Início Editorial A Carreira Docente Letiva Devia Acabar Aos 60 Anos

A Carreira Docente Letiva Devia Acabar Aos 60 Anos

4457
5

No artigo anterior ficámos a saber que a dupla penalização termina para quem solicitar a reforma antecipada. Estes funcionários públicos precisam de ter pelo menos 60 anos e 40 anos de serviço.  Aquilo que aparenta ser uma  boa medida, rapidamente foi vista como um presente envenenado, tal a penalização aplicada, cerca de 40% do vencimento.

Evidentemente que o Governo não pretende criar condições para uma saída em massa por parte dos professores, sabendo este que o grosso dos professores estão com uma idade próxima dos 60 ou até acima dos 60 anos.

Da parte dos professores, dificilmente aceitarão um corte tão significativo, pois além dos 40%, os 9 anos, 4 meses e 2 dias ficariam definitivamente perdidos, mesmo que esses professores estejam já no topo ou quase no topo da carreira. Esse tempo é seu e isso ainda vale alguma coisa…

A realidade é o que é, o cansaço é mais que evidente e lidar com centenas de alunos aos 60, não deve ser igual quando se tem 30,40, ou 50 anos de idade (veja-se a quantidade de atestados médicos) . Não pretendo melindrar nem ofender ninguém, muito menos chamar velhos aos professores dessa geração, o respeito é muito bonito e esses professores merecem muito respeito por aquilo que deram e passaram ao longo da sua carreira.  A minha dedução baseia-se no que leio e ouço por parte desses mesmos colegas.

Continuo a achar que este capital de experiência pode ser muito útil às escolas e já que a reforma aos 60 é uma utopia, ao menos que estes professores possam ajudar outros professores ou desempenhar cargos com menos pressão e exposição.

Cada caso é um caso e cada professor deveria ter o poder de decidir se pretende terminar ou continuar com a sua prática letiva a partir dos 60 anos. Nos Açores, o candidato do CDS colocou esta ideia em cima da mesa, é uma pena que pelo Continente nenhum partido faça o mesmo e não queira imitar os nossos vizinhos espanhóis.

Não basta dizer, como consta no programa do PS, que estão preocupados com o envelhecimento docente, que vão estudar o caso, blá, blá, blá…  É preciso apresentar medidas concretas, pois só assim podemos acreditar na boa vontade de quem pretende governar por mais 4 anos.

Faça-se luz em algumas cabeças…

Alexandre Henriques

COMPARTILHE

5 COMENTÁRIOS

  1. Isso é que era de bom senso; trata-se de uma profissão de especial desgaste … mas a preocupação com a Educação não passa por ai …. Trata-se de uma questão de dignidade da profissão docente, não é aceitável que um professor esteja praticamente até aos 67 anos de idade nessa função de tamanha exigência

  2. estive a fazer as contas:
    aos 66 de idade só tenho 31 de descontos da CGA
    e só tenho 40 de descontos aos 75 anos de idade.
    Mas é que nem preciso muito de pensar…. o que fazer.

  3. Estou totalmente de acordo com o Alexandre Henriques. Tenho quase 64 anos e com 39 de serviço. Já fiz de tudo… Só que a idade não perdoa assim como os problemas de saúde . Podíamos e devíamos deixar estas tarefas nesta idade ! Pelo menos!

  4. Como??? 60 anos de idade e 40 de serviço???
    Será que algum professor começou a LECCIONAR aos 20 anos ininterruptamente, colocado logo no primeiro ano em que acabou o curso!!!
    Que idade entrou no curso??? terá sido aos 15 anos que já estava na Universidade?
    Exigindo 40 anos de Serviço, até poderiam deixar os professores reformar-se aos 50 anos !!! NENHUM CONSEGUIRIA!!
    Deveriam contar os anos que os professores andaram a estudar como tempo de serviço caso contrário, ficam prejudicados (discriminados) face os demais cidadãos, que não foram estudar e começaram a ganhar enquanto os estudantes aprenas gastavam dinheiro aos pais! E não invoquem os descontos pois, em poucos anos de descontos, os professores pagaram um valor muito mais elevado do que pagaram os demais cidadãos, durante o tempo em que os professores estiveram na formação académica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here