, um simples recado na caderneta a relatar o mau comportamento, está semana valeu-me uma ameaça.

  2. essa ignorância com certeza terminará quando um(a) professor(a) exercer o seu direito constitucional de legitima defesa…

  3. Este caso reflete um dos maiores problemas da Educação em Portugal: total ausência de articulação efetiva entre escolas, serviços de saúde e de segurança social. Até parece que cada um desses serviços vive num país diferente. Se tivermos em conta que, por exemplo, casos psiquiátricos graves são, muitas vezes, identificados na Escola e que uma efetiva resposta exigiria uma perfeita articulação entre todos esses serviços (mais a família, claro), podemos ter uma ideia da dimensão do problema. Mas, a verdade é que, raramente, vemos estes temas serem debatidos entre professores, apesar de serem uma das suas principais vítimas.

  4. Dos sindicatos nada se pode esperar. São apenas uma corja composta por traidores da classe, os seus membros pretendem apenas fugir a serem professores no terreno e usam o sindicato como forma de ascensão a posições políticas e/ou de governação. Do governo/ministério/presidente também nada de bom se pode esperar. São outra corja que ascendeu a essas posições apenas com o intuito de servirem-se da sociedade e não de a servirem. Resta a um professor a auto defesa. Se um aluno os agride devem, em autodefesa, agredi-lo também a ele. Claro que isso vai dar um chinfrim, mas em legítima defesa e em prol da sua dignidade pessoal é a única alternativa que resta a um professor.

  5. Minha escola, meu aluno. Não, não é verdade que o aluno seja de uma etnia xpto, filho de emigrantes ou de refugiados. Não é verdade que os professores não tenham reagido, ou que a Associação de Pais não se tenha solidarizado. Não é verdade que a Escola não tenha feito tudo o que podia antes de termos chegado aqui. Não é verdade que a CPCJ ou os psicólogos que o acompanham não tivessem estado atentos. Não é verdade que isto tenha acontecido numa turma indisciplinada e que tenha assistido indiferente à agressão de um dos seus professores mais queridos. Então como? E como não? Quando se decreta que até aos 16 anos todos os alunos são iguais e portanto, independentemente do seu nível de deficit de atenção, de hiperactividade ou de desenvolvimento cognitivo, todos têm os mesmos 50m de aulas, os mesmos 10m de intervalo e o mesmo objectivo de distinguir entre uma metáfora de uma anáfora. Estes. E os anti-sociais? O mesmo. Ficam nas mesmas turmas até aos 16 anos. A partir daí, podem ser presos, julgados e condenados. Já não é problema do ME. E o nosso problema, enquanto professores, como se resolve? Como se justifica que um professor, neste caso um pedagogo de excelência com 40 anos de carreira, mesmo antes de dar um estalo ao paspalho que o agride pense que se o fizer a sua carreira estará acabada? Como se justifica que nenhum de nós duvide que se esse tivesse sido o caso, a manchete seria ”Professor de 63 anos agride aluno de 12 dentro da sua sala de aula. Ministério da Educação já ordenou a abertura de inquérito.”? Há escravidão maior?

    • Só os professores se manisfestam sobre o assunto e o comentam, mais nenhum cidadão quer saber ou falar do assunto, nem por mal, nem por bem… Consegue-se ainda alguma instrução, educação, porém, não …

  6. A verdade é que ninguém quer saber de nós. Tantos anos a denegrir todo um grupo profissional, de todas as formas, deu este resultado. Todos sabem de educação, todos fariam melhor do nós e por muito menos do que os “salários pornograficamente altos” (juro que já li isto escrito por aí) que recebemos – afirmações inconsequentes feitas por quem sabe que nunca terá de o fazer. Os professores são muitos quando se trata de lhes pagar, mas não tantos que o peso do seu voto faça pender a balança eleitoral. É apesar do corporativismo de que os acusam, são pouco unidos.
    A estratégia dos últimos governos tem sido levar um máximo de professores (sobretudo os da casa dos 50) a um estado de desespero tal que eles saiam do sistema com uma miséria, ou até sem nada, para salvarem a sanidade mental que lhes resta. O ideal será até que faleçam. E não, não estou a ser irónica.

  7. Manuel Ribeiro Pereira
    3 h ·
    ” Professores e as Suas queixas “…!
    ” Lamentações ” de uma Senhora Professora que não conheço e que apenas identifico pelas ” Queixas ” de quase toda a ” Classe Docente ” … !
    ” A minha opinião, discutível … Naturalmente “… !
    Façam o favor Senhores Professores … é chato e gratuito … !
    .
    > Há realmente muitos bons Professores com mil e uma razões para o Seu desagrado … !
    E Muitas dessas razões, criadas por inúmeras pessoas dentro da ” Família Docente “…!
    Há … tem havido … um ” vergonhoso aproveitamento político ” assente na ” Bóia Milagrosa ” que são os Professores … sem dúvida … !
    Mas há fundamentalmente um ” Cancro ” enorme no Seio da própria Classe Docente que nunca encontrará ” Salvador ” à altura … !
    Só um cheirinho:
    1.º – Quem são os ” Sindicalistas … Onde nasceram … como cresceram … e como se continuam a alimentar …?
    2.º – Nunca, desde o 25 de Abril, a ” Classe dos Professores, deixou de chamar todos os nomes possíveis e imaginários aos Ministros da Educação, impondo-lhes a ” Demissão “… !
    3.º – Isto, numa situação que se tem mantido até hoje … !
    Apesar de em menor quantidade, o lugar de Professor continua a ser disputado por inúmeras pessoas … !
    Infelizmente, alguns dos candidatos, sem qualquer qualidade e ou vocação para Leccionar …
    Atraídos apenas por o Ensino ter sido ontem … e em alguns casos ainda hoje … o Albergue ” de quem queria e quer ter emprego … !
    Emprego com convidativos horários de trabalho, e um vencimento a prometer o pão todos os dias na mesa … !
    Isto, mesmo que o resto do País mendigasse e mendigue … uma côdea das sobras das ” Abastadas Mesas dos Progressistas ” que ainda hoje se alimentam com a discórdia existente na Classe Docente …
    A ” Bóia Milagrosa dos Professores ” ao serviço da ” Comunidade Política ” … … !
    Cuidado Senhores Professores ” Sérios ” … !
    . X
    Manuel Ribeiro Pereira > Senhora Professora, nem de propósito, encontrei uma publicação ” Minha ” de há 6 Anos atrás, que me parece responder à situação que ainda ” Hoje ” Vos atormenta … !
    E pior, parece-me também que Vão continuar sem o ” Salvador ” de que tanto necessitam …!
    Mudem de ” Fato ” que o utilizado desde sempre, há muito mostra apenas as ” Vossas Partes Baixas do Sucesso ” …!
    E acredite que se alguém deseja ver o Vosso problema resolvido, ” Eu Sou Um Deles “… !
    Leia o que então publiquei há já 6 Anos atrás … que pelo menos fica a conhecer um pouco do que as pessoas de fora também sentem … !
    Saudações …
    X
    • · 2 h
    Manuel Ribeiro Pereira
    16 de junho de 2013
    GREVE DOS PROFESSORES – 17/06/2013
    Senhor Mário Nogueira e outros Sindicalistas envolvidos, fiquei ansioso com o que Vos ouvi dizer durante e após a Manifestação. E a possibilidade, remota, de poder fazer-se a Greve anunciada para amanhã, 2.ª-Feira, 17-/06/2013, deixou-me preocupado!
    Os seus efeitos e a repercussão dos mesmos, iriam abalar o País. Os próprios alicerces Sindicais, iriam abanar de tal forma, que num curto espaço de tempo, os Professores, os Vossos protegidos, iriam ficar órfãos da Vossa protecção. Num ápice!
    O Sr. Mário Nogueira e outros Sindicalistas, iriam, pela 1.ª vez, conhecer a verdadeira face do Desemprego.
    Nenhum de Vós iria resistir à chama da revolta dos Professores, Vossos Associados, pelo fracasso dos resultados obtidos! Eu explico!
    O Governo, para além do Seu melhor ou pior desempenho, não tem, de momento, espaço de manobra!
    Limitado nas cedências possíveis às Vossas reivindicações, também Ele, com medo, escusa-se a alterar abruptamente, o que tem vindo a anunciar …
    Este braço-de-ferro que Vós estais a fazer com o Governo, vai, por certo, provocar uma antecipação das decisões que afectarão seriamente os trabalhadores.
    Estais a retirar do pouco espaço e da vontade de que o Governo já dispõe, a possibilidade de uma atenção especial da Sua parte e uma proposta menos cruel que as que até agora Vos tem oferecido …
    Ora, é aqui, que Vós, Sindicatos e Sindicalistas, ides ficar descalços de argumentos e de protecção.
    Quando, depois de uma Greve, que em nada beneficiou os Professores, lhes for apontada a porta da Rua ou outra alternativa qualquer, e de que desta vez não poderão recusar, eu não queria estar na Vossa situação!
    Como é Sr. Mário Nogueira e Senhores Sindicalistas envolvidos no processo?
    Estão preparados para pagar a Vossa leviandade e a arrogância, que apontam ao Governo?
    Consideram benéfico para os Professores e para o País, fazerem Birras de meninos inexperientes, só pela questão de quererem fazer cair o Governo, e nunca para protegerem os Professores como querem fazer crer?
    E sabem que essa Vossa atitude – GREVE DE SINDICATOS – paga com o dinheiro e o sacrifício dos Professores, dá mais crédito ao Governo e dá-lhe um fôlego indestrutível?
    Se eu os aconselhasse a pedirem a reforma antecipada, estaria a delirar?
    É que , Sr. Mário Nogueira e restantes Sindicalistas com a mesma tarefa … Os Senhores parecem-me muito cansados de momento, e estão a destruir a Vida de quem deviam e têm a Obrigação de cuidar!
    Hoje é Domingo, tomem um bom Duche e mostrem a Vossa Sanidade Mental!
    Peçam desculpas aos Senhores Professores, peçam-lhes também que estejam amanhã, Segunda-Feira, dia 17 de Junho de 2013, nos Seus postos de trabalho para cumprirem as Suas tarefas, convictos do dever cumprido e Credores duma Dívida de Gratidão de todos NÓS!!!
    Passem bem e preparem os próximos passos a dar, em terrenos sem CASCAS DE BANANA!
    Melhores resultados em próximas negociações!
    .
    Aqui Vos Ofereço Uma História aos Quadradinhos mas sem Bonecos, que hoje Completa 6 ( SEIS ) Anos … !
    .
    Continuem a brincar às casinhas …
    Divirtam-se … ! … …… …

    comregras.com
    A Violência Contra Professores É Tão Banal Que Pais, ME E Até Sindicatos Já Ignoram
    Gosto
    Comentar
    Partilhar
    Comentários

    Escreve um comentário…

    De

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here