Home Vários Mais de 50% dos professores não vão chegar ao topo da carreira

Mais de 50% dos professores não vão chegar ao topo da carreira

6150
6

Fica mal falar em dinheiro quando se fala de professores. Fica mal mencionar que os professores trabalham para ganhar dinheiro, como se o assunto fosse tabu ou queimasse na língua. Os professores são trabalhadores e só trabalham porque precisam de ganhar dinheiro, ponto! Essa coisa do amor à camisola, é como o sal e pimenta, é q.b. e mesmo assim os doseadores estão a ficar entupidos…

Não culpo os colegas que hoje estão reformados e atingiram o topo da carreira, só lamento que a nossa geração não usufrua dos direitos que tantos outros usufruíram, mais a sorte de lidar com uma geração de alunos claramente mais “amestrada”.

Mário Nogueira, falou e bem sobre o sentimento que reina na classe docente e que é dito em surdina na sala de professores.

“Não mais voltar a recuperar o tempo de serviço que foi cumprido e para o qual os professores fizeram os seus descontos é inaceitável”

Mas o pior é constatar que o principio de equidade nos funcionários públicos não existe, já referi as progressões das forças armadas e polícias, já referi que os diplomatas além de serem extremamente bem pagos, tiveram um aumento significativo em tempo de vacas magras, etc, etc.

Mário Nogueira, põe o dedo na ferida…

“noutras carreiras da administração pública o tempo que tem estado congelado vai ser contado, através da conversão dos anos em pontos, que serão considerados para a mudança de escalão”, não fazer o mesmo com os professores é inaceitável. “No que toca aos professores, o que o governo diz é que o que lá vai, lá vai! Isto não pode ser”.

Infelizmente existe a perceção que os professores são ricos. Não vou ser demagogo e dizer que são pobres, mas quantos milhares não contam os tostões para chegar ao fim do mês? É preciso lembrar que muitos milhares estão no início de carreira, têm ordenados na ordem dos 1000 euros e são obrigados a alugar duas casas, além de terem cometido o pecado, vejam lá, de ter filhos. Onde é que estavam com a cabeça senhores e senhoras???

Somos vítimas da dimensão da classe, somos culpados por nos deixarmos vergar e de comermos tudo o que nos põem no prato. Não temos a força dos juízes ou a força dos médicos, falta-nos um órgão superior, chamem-lhe Ordem de Professores ou outra coisa qualquer. Somos um monstro adormecido que raramente acorda, mas quando o faz tudo treme e que o diga Maria de Lurdes Rodrigues…

Agora vamos ver os anos de congelamento passarem por nós como se nada fosse, mas o tempo não volta para trás, e esta geração foi claramente ROUBADA, ENGANADA, E USADA por estes senhores que dizem que pensam em nós. Quando me lembro de tanto banco que levou tantos milhões, constato o que qualquer um constata, afinal o dinheiro existe, mas só existe para alguns!!!

Fica toda a declaração do secretário nacional da FENPROF

Declaração pública do Secretário-Geral da FENPROF sobre a proposta do OE2018 para o descongelamento da progressão na carreira docente

Numa declaração pública sobre a proposta conhecida ontem, 12 de outubro, e discutida também ontem com o governo, Mário Nogueira, deixou claro que, se “noutras carreiras da administração pública o tempo que tem estado congelado vai ser contado, através da conversão dos anos em pontos, que serão considerados para a mudança de escalão”, não fazer o mesmo com os professores é inaceitável. “No que toca aos professores, o que o governo diz é que o que lá vai, lá vai! Isto não pode ser”.

Continuando, o secretário-geral refere que “o governo estabeleceu na sua proposta que pagará, em 2018, 1/3 do escalão seguinte àquele em que se encontram, neste momento, e não 1/3 do escalão onde deveriam ser reposicionados, e que todo o tempo acima deste reposicionamento é simplesmente apagado”. Deu como exemplo o caso de um professor que, com 16 anos de serviço, está no 1.º escalão e não no 5.º a que teria direito. Neste caso, caso venha a ser aplicado que está previsto na proposta do governo, “o professor não será reposicionado no 5.º, 4.º ou no 3.º escalão, mas sim no 2.º escalão, recebendo apenas 1/3 da diferença salarial da mudança. Se compararmos a perda mensal, por estar quatro escalões abaixo, perdendo mensalmente 600 euros, o que o governo diz que vai pagar-lhe é cerca de 60 euros, ou seja, 90% do que deveria ser o seu acréscimo salarial não será pago e o tempo de serviço nunca será recuperado”, clarificou.

Perante esta situação, a FENPROF solicitou, por ofício, ontem, ao Ministro da Educação, uma reunião urgente, na próxima segunda-feira, para discutir estas matérias e outras com ela relacionadas, tendo em conta que, na reunião realizada do governo com a Frente Comum, foi informada de que competiria ao ME negociar com os sindicatos esta matéria.

“Muito mais de 50% dos professores, atualmente no sistema, com esta proposta do governo, mesmo que trabalhem até aos 70 anos, nunca chegarão ao topo da carreira. Os professores merecem ser respeitados no seu direito a uma carreira digna, a uma carreira valorizada e, no fundo, a poder chegar ao topo da sua carreira. Que o governo e o ME ouçam bem isto: toda a instabilidade que existir nas escolas, se o governo mantiver a sua posição, será da inteira responsabilidade do governo” – disse a terminar.

 

O Secretariado Nacional

Ver em: https://youtu.be/ZxTXjclM_3w

6 COMMENTS

  1. Nada é mais injusto do que diferenciar os profissionais da educação – professores…formadores…pessoal não docente. Porque não fazem o termo de comparação de ordenado vs regalias? ??fica o desafio

  2. Sim está com sorte, eu sou licenciada , educadora de infância ,sim e sabe o que me calhou na rifa? Sou assistente operacional a ganhar o ordenado mínimo, sim é também tenho que aturar está geração de crianças. É porque infelizmente tenho uma família que preciso sustentar.

    • O seu caso é peculiar, é um caso em que tem qualificações a mais para a profissão que exerce. Os assistentes operacionais deviam ter um vencimento superior, mas também deviam ter formação específica para lidar com as crianças, o que infelizmente não acontece.

  3. tem que haver uma lei de protecção dos trabalhadores que não permita isto….os senhores advogados não podem ajudar ? mas que palhaçada……

  4. qual é o ser humano que não precisa de trabalhar para ganhar dinheiro? (excetuando a minoria que já nasceu milionária…).
    demagogias…
    uma geração está a pagar a criminalidade financeira e económica praticada por uma minoria governante…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here