Início Escola 128 de 248 Alunos Foram Classificados Com 20 Valores No Externato Ribadouro...

128 de 248 Alunos Foram Classificados Com 20 Valores No Externato Ribadouro (Porto) Na Disciplina de Ed. Física

16601
115

(Exclusivo ComRegras)

Sou professor de Educação Física, por isso tenho algum conhecimento na matéria. Em 17 anos de ensino já atribuí alguns 20 valores, mas nunca no final de um período. Classificações de 18 são poucas e de 19 muito raras, conforme se pode constatar nas pautas por essas escolas fora.

Porém, existe sempre a exceção e como podem constatar nas imagens em baixo, o nível dos alunos e certamente dos professores do Externato Ribadouro, é de pura excelência. Sorte dos professores e alunos de ter aquilo que é seguramente o sonho de muitos dos seus colegas.

A disciplina de educação física, para quem não sabe, tem temáticas com variações muito grandes, como a ginástica, o futebol, o atletismo, etc… Pela experiência que tenho, não é nada fácil encontrar alunos muito bons a tudo, e como podem ver nas imagens, por acaso também são muito bons nas outras disciplinas. Caramba!!! Grandes alunos ali temos, sim senhor!!! Até recomendo umas medalhas e uns brindes

Julgo que os clubes e as seleções nacionais deviam solicitar à direção a presença dos seus olheiros, pois muito talento estará presente naquele ginásio…

Mas se os clubes e seleções nacionais não estiverem para aí virados, a Inspeção Geral de Educação sempre pode fazer uma visita, ou mesmo o Ministro da Educação. Assim, poderão constatar in loco, as estratégias que estão a ser implementadas e que tanto sucesso têm trazido ao longo destes anos…

Certamente que as restantes escolas gostarão de conhecer a receita para tanto sucesso e o Externado Ribadouro, como escola de excelência, partilhará com todo o gosto o seu bom exemplo…

Alexandre Henriques

P.S – as fotos foram enviadas para o email do ComRegras por fonte credível, mas a contagem foi feita por mim e tendo como base as fotografias. Segundo o email recebido, existem cerca de 30 turmas no Externato no 10 º ano. Os valores apresentados correspondem a 9 turmas. Quem enviou o email, diz que nas restantes turmas o panorama é semelhante, mas não foram fornecidos dados para confirmá-lo.Quadro com a contagem efetuada:


Ao Cuidado Dos “Ribadouros” E Critérios De Avaliação Das Escolas

(2ª parte)


O estranho caso das turmas onde quase todos têm 19 valores e mais a Educação Física

(Expresso)

Muitas notas de 19 e 20 levam inspeção a externato de topo do Porto

(Diário de Notícias)

Inspecção investiga colégio onde todos têm mais de 18 a Educação Física

(Público)

COMPARTILHE

115 COMENTÁRIOS

  1. Visto os alunos não poderem estudar Ed. Física e ser apenAs a genética a mandar acho muito bem que tenham 20 para não estragar a média de alunos esforçados e estudiosos, coisa rara e que tem de ser estimada.

      • Caro professor Henriques e não Dr. Henrique como lhe chamam erradamente as funcionárias da sua escola. A escola pública voltou ao tempo do antigo regime onde 20 era para Deus, 19 para o professor, 18 para os filhos dos professores, 17 para a aristocracia e 16 para baixo para os filhos do povo. Nunca a sua disciplina devia contar para a média de acesso aos cursos superiores sem a componente física. Tenho uma filha com problemas genéticos que a impedem de fazer as aulas de educação física. Faz trabalhos escritos e apresenta aulas para toda a turma. No entanto na aula de auto e hetero avaliação a professora previne ” tu nunca poderás tirar 20, pois não fazes a aula” . Para não falar dos professores de educação física que favorecem os seus queridos alunos inscritos nos seus Clubes e o seu deporto escolar. Ou os professores que não acrescentam aos critérios de avaliação o saber estar que vale 20 ou 30% da nota final. Ou as piadas que se ouvem dentro dos conselhos de turma sobre os gordos e das meninas com o período. Caro professor Henriques devia ver o questão ao contrário. Porque há poucos 20 na escola pública?

        • Sobre a quantidade de 20 na escola pública, a escola pública não seleciona alunos e a perfeição é rara… Quando ao dr. Henrique e às funcionárias da minha escola não percebi qual é o interesse e o ponto além de ser totalmente falso. O problema da nota de educação física ao ser vista a título individual desvirtua sempre o pensamento. Não pense no seu caso, pense no geral.

    • Essa da genética é bem vista e uma verdade la palice. Haverá capacidade que não seja determinada pela genética? A ignorância anda de braço dado com o oportunismo.

      • Senhor professor Pretor

        Vou dar uma ajuda para perceber o que é o Externato Ribadouro.

        Começo por dizer que na cidade do Porto e arredores toda a gente conhece o “ribadouro” porque, de há uns anos a esta parte, quem quer tirar notas para entrar na Universidade vai para o “ribadouro”. Logo a procura é muito grande, porque é lá que se tiram 18, 19 e 20 valores.

        Mas comecemos com o contributo para perceber o que é o “ribadouro”.

        Nos anos oitenta do século passado (1980) o “ribadouro” era um pequenissimo colegio com alvará (tinha pouco mais de 2 turmas). Era insignificante.
        Por essa altura dois casais – o casal Portugal e o casal Pinheiro – adquiriram o “ribadouro”. A Conceição Pinheiro assumiu a direção pedagógica e implementou uma politica de “Servir Bem a Clientela”, isto é, passar os alunos todos e dar boas notas.
        O Negócio desenvolveu-se e o comércio de “classificações altas” e “diplomas” floresceu. Nessa altura ainda existia o chamado “paralelismo pedagógico”, ou seja, os certificados eram emitidos pela Escola Secundária António Nobre.
        Depois veio a Autonomia Pedagógica e isto foi uma maravilha para o Grande Negócio de classificações e diplomas.
        Diga-se que o Estado ainda ajudou (sem querer) ao florescimento do Grande Negócio atribuindo verbas através do Ministério da Educação ao abrigo dos “Contratos de Associação”.
        O Externato foi crescendo e pelos anos 2000 os casais proprietários – Manuel Pinheiro e Conceição Pinheiro e Edison Portugal e Isabel Portugal desentenderam-se e depois de uma grande batalha e insultos mutuos, o casal Portugal foi posto de lá para fora com uma elevada importãncia (muitos $$$$$$$$$$$$$$$).

        Atualmente, o Externato para além das instalações na Rua Santa Catarina já comprou nas imediações o edificio dos antigos laboratórios da BIAL.

        Além disto como o negócio (de milhões) é apetecivel o casal Pinheiro comprou uma quota do Externato Camões e do Colégio da Trofa.

        Atualmente, a procura é muita porque classificações elevadas estão garantidas no “Ribadouro”. A escala em todas as disciplinas, no final do ano, é 17, 18, 19 e 20 Valores.

        Logo a questão não está apenas na EDUCAÇÃO FISICA, mas sim no comercio de classificações e de diplomas de 12º ano praticado no Externato Ribadouro.

        Atualmente é diretora pedagógica a Carla Noronha ( e mais meia dúzia de seguidores) que é uma espécie de capataz da Conceição Pinheiro.

        Os professores que lá trabalham (COITADINHOS) se querem ter trabalho e ordenado tem que seguir as regras da PATROA.
        ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    • O mesmo se devia passar com as outras áreas. O aluno estuda, aplica esforço mas não consegue, porque é melhor em outras. Vamos dar 20 na mesma para não estragar as médias das disciplinas práticas onde ele é fora de série. Isto eu gostava de ver ou há áreas mais importantes que outras?!?

  2. Este é o problema de muitos professores de EF que acham que os alunos de educação física têm que ser atletas de alta competição para terem nota de excelência …

    • Claro… Os professores desta escola é que são bons! Nem sei porque se dão ao trabalho de diferenciar os 19 dos 20… Este é apenas mais um caso de não sabe avaliar quer os alunos quer o que é exigido pelo programa. Avaliar o que pagam, parece ser o melhor método para não ficarem sem empregos e ter pais e alunos felizes. Uma autêntica estupidez e um atentado à honestidade intelectual para com os outros alunos que não têm paizinhos que possam pagar para os meninos e meninas poderem ter boas notas! Isto só vem falsear a capacidade e qualidade dos alunos e desvirtuar o sistema de ensino na busca para entrar na sua faculdade e curso de eleição. Culpa também do nosso ministério da educação que não tem métodos de inspeção credíveis para verificar estas situações. Reformas precisam-se neste país para que a igualdade seja de facto uma verdade!

      • Talvez seja esse mesmo o problema . Leia o programa e talvez entenda que não tem que ser nível avançado a tudo para ter 20… mas esse é o problema… continuam a avaliar como há 30 anos atrás … completamente obsoletos … talvez se verificar o perfil de aluno para ter sucesso no final do 12 ano , talvez entenda que não é a exigência de super atleta que se pretende para dar 20…

        • Então eu posso ser mediano e tirar 20? E quem é abaixo da media tira o quê? E quem está acima da média tira o quê? 25???

          • No “ribadouro” até um entravado tira 20 valores.

            O “ribadouro” é um estabelecimento comercial onde se comercializam “diplomas de 12º ano” e “classificações elevadas” para entrar na Universidade.

            Esta gente é muito ingénua.

  3. Não sei o que é que o Comité Olímpico de Portugal anda a fazer ao apoiar atletas que nunca vão ganhar medalhas em olimpíadas, quando a elite do desporto nacional está toda concentrada num colégio do Porto!

  4. Pois…
    O problema também pode colocar-se ao contrário. Há alunos tão bons, tão bons que a única nota de 15 para cima que conseguem tirar é a Educação Física. E porque precisa de média para entrar na num curso, o professor dá-lhe 20 para ajudar.
    A Educação Física é uma grande treta nas escolas;
    Combate a obesidade? Não, ninguém vai perder peso lá.
    Ensina espírito de equipa? Não me parece, há sempre aqueles que são ignorados porque não tiveram oportunidade de ir para escolas de futebol, ou andaram a fazer outras coisas (por exemplo, culturais) ou por mais que se esforcem não têm jeito. “ah e tal…não aprendem porque não querem”. É mentira, não conseguem e pronto.
    Os perfis físicos, para os professores de Educação Física, são o bastante para os acharem uma nota inferior a 15. Os meninos mais gordinhos que nem sonhem em engenharias de médias altas (apesar de serem empenhados nos 19 e 20 a todas as disciplinas) pois não é para eles; sabem lá chutar uma bola, ora essa! Levam 12 a Educação Física. Tem de ser…o empenho não basta, o ministério manda avaliar se chutam bem, ou apanham bem a bola.
    “Se o citado estudo conclui que cerca de dois terços dos alunos foram prejudicados no acesso, isso quer dizer que esses alunos teriam passado à frente de outros apenas pela nota de Educação física e não pelo conjunto de outras classificações académicas. Isso quererá dizer que ultrapassariam outros que estariam melhor colocados pelas suas outras classificações académicas”, afirmou Nuno Crato
    Uma parvoíce esta lei.
    Educação Física na escola resume-se a umas aulas do desporto da moda e pouco mais.
    Educação Física devia avaliar-se por APTO ou NÃO APTO. Como se mede numa escala de critério de avaliação um chute de bola?! Compara-se com o Eder ou com o Ronaldo? E nos outros desportos? Como saber se um aluno é bem avaliado? É suscetível de muitas questões.
    Esta lei actual só serve para aqueles (e são muitos), precisem do 20 para acrescentar a médias baixas. Os alunos de médias altas (e são poucos) têm que vomitar as tripas para que o professor repare neles.

    • Mais, e estão eles aqui a falar em atletas olímpicos mas quem são eles para avaliar atletas?! Quanto mais olímpicos! Quem são eles para avaliar um chuto numa bola? Ou um ginasta? Ou uma prova de atletismo? Mais de metade deles nem uma coisa nem outra sabe fazer, ou se o fazem encaixam na media da qualidade de qualquer cidadão. Afinal se são assim tão bons a criar atletas eles sim deveriam recorrer ao Comité Olímpico para trabalhar e ajudar o país a ganhar medalhas, caro sr. Pedro Pinheiro.

      “Educação Física devia avaliar-se por APTO ou NÃO APTO”, ora nem mais!!

      • Concordo plenamente! Tenho um filho no 10º ano. No 9º ano teve 5 a Ed. Física, este ano tem outro professor e foi “rigorosamente” avaliado com 14, sendo certo que tem notas de 17 até 20 às disciplinas de Português, Matemática, Físico Química, Biologia, Filosofia e Espanhol. Não consigo fazer outro juízo que não seja, o de que se faz o que se quer, se se gosta do aluno dá-se 20, se não se gosta, dá-se 14. O meu filho é um aluno que se esforça para tirar boas notas, mas tem uma compleição física que não lhe permite fazer mais do que aquilo que faz. No 9º ano foi premiado o esforço, este ano que conta para a média, o Senhor Professor não valoriza nada apenas o rebaixa. Concordo com uma avaliação qualitativa (Muito Bom, Bom, Suficiente ou Insuficiente), mas não quantitativa e a contar para a média.

  5. Tudo o que não seja estudar não devia contar para média.
    Um puto que teve o azar de nascer mau a Ed. Física não tem hipótese em algumas engenharias e áreas da saúde.
    A Ed. Física não se estuda.

    • Mas quando a Educação Física contava para a média, alguém deixou de entrar para a faculdade nas áreas citadas???

      • Peço desculpa mas, pelo seu comentário, e possível concluir que não tem qualquer tipo de conhecimento sobre o funcionamento deste externato. Tais notas são possíveis não devido ao dinheiro que os EE pagam, mas sim a bons critérios de avaliação que dão valor ao esforço e empenho dos alunos e à sua evolução ao longo do ano e períodos letivos, e não só na sua capacidade de rematar a uma baliza ou fazer um rolamento à retaguarda. E, na minha opinião, isto deveria ser aplicado em todo o país pois ninguém é obrigado a ser um génio em todas as áreas curriculares, e acho que se o aluno se esforça deve ter esse empenho refletido em boas notas. Afinal de contas também devemos pensar: quem terá direito a maior mérito? Aquele aluno que não estuda/se empenha e por acaso tem a sorte de acertar algumas perguntas no teste acabando por tirar por exemplo um 16 o que lhe dará na pior das hipóteses um 15/14 no final do período; ou um aluno que tem dificuldades mas se empenha, estuda, está atento em aula, dá sempre o seu melhor, etc. e acaba por tirar um 12 no teste acabando no final do período com um 13. Felizmente neste colégio, e falo por experiência própria, todos os alunos são aplicados, empenhado e respeitadores (e sim muitos vêm também de realidades difíceis pois o dinheiro não reflete tudo). E de meu conhecimento todos os alunos desta instituição gostam verdadeiramente de desporto o que é meio caminho andado para se esforçarem e alcançarem bons resultados, e serem o melhor que podem dentro das suas capacidades. Afinal de contas nem todos somos o próximo Michael Phelps.

        • Bons critérios de avaliação??? Quer que seja eu a dizer a percentagem desses bons critérios de avaliação? Critérios de avaliação que levam quase todos os alunos a nota máxima???

          • A ignorância é tramada!
            Como professor eu posso exigir o que quiser…
            Se for professor de Matemática ou Português posso dar testes mais fáceis ou mais difíceis…na educação física posso exigir triplo mortal encorpado para ou ter padrões mais baixos de exigência.
            Quem é que manda no que os professores exigem? Os próprios professores e a própria escola… por isso não há problema nenhum…

        • Eu também fui muito esforçado e não passava do 11… E se tiver um aluno esforçado e muito bom nas restantes áreas, atribui que classificação? 25?

          • Sabe o que é um documento público??? E, sabe que existe uma lei que regulamente o acesso a documentos públicos…
            E, reparou no cuidado que houve em não expor nomes de alunos???

            E, viva a transparência, ainda que muitos se esforcem continuamente, a começar no governo e no parlamento (mas… como se constata, infelizmente, a passar por muitos cidadãos- regra geral por qualquer conveniência específica) para acabar com ela… e, depois, jorram os “choradinhos” da corrupção e do tráfico de influências se necessário pelos mesmíssimos que criticaram a exposição pública e documentos públicos …

  6. Sou professor de Educação Física. Independentemente da justiça ou injustiça das classificações ou de tudo o que a elas estiver associado, gostaria de ensinar o autor (que estranho seja professor de Educação Física, ou então é incompetente porque, logo à partida, não conhece os objetivos e conteúdos da mesma), que a disciplina de Educação Física não é só ginástica, atletismo, e outras modalidades desportivas.
    Temos aquilo que merecemos. para este tipo de pessoas, se calhar era melhor a nota voltar a não contar e a disciplina ser de 4ª categoria. Era da maneira que ainda faziam menos do que fazem. Bom fim de semana

    • Não sei se reparou no etc… Ou acha que foi lá posto por acaso. Mas se quer abordar o assunto, eu sou defensor de uma valorização da prática, a disciplina é eminentemente prática e se quer fazer passar a ideia de que não é, então o “anónimo” é que não sabe o que está a dizer. Quer que lhe mostre o programa???

    • Um avençado anónimo disfarçado de professor de EF. É um déjà vu do tempo da Marilu. Estás a dar pérolas a porcos, Alexandre.

      • estive numa pública até ao 10 ano e fui verdadeiramente injustiçada. Entrei no externato Ribadouro e posso dizer que não há melhor que aquilo! E não, não me refiro à questão das notas, refiro me ao bom ambiente de estudo e professores extremamente bons naquilo que fazem e super atenciosos! Agora falemos de notas… eu já tinha boas notas no público e como é óbvio continuo a tê-las no privado, posso dizer que a minha média de um ano para o outro se foi alterada foi numa ínfima décima, e posso dizer que tenho 18 a educação física, REPITO, 18 a educação física, a nota que tive na escola pública. Bem, agora falemos em coisas ilegais, essas fotos tiradas a notas de sabe-se lá quem e de que escola, do 10 ano…
        Tenham menos dor de coto, menos língua e mais cabeça, porque a final de contas e como vocês tanto querem saber: sim, somos os melhores… Têm inveja? Inscrevam os seus filhos lá e vamos ver se não vão ter de estudar 3x mais…
        Assinado: não te interessa o nome, existe uma lei chamada PROTEÇÃO DE DADOS!

          • Quando não se tem razão, a melhor solução é sempre partir para a ofensa. Muito bem, um grande exemplo de professor… E já agora, pode referir o meu nome as vezes que quiser, não pense que me ofende, antes pelo contrário.

          • Não foi uma ofensa,foi uma constatação. Eu sou ignorante sobre tanta coisa… Mas se se sentiu ofendida, as minhas desculpas.

        • É a “melhor” a escrever “a final” ou será “afinal”? A forma como escreve não é de quem seja “melhor”! Ninguém é melhor em nada, somos todos iguais nascemos e morremos todos da mesma maneira. Aceitem as críticas e façam algo de valor corrigindo essa vossa fraude.

  7. Caro Alexandre,
    O seu maior equívoco talvez se prenda com o facto de, no Externato Ribadouro, ser proibido fotografar pautas. Quanto mais publicar estas fotografias.

  8. Isto é um atentado aos alunos que se esforçam nas aulas de Educação Física, aos professores de Educação Física que se dedicam à disciplina e à escola pública em geral, onde as notas ainda são dadas com rigor. Se a IGE perante um caso tão flagrante não tiver resultados, algo vai muito mal no nosso país. Por outro lado, isto só demonstra que já não há receio das consequências, porque quem tem a ousadia de fazer tal coisa em nove turmas (pelo menos) à vista de todos, tem ousadia, com toda a certeza, para muito mais.

  9. Infelizmente conheço bastantes cenários semelhantes a este ou ainda piores, por exemplo, na Escola Secundária de Barcelos, nas disciplinas do 12º ano de opção, Direito e Sociologia, quase todos os alunos das turmas tiram 20 valores (normalmente 26 em 30 alunos).

      • O senhor ou é um professor com baixo QI ou é maldoso…
        Sabe que qualquer escola e qualquer professor exige aquilo que entender. Posso ter patamar mais baixo ou mais alto de exigência das notas. Posso dar testes mais fáceis ou mais difíceis ou revelar mesmo os testes como fez a outra professor da escola pública que revelou o exame…
        é o professor e a escola que decidem qual o grau de dificuldade para atribuir a classificação. Por isso se dar uma cambalhota e chutar uma bola é suficiente para ter excelente nota… é o critério da escola…

        • Luís Fernandes, eu não discordo da autonomia e de uma certa liberdade para as escolas para adaptarem os seus critérios de avaliação. Agora, os critérios de avaliação não devem resultar a uma massificação de notas máximas. Acha normal todos os alunos tirarem 19 e 20? Peço desculpa, mas eu não acho.

          • Se o critério é pouco exigente é natural que as notas sejam altas… nunca será possível definir um patamar de exigência… a única forma é tudo igual para todos ou seja exames só…

  10. O que me indigna é não perceberem que este problema ocorre em TODAS as disciplinas que não são sujeitas a exame, de uma forma mais ou menos encapotada.
    Já viram as diferenças de notas de Biologia ou FQ entre o 11º e o 12º?
    Quantos alunos chumbam devido a Mat, Port, Fil, FQ, Bio, GeoDes, etc e quantos chumbam nas outras disciplinas?
    E estamos nós a deixar que o ministério da educação vá terminando os exames gradualmente… Coitada da nossa classe que não tem noção do que isso significa e do que significa para a manutenção da sanidade mental dos professores.

  11. Mas desde quando é que a nota de ED conta para o ensino Universitário????
    Mais respeito meus senhores, especialmente do Sr. professor de ED.

    • O que é ED? Essa não conheço… Agora E.F conheço e voltou a contar para a média de acesso ao Ensino Superior para quem entrou este ano para o 10º ano

    • Não se deviam tirar fotos?!?!?… Pautas com estes resultados deviam ser emolduradas… afinal é o crème de la crème em qualquer área!

      • Não se podem tirar fotografias.
        Existe algo chamado confidencialidade, privacidade.
        Quem tirou as fotos devia ser denunciado.

        • Em vez de se preocupar com a denúncia de quem tirou as fotos, preocupe-se com o conteúdo das mesmas. Se não fosse tão aberrante, não geraria tanta controvérsia e comentários. É lamentável que, por exemplo, numa das turmas, 21 alunos tenham sido avaliados com 20 valores. Podem falar de esforço, aliás, de muitíssimo esforço, por parte dos tais alunos com menos potencial genético… mas, felizmente, a genética também abonou outros com inteligência que percebem que algo não bate certo. E isto é uma questão de ética. Porque estamos a pôr em causa a equidade do acesso a uma melhor educação para todos no ensino superior, e não apenas para classes privilegiadas. Depois os dados da OCDE dizem que são necessárias 5 gerações para deixar de ser pobre em Portugal… claro, não me admira nada, depois de ver estas pautas… enfim, até se pode prever no no futuro serão necessárias mais gerações, porque os mais desfavorecidos ficarão concentrados nas escolas públicas. Talvez seja mesmo esse o objetivo de tudo isto, quem sabe… enfim. Vergonhoso.

  12. A inflação das classificações é realmente um absurdo, no entanto não se pode esquecer que foi o próprio Ministério da Educação que, ao delinear as Aprendizagens Essenciais aplicáveis aos anos com o novo modelo de avaliação em Educação Física, provocou um grau de exigência muito baixo e, consequentemente, fez as classificações disparar. A juntar a isto outras situações… é claro que só podia dar em “vintes”. A IGE devia começar por investigar o próprio Ministério e as direções, mas de forma imparcial. É o país que temos…

  13. Deve ser frustrante, um professor com 17 anos de serviço e poucos 18 ter dado ao longo da sua curta carreira. Alguma coisa não está certa, ou os alunos que passam por ele são todos menos competentes ou o professor não está a fazer-se entender. Ou então o profesdor tem perfil para ir treinar o Real Madrid talvez consegui-se bons resultados. Existe uma grande diferença do ensino público psra o privado; o respeito, a disciplina e o profissionalismo. No privado os professores não metem artigos 102, se calhar o ministro também devia começar a verificar as baixas dos docentes do ensimo publico.

    • Caro anónimo, curioso a quantidade de anónimos que estão aqui a surgir. Este professor em 17 anos de ensino teve muitos momentos sem turmas de ensino secundário. Felizmente que 5 dei vários. Ainda este período dei 5… E tb temos a questão do perfil dos alunos. Ao contrário do colégio Ribadouro, a escola pública não seleciona alunos, nem tem critérios de avaliação facilitistas.

  14. Cada disciplina tem o seu programa e os critérios de avaliação são determinados e aprovados pelos órgãos próprios das escolas.
    A discussão baseada na importância diferenciada das disciplinas parece-me absolutamente ridícula e vai servindo de mote, como alguém já referiu anteriormente, para uma continua desqualificação do ensino e da escola pública e não tardará acabarão com os exames…aplicando as flexibilidades, as inclusões, os direitos ao sucesso, os perfis e outros tantos que tais o Saber e o Conhecimento já estão a perder importância… será apenas uma questão de tempo para a escola pública (salvo alguns nichos) se transformar na escola dos pobres, para entreter os jovens na idade da escolaridade obrigatória… a exclusão virá depois!
    A questão aberrante aqui, é de facto, a elevada proficiência destes alunos na disciplina de E.F. (tal como o seria em qualquer outra disciplina) mas também noutras disciplinas (de forma menos notória) …quase metade dos alunos com nota máxima de 20???? Não entendo como gente que por aqui passa considere natural que quase METADE dos alunos tenham 20 (VINTE – Excelência) numa disciplina e se subentenda que nas restantes tal já não seria normal…
    Parece-me evidente o papel que a disciplina aqui em causa representa não só na manutenção de médias elevadas bem como no contributo para o aumento das médias… Daqui depreendo que poderá ser uma postura que vem de cima… e as pressões podem ser exercidas de forma mais ou menos camuflada (nunca de forma óbvia e fácil de provar) sendo possível que seja exercida ao nível dos próprios CT…
    Enquanto professor/a da disciplina X, Y ou W e mantendo ética e profissionalismo e crença no que fazemos e no nosso papel como professores tentamos avaliar, com a maior justiça possível, o saber específico dos alunos bem como o seu trabalho e empenho…não o fazer, é ser-se mau profissional! … mas… cada qual saberá de si e muitos há que estão perfeitamente subjugados ao “albarde-se o burro à vontade do dono” “desde que não me chateiem”…

  15. Alexandre Henriques, qual é o seu problema com o externato Ribadouro? Quis lá lecionar e não conseguiu? Quis por lá um filho e não o admitiram? Algo está de mal consigo mesmo. Não tem mais que fazer senão andar a publicar pautas violando a lei da proteção de dados? É também para investigar essa situação? Pois é! Realmente o meu educando frequenta esse estabelecimento de ensino e teve 20 a E. F. neste 2°período. E não teve só a E. F. Sabe uma coisa? É que realmente neste externato só são admitidos alunos capazes e com notas altas. Dantes também tinha 5 noutro estabelecimento de ensino com outros professores. Os alunos do Ribadouro têm carga horária suplementar e são motivados para fazerem cada vez mais e melhor. Sim, estudam a sério e vê-se. Agora diga-me, o senhor doutor que tanto sabe avaliar os seus alunos, se tiver um aluno ou aluna com algum impedimento de praticar desporto, como faz? Dá-lhe nota negativa? 0 talvez? Ou se tiver um aluno ou aluna que é um génio a todas as disciplinas mas tem o azar de não ter destreza física? Não entra em medicina ou numa engenharia de topo porque a sua disciplina é essencial para um dia ser médico ou engenheiro? Menos, senhor professor, não queira ser mais papista que o papa! Já agora, porque só lhe fizeram chegar as suas mãos 9 turmas? Ate há 21 turmas de 10° , assim gastava mais um pouco do seu tempinho a fazer contas! Será que gosta assim tanto de matemática e estatística? Preocupe-se com o que realmente interessa. E mais uma vez… Atenção à proteção de dados! É muito feio ser correto incorretamente.

    • Margarida
      Ótima resposta
      Quem critica não imagina o que estes alunos estudam a carga horária que têm e o que os professores se dedicam e se esforçam
      Deve ser tomada uma atitude devido à proteção de dados

      • .
        Cara Margarinha (ou Dra. Margarida Braga ou talvez Dra. Carla Noronha)

        Será que está a falar deste Externato??????

        O RIBADOURO – É UM CASO DE SUCESSO EMPRESARIAL

        O Externato Ribadouro aquando da suspeita de FRAUDE foi visitado por uma Inspectora da IGE/Porto de nome Madalena. O Resultado desta inspecção sobre suspeitas de fraude no Ensino Recorrente, isto é, sobre as centenas de alunos que, não reunindo as condições legais, transitaram do ensino secundário dito normal para este tipo de Curso (onde não tinham que se submeter à totalidade dos exames nacionais) DEU EM NADA. (i.e., o processo foi arquivado)
        Na altura dessa inspecção era o Eng. Manuel Pinheiro (um dos proprietários do externato)DIRECTOR REGIONAL ADJUNTO DE EDUCAÇÃO DO NORTE.

        Por sua vez, a esposa, Dra. Maria da Conceição Amaral Pinheiro (co-proprietária do Externato) tem excelentes relações com gente da IGE/Porto, vá-se lá saber porquê e como ….

        Portanto …. somando dois mais dois podemos dizer que o resultado é FRAUDE mais TRAFICO DE INFLUENCIAS e …. quem sabe, talvez, FUGA MASSIVA AO FISCO …..

        e por aqui me fico ….
        .

        • Caro Pintassilguinho!

          Pelos vistos conhece – me bem dada a familiaridade com que me trata. Mas, depois vem o contraenso, chama-me outros nomes além do meu! E confunde-me! Mas apraz-me saber que sabe mais da história do externato Ribadouro do que de mim! Vê-se que deve ter tido um encontro menos agradável com este estabelecimento de ensino e ressabiou. Mas volto a perguntar, porque o ribadouro? E não os outros que estão tb sempre no podium? É por ter dado um enorme salto e ser um verdadeiro caso de sucesso? O sol quando brilha fere a vista de muita gente. Boa noite e há sempre remédio. Óculos de sol. Lol.

      • Lol coitados…São os únicos no país que têm uma carga horária exagerada e que estudam que se fartam…minha senhora, abra a mente, deixe de olhar para o seu umbigo e aceite simplesmente que é incorreto que estas turmas sejam classificadas desta forma a EF…que as pautas não deviam ter sido fotografadas…não, é verdade…mas esta questão é bem mais grave do que uma foto…

    • .
      Cara Margaridinha

      Está a falar do Ribadouro?????

      EXTERNATO RIBADOURO

      O Externato Ribadouro (cujo nome comercial é Alexandrino Oliveira, Silva & CA, Lda., com o número fiscal 500308560) é actualmente propriedade do casal pinheiro, ou seja, de Manuel de Vasconcelos Pinheiro e Maria da Conceição Amaral Vasconcelos Pinheiro.
      O engenheiro Manuel Pinheiro era até há bem pouco tempo professor efectivo na Escola Secundária Infante D. Henrique sita no Porto, tendo estado destacado e a chefiar o Ensino Mediatizado (Telescola), ocupou o cargo de (nomeação política) DIRECTOR REGIONAL ADJUNTO DE EDUCAÇÃO DO NORTE durante o ultimo governo do PSD 2002-2005). Actualmente é Vereador sem pelouro da Câmara Municipal de Cinfães, dado ter perdido as eleições.
      A Dra. Maria da Conceição Amaral Vasconcelos Pinheiro foi professora de História na Escola E.B. 2,3 Dr. Augusto César Pires de Lima sita no Porto, onde pediu licença sem vencimento de longa duração para ocupar o cargo de Directora Pedagógica do referido Externato Ribadouro.
      Este casal deteve até meados de 2007 a propriedade do Externato Ribadouro em conjunto com o casal portugal (Edison A. Moreira Portugal e Maria Isabel S. Céu Moreira Portugal).
      Estes dois casais desentenderam-se e depois de uma espécie de batalha campal, em meados de 2007 o casal pinheiro fez uma oferta irrecusável ao outro casal pela sua quota de 50% (sensivelmente meio milhão de contos, isto é, cerca de 2,5 milhões de Euros) para se irem embora. DE ONDE VEIO O DINHEIRO ???? SERÁ QUE OS IMPOSTOS FORAM PAGOS ???? SERÁ QUE A INSPECÇÃO DE FINANÇAS (DGCI) anda por aí ??????
      O casal pinheiro entretanto (e dado este ser um “negócio da china”) comprou 50% do Externato Camões sito na Praça da Estação de Rio Tinto e 50 % do Externato da Trofa que era propriedade da Diocese do Porto.
      O Externato Ribadouro é o tal que mete muitos alunos em MEDICINA (até meteu a filha do seu proprietário) e que foi alvo de uma investigação precisamente na altura em que Manuel Pinheiro era Director Regional Adjunto de Educação do Norte.
      Mas não foi só a questão da entrada massiva de alunos em medicina devido ás notas, foi também o Ensino Básico Recorrente e o Ensino Secundário Recorrente que, tendo terminado em 2005 naquele estabelecimento (porque já não era rentável), foram alvo de investigação na altura em que o cavalheiro era DIRECTOR REGIONAL ADJUNTO DE EDUCAÇÃO DO NORTE e apenas por parte da IGE.
      Dá vontade de RIR e é caso para perguntar quem terá sido a INSPECTORA da IGE que verificou da existência de ilicitudes!!!!!! O que viu ?????? ou seria invisual !!!!!….(o processo foi arquivado)
      Este é apenas um EXEMPLO do ENSINO PRIVADO que temos. É apenas um EXEMPLO DE TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS. É um bom EXEMPLO DE EMPRESÁRIOS DE SUCESSO.
      .

        • .
          O Ricardo Salgado do BES também dizia que para a frente é que é o caminho.

          O Joe Berardo (o que deu o golpe à CGD e outros) também diz que para a frente é o caminho (do gamanço e das golpadas).

          A sua amiga Pinheira também diz que para a frente é que o caminho das golpadas.
          .

          • Até a filha da Conceição Pinheiro, a Ana Teresa Amaral Vasconcelos Pinheiro é gerente da Alexandrino Oliveira, Silva & CA, Lda. (EXTERNATO RIBADOURO).

            A Ana Teresa Amaral Vasconcelos Pinheiro, isto é a filha da Conceição Pinheiro também estudou no RIBADOURO e como é obvio, entrou em MEDICINA à custa de um cambalacho. Na altura os exames finais ficavam no Cofre do externato de um dia para o outro e foi facil alterar a prova.

            Esta menina acabou o curso de medicina em 2012 na especialidade de pediatria.

    • No 1º extracto que seleccionei do comentário desta EE, abaixo transcrito, está muito, mesmo muito, dito:
      – Adoraria que os “pedagogozinhos” do ME, os secretáriozinhos de estado e o ministro da educação lessem e entendessem isto:
      “… Sabe uma coisa? É que realmente neste externato SÓ SÃO ADMITIDOS ALUNOS CAPAZES E COM NOTAS ALTAS…; ” … ” Sim, ESTUDAM A SÉRIO e vê-se”.
      (Maiúsculas minhas)

      Cara EE, que em determinado momento questiona:
      – “Agora diga-me, o senhor doutor que tanto sabe avaliar os seus alunos, se tiver um aluno ou aluna com algum impedimento de praticar desporto, como faz? Dá-lhe nota negativa? 0 talvez?…” – Está regulamentado na LEI, à qual acrescerão eventuais especificações nos regulamentos internos (que não creio que possa ser, por exemplo e utilizando o exemplo oposto ao seu, dar-lhe 20 valores)!
      – “Ou se tiver um aluno ou aluna que é um génio a todas as disciplinas mas tem o azar de não ter destreza física? Não entra em medicina ou numa engenharia de topo porque a sua disciplina é essencial para um dia ser médico ou engenheiro?” – Sabe, isso já aconteceu em muitas escolas públicas e com bons alunos (e a questão de ser essencial ou não para entrar em medicina ou em engenharias não se colocava só com a disciplina de E.F.) e os papás bem se puderam queixar… A lei é para cumprir!

      Outra questão surpreendente é a preocupação com o saber-se desta situação sob a capa de uma suposta violação da confidencialidade… (que em lado algum vem violada)!
      E… este tipo de situação e preocupação remete-me para o miserável país que somos: transparência sim, desde que seja com outros… o que se torna visível no comité que surgiu em defesa, não especialmente da escola/ das suas práticas e ou metodologias – ao que parece quase todo ele ligado à escola em causa – mas em defesa do obscurantismo (que é o nome que lhe dou)… vai na volta são todos apologistas do direito dos cidadãos em saberem quem são os grandes devedores ao Estado, para onde vai o dinheiro público, quem são os políticos e afins que não cumprem os seus deveres de entrega de rendimentos, quem são os deputados que em simultâneo aprovam leis no parlamento durante a manhã e à tarde contribuem para elas nos escritórios privados, quem são os indivíduos que assinam contratos ruinosos para o Estado, quem são os intocáveis das contas offshores, …

  16. Sim, no ribadouro é proibido fotografar as pautas. Aquelas pautas estao destinadas a alunos do instituto, nao docentes exteriores que acham que podem apenas infiltrar se num sistema educativo diferente do que estao habituados. E caro senhor, nao sei onde vai buscar essa informacao, mas lhe garanto que nao existem 30 turnas de 10 ano neste externato. So queria esclarecer esses males entendidos. Continuacao de boa noite

  17. Ao que se chega !
    Fotografar pautas. Onde é que está a privacidade dos alunos ?
    Apesar de na publicação não aparecerem os nomes quem fotografou tem o original.
    E se os pais dos alunos resolverem tomar medidas?
    Quem fotografou as pautas devia ser denunciado.
    Não sei como conseguiram já que está sempre um segurança na entrada.
    Estou desiludida com a classe docente da qual também faço parte.
    Porquê o Ribadouro ?
    Porque é que não vâo fotografar as pautas dos colégios que estão nos primeiros lugares do ranking?

  18. Parabéns por não ter medo de mostrar o que está errado nas escolas elitistas, que beneficiam o dinheiro e não o ensino. Gostaria de ver esses mesmos ” meninos” a tirar essas notas numa escola pública onde o grau de esforço é bem superior e o exigido é nada mais nada menos que o aprender e saber aplicar, o saber fazer.
    Não admira que depois tenhamos profissionais de saúde a actuar como se fossem reis: se sempre tiveram tudo de ” mão beijada” e sempre lhes ” passaram a mão pela cabeça”, se os próprios pais os ensinaram a usar o dinheiro para passar por cima de quem estuda, como não ter profissionais que tratam os doentes como lixo? Como não haver negligência médica, a torto e a direito, sem consequências?
    Isto na medicina… Mas há também noutros sectores… Enfim. Já é mais que sabido que, no Porto, quem tem dinheiro e quem quer ser um “Sr. Dr.”, só tem que ir para o Ribadouro! Já há muitíssimos anos que é assim! Só não vê quem não quer.

    • …já agora seria interessante conhecer os resultados das avaliações das disciplinas opcionais, do 12° ano…
      Seria também interessante estender este conhecimento/estudo, se assim entenderem, a outras escolas privadas…
      Suspeito que seria surpreendente…para a igec…

    • Porquê a implicação com o Ribadouro ?
      Há outros colégios externatos por exemplo o Luso francês, o Júlio Dinis , o D. Duarte, etc
      Quanto ao grau de esforço tente que alunos de outras escolas façam o tipo de testes feitos pelos alunos do Ribadouro e que dediquem as imensas horas de estudo
      Nem todos que estudam no Ribadouro têm família milionária nem têm tudo de mão beijada

    • Acha mesmo? Porque? Não há bons alunos na pública? Realmente com professores a faltarem meses inteiros e a não terem aulas ou aulas de balda e quem aprender aprende, quem não aprende temos pena, será um pouco difícil haver uma razoável taxa de sucesso! É quanto aos profissionais quando consulta um costuma perguntar lhe qual o estabelecimento do ensino secundario que frequentou e fazer a triagem por isso? É se o seu médico de família tiver andado no Ribadouro, hein? Vai pedir para o substituírem porque quer um da publica? Menos!!!

      • Factos:
        Os estudantes de Medicina provenientes do Ensino Secundário privado reprovam mais do que os colegas que vieram das escolas públicas.
        https://www.jn.pt/nacional/interior/alunos-que-saem-do-privado-reprovam-mais-na-universidade-9383892.html
        “Assim, cai por terra o argumento muitas vezes usado de que as classificações mais altas, atribuídas maioritariamente por escolas privadas, se justificam porque correspondem a uma melhor preparação em áreas que não são abordadas nos exames nacionais, refere Cristina Santos. “Mesmo nas escolas que não inflacionam as notas, há diferenças na preparação dos alunos e as públicas preparam melhor do que as privadas”, nota a investigadora.”
        Podem atacar as escolas públicas, mas o verdadeiro esforço dos alunos destas escolas não se faz à custa de benesses encapotadas como grandes ações de reconhecimento do mérito escolar. Há excelentes alunos no ensino público e excelentes professores também, assim como o contrário, não tentem denegrir o trabalho que se faz nestas escolas. Ainda por cima recorrem ao argumento típico de um aluno mal comportado: só implica comigo? e os outros? (leia-se… e os outros colégios do Porto?? comentário Mc)… sem comentários.

      • Lol! Que azedume vai por aí! Cego é aquele que não quer ver.
        Este post neste blog veio levantar muito “pó”! Veio falar de um tema que toda a gente sabe, mas que ninguém fala! E depois aparecem estes comentários de alguém que se sabe bem quem é e porquê!

        Minha sra, quando as respostas que se dão são a disparar para todos os lados, sem qualquer lógica, algo de “pôdre vai neste reino”!
        Se está com a consciência limpa, deixe as pessoas trabalhar e “dispare” menos em todas as direções.

        Isto já é um problema “vintage”! Só que nunca ninguém “os tinha tido no sítio”, para pôr a “boca no trombone”. Abençoadas fotos e ousadia em fazer descobrir a verdade! Abençoado blog, abençoado professor.

        Vangloriam-se de ter a média mais alta de entrada de alunos em medicina… Isso aumenta as probabilidades de ” o meu médico de família” ser do Ribadouro, lol…
        Mas felizmente não é! Felizmente não é mesmo. Mas obrigada pelo alerta!

  19. Curioso seria comparar as notas desse externato e do(s) mesmo(s) professore(s) antes e depois da disciplina passar a contar para admissão ao ensino superior para terminar com esta treta da conversa dos critérios de avaliação que aparecem aqui nalgumas respostas

  20. Se, o que eu duvido quase a 100% (dado que esta podridão, nesta escola, existe há muitos anos, tendo passado por muitas “inspeções” da tutela), esta inspeção for eficiente, este antro – que eu conheço muito bem – fecha! Pois não é só em educação física que isto acontece!!!…
    É também importante ressaltar que, muitos dos pais estão totalmente conscientes de que é assim! E não só são coniventes, como protegem e pagam este sistema podre, injusto e corrupto!!!

  21. Jovem, se defendes a corrupção; se consideras normal 51,6 % de notas 20, num universo de 248 alunos, seja lá em que disciplina for; se não tens vergonha na cara e achas que o resto do país anda a comer gelados com a testa… Então comenta como “anónimo”. 🙂

  22. Eu só gostava que algum jornalista investiga se por este país fora os externatos que existem e como são dadas as notas aos alunos!!!
    Mas não o fazem, das duas uma ou porque não sabem, ou porque também lá andaram!!!
    Só as pessoas que têm dinheiro conseguem pagar para os seus filhos frequentarem esses mesmos externatos.
    Toda a gente sabe, que se calhar, 80% dos externatos são uma farsa… Queres uma boa média não vais para o público vais para o privado…
    Quantos políticos deste país frequentaram externatos e ou escolas privadas?

  23. O que é educação física? Sendo uma disciplina prática deveriamos avaliar apenas a parte motora? O jeito que uma pessoa tem. Algo que é determinado pelos genes? Muitos alunos não são bons a desporto ou não pertencem a nenhum clube (alguns por falta de tempo outros porque não têm capacidade). Para mim, e.f. deveria ser uma disciplina onde os professlres incentivassem os jovens a manter um estilo de vida saúdavel e não para fazer uma manchete perfeita ou marcar mais golos. Andei em 2 escolas diferentes. Uma delas era muito exigente a e.f. Desde sempre tirava notas altas (4 e 5) e a e.f. tirava apenas um 2 (de 0 a 5). e ficava frustrada. Não queria jogar porque tinha vergonha. Era excluída dos jogos porque toda a gente queria tirar uma boa nota. Eu tinha medo de ir às aulas e ficava sempre chateada comigo porque eu não tinha coordenação nenhuma. Depois mudei para o Ribadouro. Lá as aulas eram mais descontraídas, não passávamos 1 hora a fazer passes e jogávamos mais jogos. As pessoas eram mais relaxadas e passavam-me a bola. Ao longo dos dois anos evolui imenso em quase todas as modalidades porque sentia-me mais confiante. Não sou uma jogadora que vai jogar pela seleção nem ganhar nenhuma medalha mas o Incentivo que recebi ajudou-me bastante. Não estou a dizer que seja justo porque sei que há imensas pessoas como eu que não são boas a e.f. mas acho que o sistema tem de mudar. E.f. devia ser uma aula para relacionar-se com pessoas, apreender o trabalho em equipa e integração social. Tenho uma amiga que não entrou em Medicina por causa de e.f. (ela também andava num colégio) Embora com os testes teóricos (tirava 19) deram-lhe apenas um 14 por causa da componente física e não entrou. Não acho justo algúem que se esforce e não conseguir atingir os resultados por algo que está ligado ao jeito e aos genes.
    2° acho engraçado o facto de haver 21 turmas e só tirarem foto a 9 turmas. Tendo em conta que muitas vezes o Ribadouro organiza as turmas de acordo com o curso que o aluno pretende seguir. Por exemplo turmas de engenharia, outras de desporto e outras de Medicina

    • Eu tb me esforçava a matemática e física e Química e nunca passei do 12… Vamos querer um médico esforçado mas que não domina os procedimentos???

  24. Então colega?? Eliminaste o meu comentário??? Não tens coragem para aceitar a pluralidade de opiniões??
    Não te insultei! Apenas disse que também inflacionaste as notas. Disseste que já deste alguns 20. Eu disse (e reafirmo) que, respeitando o programa de EF, É IMPOSSÍVEL DAR ALGUM 20!!!

      • Não estou a fazer juízos de valor! Estou a comentar factos! Disse que já deu alguns 20. Cumprindo o programa é impossível dar 20! Mesmo tendo a nota máxima nos critérios de avaliação referentes às atitudes! Portanto também inflacionou notas! Falar de barriga cheia é facílimo! Dê aulas no privado e depois conversamos!! Ou pensa que é melhor que os outros? Não o queria como colega. Será que os seus colegas o querem? Nas escolas há alguns que se julgam melhores que os outros. Sabe uma coisa? Estamos todos no mesmo barco!!

        • E não faz juízos de valor???
          Ou pensa que é melhor que os outros? Não o queria como colega. Será que os seus colegas o querem?

          Imagine se o fizesse…

          Passar bem!

          • Ah! Ah!
            Vá dar aulas para o privado e depois falamos!!
            Você é melhor que todos! Até deu…alguns 20! Mas esses foram merecidos pelos alunos. Os 20 dos outros colegas foram…inflacionados! POIS!!!!

          • Mas por acaso sabe alguma coisa da minha vida, da minha carreira, das minhas avaliações, dos cargos que já ocupei, das notas que atribuí? Está armado em espertalhaço, fazendo insinuações a meu respeito, só porque disse que dei alguns vintes e na sua “sabedoria” diz que os 20 são impossíveis de dar em educação física!!!! Mas por acaso sabe o que está a dizer, o ridículo das suas palavras, querendo comparar uma situação de um professor que disse que já deu alguns 20 com uma escola que em cerca de 250 alunos, atribuiu 128 vintes e tem todo um passado de notas inflacionadas.
            Eu sei o que pretende, quer vir chatear, parasitar, pois bem, aqui não meu caro, basta!!!

        • -Diz o roto ao nu….
          -Mais depressa, vemos um “algueiro” no olho do outro do que uma trave no nosso…
          Não existe avaliação de atitudes nos programas e se atribui um valor às atitudes nos critérios de avaliação, não está a cumprir o programa, nem as linhas orientadoras do programa para a avaliação, nem estas são passíveis de ser avaliadas. Seria interessante: este aluno merece 17 em cooperação, 20 em solidariedade, 7 em coragem, uns pozinhos de camaradagem…talvez 9 valores. Explique lá quais são os descritores de desempenho para as atitudes…e a tabela de classificação, estou curiosa…
          As atitudes tem como base a teoria Behavorista da aprendizagem e os programas de Ed. Física têm como base a teoria cognitivista da aprendizagem. Os instrumentos de avaliação têm que estar coerentes com o programa e com a teoria de aprendizagem que os sustenta. A fundamentação está logo no principio dos Programas Nacionais de Educação Física, colega,…
          Já há muito tempo que os Critérios de avaliação, não se dividem pelos domínios afetivo, motor e cognitivo.
          Há um objetivo transversal a todas as matérias, mas no entanto é um descritor de desempenho nos Níveis I, E, A, colega e, não tem percentagem nenhuma.

    • Atirarmos os outros para a lama…com ou sem razão nunca aumentou o brilho de ninguém.
      Ora essa!!! é possível dar 20, porque a avaliação é de 0 a 20 valores e transversal a todas as disciplinas. Agora 50% 20 e 50% 19, é mesmo sorte em tudo, na genética, no jeito, no colégio e nos professores.
      Comentadores de bancada, como em tudo, gostam de falar baseados no “achismo”. A Educação Física, não é Educação Desportiva e por se ter esta confusão toda a gente acha tudo, é como no Futebol.
      Falam dos critérios de avaliação da disciplina, com exemplos de fazer bem manchetes, e chutar bem a bola. Mas o que é isso??
      Quando se fala, devemos obter informação e conhecimento sobre o assunto, conhecer o programa da disciplina e as normas para a construção dos critérios de avaliação, que também lá se encontram.
      Os critérios de Avaliação, têm a área de Conhecimentos, Aptidão Física e Atividades Física. Nesta última área os alunos nas várias matérias das Atividades Físicas são situados em três níveis: Elementar, Introdutório e Avançado, em que cada um deles, tem vários descritores de Desempenho. Os alunos são avaliados no caso do Secundário nas 6 melhores matérias das Atividades Físicas. E é das varias combinações possíveis entre os níveis Elementar, Introdutório e Avançado, com os resultados da Aptidão Física e Conhecimentos que se constrói a nota.
      Há que contar igualmente com a adaptação às condições da escola e dos alunos, que os PNEF permitem.
      O “jeito” e a genética tem alguma graça.. todas as caraterísticas humanas, são resultado do meio ambiente e da genética, mas não só para a Educação Física, mas para tudo. Não fica tão bem é dizer eu não tenho jeito para Matemática ou não tenho predisposição genética para as Línguas. Quem não tem jeito, ou geneticamente não está vocacionado, trabalha, seja para Educação Física seja para Matemática, ou Biologia, ou para outra coisa qualquer.
      Que ridícula essa triste essa do professor e doutor, ou Dr. e funcionárias das escola.
      As pessoas: o Manel, a Carlota, o ser humano, são iguais. os títulos, servem para diferenciar e para quem tacanho e infeliz, utilizar retórica para tentar vexar e diminuir outro. Apesar de Professor ser um Titulo académico superior a Dr, isso não interessa nada… para esta discussão.
      A discussão que aqui se observa, não tem como objetivo clarificar, perceber, entender, melhorar, tem como objetivo atacar, humilhar, dizer mal. A educação é um ato de amor.

      • Com que então “a educação é um ato de amor”!…. No caso do “Externato Ribadouro” só se for amor aos $$$$$$$$$$$$$$$$$

        O Externato Ribadouro tem cerca de 1700 alunos, se cada um pagar em média por ano 5000 euros, isto resulta em receitas da ordem dos 8.500.000 Euros.
        Além desta faturação a familia Pinheiro (Conceição Pinheiro – que foi professora de História – e o Eng. Manuel Pinheiro) ainda possuem 50% do Colégio da Trofa e do Externato Camões (sito em Rio Tinto). Some os lucros destes dois estabelecimentos.

        Muitos dos professores que lecionam no Externato Ribadouro também dão aulas no Colégio da Trofa e no Externato Camões (em Rio Tinto). Todos estes docentes estão sujeitos a pressões por parte da Diretora Pedagógica (e dona) do Ribadouro. Aliás esta senhora está presente em vários conselhos de turma como forma de intimidar os profesores.

        Conclusão: Isto é melhor que uma Mina de Ouro, é um negócio que mexe com Milhões de Euros.

        Quem tentar estragar este Negócio de Milhões como é o caso deste Blog está metido em sarilhos.

        Fotografaram as pautas do Ribadouro, Deviam fotografar também as pautas do Externato Camões (em Rio Tinto) e do Colégio da Trofa.

        • O meu texto não contradiz o seu, nem o seu o meu. Eu concordo com todo o seu texto.
          Sérgio, sou professora numa escola pública na região de Lisboa. Em nenhum momento no meu post apoio o que se passou nesse colégio, ou em outros, antes pelo contrário. Não entendo porque retirou a frase do seu contexto, e resolveu associar ao seu texto. O meu texto tem como foco a didática e pedagogia, o seu tem como foco a administração e a atitude política. Quando digo que a educação é um ato de amor é em abstrato, não direcionada para o que se passa nesse colégio, refiro-me à relação pedagógica com os alunos e tem a tradução de fazer o melhor que conseguimos nesse momento e melhorar a cada dia. O afeto e procura de uma relação empática assertiva e colaborativa, com alunos e parceiros do ato educativo, resulta num clima mais positivo na aula e proporciona um ato pedagógico mais consciente.
          Naturalmente que se devia traduzir o mesmo, em outras esferas macro.
          As palavras tem o sentido que cada um lhe quer dar e por aqui me fico na minha participação no que deveria ser uma troca de opiniões, e não passa de uma série de ataques em todas as direções.

  25. Dionísio, o que diz não é lei, nem regra, nem verdade, só porque é o Sr. que o diz, é simplesmente a sua opinião.
    A pluralidade de opiniões, não implica má educação e ser grosseiro na abordagem a outro colega ou pessoa.
    E também sou colega e quando é o caso dou a nota que considero adequada, seja 20 seja 7. A escala de Avaliação é de 0 a 20 valores e qualquer nota pode ser atribuída nesta escala.

  26. É uma aflição tremenda com os bons alunos não estão nada aflitos é com o vendaval de sucesso administrativo, em virtude do 54, que varreu as escolas de Norte a Sul do País. Investigue-se, de igual modo, como é que os alunos medíocres e calaceiros passaram a estar , graças a uma vigarice, no mesmo patamar de alunos trabalhadores e esforçados. Para provar esta comédia não é preciso ir a nenhum Ribadouro… mostrem lá as pautas das vossa escolas, ferozes defensores do rigor da nota (aqui acaba logo a flexibilidade e o humanismo, e as notas não contam para nada…) , dizia, se têm de facto, coragem ponham aqui no blogue fotografias, comparativas, omitindo os nomes , mas mantendo a sequência, entre as notas do 1º período e as do 2º período. Mais mostrem a seguir as do 3º período, onde a vergonha da inflação de notas ainda vai ser maior e mais ridículo… Neste caso, e passa-se nas barbas de muitos já não interessa nada!!!

    Já agora, segundo me dizem os professores que conheço, recebem, em alguns agrupamentos, ordens diretas dos Directores para subir as notas! Que tal investigar isto? É que a matéria jornalística, neste caso devia dar para vários dias…. Mas sobre isto , e houve pessoas que o denunciaram, não ouço um pio! Era bom que alguns professores tivessem a coragem de dar esse testemunho, deste escândalo!!!

  27. .
    Caro Alexandre Henriques

    O RIBADOURO e as sociedades em cascata!…. Porque será?

    ALEXANDRINO OLIVEIRA, SILVA & CA., LDA (RIBADOURO)

    Maria da Conceição Amaral Pinheiro – 39,99%
    Manuel de Vasconcelos Pinheiro – 30,00%
    (filha) Ana Teresa Amaral Vasconcelos Pinheiro – 12,50%
    (filho) Miguel Vasconcelos Pinheiro – 12,50%
    AMARAL PINHEIRO SA – 5,00%
    A titular tem 4 participações minoritárias em empresas portuguesas, a saber:

    50% da DOCENS – SOCIEDADE DE ENSINO, LDA
    RUA JOSÉ MARIA PEDROTO, 23 2º HABITAÇÃO 5A
    4200-351 PORTO
    Portugal

    50% da CT – COLÉGIO DA TROFA, LDA
    RUA RAINHA SANTA ISABEL
    4785-269 TROFA
    Portugal

    49,98% da AMARAL PINHEIRO & MORAIS, LDA (FUSIONADA)
    RUA DA ESTRADA NOVA, 3
    4435-234 RIO TINTO
    Portugal

    40% da AMARAL PINHEIRO, S.A.
    RUA JOSÉ MARIA PEDROTO, 23 2º HABITAÇÃO 5A
    4200-351 PORTO
    Portugal

    Por sua vez a AMARAL PINHEIRO SA tem como sócios:

    ALEXANDRINO OLIVEIRA, SILVA & CA., LDA – 40,00%
    Maria da Conceição Amaral Pinheiro – 35,66%
    Manuel de Vasconcelos Pinheiro – 24,00%
    (filha) Ana Teresa Amaral Vasconcelos Pinheiro – 0,16%
    (filho) Miguel Vasconcelos Pinheiro – 0,16%

    Portanto, o problema não reside apenas nas pautas de EDUCAÇÃO FÍSICA do Ribadouro, está também nas pautas do Colégio da Trofa e no Externato Camões

    .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here