Início Rubricas Mais 1.º ciclo com menos horas (proposta concreta)

Mais 1.º ciclo com menos horas (proposta concreta)

16465
29

A proposta que trago hoje não respeita o Decreto-Lei n.º 176/2014, de 12 de dezembro e não pretende encontrar consenso. Apesar de considerar algumas das novidades apresentadas pelo secretário de estado na semana passada, procura criar discussão e apresentar soluções para a excessiva carga letiva dos alunos no 1.º ciclo. Faço o convite a todos os que quiserem dar o seu contributo.

Neste horário fictício da imagem, podemos observar uma distribuição da carga horária mais acentuada pela manhã, com a sugestão de manter a início das aulas às 9 horas e a criação de um segundo intervalo no período da manhã. Assim, possibilita que aos alunos saiam às 15 horas e 30 minutos e tenham mais tempo para desenvolver outras atividades que a família considere mais importante.

Português e matemática continuam com um grande peso na carga horária, mas perdem 1 hora cada. As disciplinas como estudo do meio, apoio ao estudo, oferta complementar e cidadania são unificadas numa só. Isto iria implicar uma nova abordagem e metodologia de trabalho na sala de aula, bem com a aplicação de uma avaliação com maior incidência na produção dos alunos e menos nas fichas de avaliação. Permitiria flexibilizar estas disciplinas e dar mais espaço à escola para criar projetos com valor para a comunidade e desenvolver o projeto educativo dos agrupamentos com maior elasticidade, absorvendo com menos “drama” as imposições das agendas externas às aulas do 1.º ciclo.

A separação das expressões em 4/5 momentos bem definidos é fundamental para o bom e correto desenvolvimento das nossas crianças. Elas necessitam desenvolver as suas capacidades motora, criativa, imaginativa, sensorial e emotiva. Precisam saber quem são, conhecer os seus limites, sociabilizar com os outros e, também, aprender a estar sozinhas, saber perder, ganhar e participar.

Considero que é importante a separação das expressões no momento da avaliação, já que me parece muito injusto não valorizar adequadamente os alunos nas várias expressões. Com o atual modelo, elas acabam por ser pouco destacadas no momento da avaliação.

Alunos mais criativos, com uma compreensão mais clara de quem são e do seu entorno, estão mais recetivos a entender os conteúdos que são ensinados nas disciplinas de português, matemática e ciências.

Quanto aos docentes, esta abordagem da matriz curricular do 1.º ciclo, pode permitir alguma justiça e paz social dentro das escolas. Isto porque existe um tratamento desigual entre os docentes da educação especial e de inglês e os do 1.º ciclo, no que diz respeito às horas de trabalho. O XIX Governo (PSD-CDS) alargou abusivamente o horário dos professores do 1.º ciclo e estes reclamam um horário semanal de 22 horas letivas, tal como o dos colegas.

Os docentes do 1.º ciclo sentem necessidade de partilhar com os colegas as suas ideias e as suas experiências – o que é natural quando se trabalha em monodocência. Para isso, seria importante ter um espaço onde pudessem colaborar uns com os outros e ensaiar propostas, bem como um “espaço” no horário – uma tarde por semana – para desenvolver este trabalho conjunto, evitando que os professores realizem 12 horas de trabalho consecutivo.

Também é importante valorizar o papel do encarregado de educação no 1.º ciclo e para isso é urgente que o professor titular de turma tenha as mesmas oportunidades que os diretores de turma dos outros ciclos de ensino. Porque, neste momento, o trabalho realizado com os encarregados de educação e a gestão do Plano de Trabalho da Turma, não estão contemplados na componente letiva, ao contrário do que acontece nos outros ciclos.

Gonçalo Gonçalves

Professor 1.º ciclo

COMPARTILHE

29 COMENTÁRIOS

  1. Só trocava no horário a hora de português para o início de segunda feira. Essa primeira hora da semana é muito importante para desenvolver a oralidade dos alunos quando eles contam o que se passou no seu fim de semana.
    Para os de 3.° e 4.° ano começo a semana fazendo uma planificação semanal e no final da semana avaliamos e refletimos sobre o que se conseguiu ou não realizar.

  2. E porque não respeitar as especificidades próprias de cada grupo disciplinar, de cada nível de ensino…sempre na procura de homogeneizar tudo e mais qualquer coisa, ainda que não seja a resposta mais adequada. É o pré escolar com o calendário escolar que tem de ser igual aos restantes níveis, o 1º ciclo que tem de ter o mesmo horário do 2/3º ciclo e secundário, entre outras.

    Situações de gritante injustiça relativamente ao 1º ciclo são: a não contabilização do tempo de intervalo como letivo e o tempo para a reforma (esta última devido, lá está, a tal homogeneização … de termos tudo igual na nossa carreira como docentes independentemente da nossa especificidade).

    ps: pertenço ao grupo de educação especial, e posso dizer que no final da semana, contando os tempos letivos com os não letivos dá um total de 35 horas semanais, tal como todos os outros docentes.

    • Boa tarde,
      concordo com a contabilização do tempo de intervalo como letivo e o tempo para a reforma. São duas grandes injustiças.
      A primeira está prometida para o próximo ano letivo, a outra temos que lutar por ela.

      A(o) colega “Um_entre_muitos” tem sorte em conseguir trabalhar apenas 35 horas. Existem poucos com essa sorte.
      Para mim o problema está nas letivas e nas falsas não letivas.

      • Não trabalho 35 horas…apenas não achei relativo quantificar o total de horas que trabalho semanalmente, que garanto ultrapassam facilmente as 35h.

        Apenas queria salientar que independemente das especificidades de nivel de ensino, todos temos a mesma carga horária. Por isso a discussão entre cargas horárias é pouco estéril.

        As falsas não letivas já cabe no profissionalismo e idoneidade de cada em e isso garanto é transversal a todos os niveis de ensino.

  3. Embora uma leiga nisto (com todas as especificidades que desconheço neste ciclo), parece-me um bom esboço de trabalho.

    Gosto da hora de entrada e de saída. Gosto dos 2 intervalos de manhã.

  4. Não querendo ser desmancha prazeres, adivinho a continuação da escola até às 16h e facultativa até às 17.30. O segundo intervalo de manhã ou de tarde é uma boa ideia, pois um período de 2 horas é longo demais para alunos de qualquer idade . Os professores do primeiro ciclo apesar da especificidade do seu trabalho já merecem uma redução do horário letivo. Uma arma preciosa para contrariar a inércia ou mau comportamento dos alunos é a continuação na sala durante o intervalo pelo que com turmas complicadas por vezes o professor esquece que tem intervalo. Reduz para 10 minutos para as necessidades básicas.

    • Temos que ir à luta para alterar a coisa Duilio. Não há necessidade de continuar até à 16h / 17h30.
      No meu caso, como não está na minha componente letiva ou não letiva faço questão em sair da escola durante os intervalos. E também acho que às vezes os “mal comportados” são os que mais precisam do intervalo. São demasiadas horas seguidas dentro de uma sala.

  5. Alexandre:
    Se o intervalo fizer parte da componente letiva, nos moldes em que fazia anteriormente, o total de tempos não está correto.
    Por exemplo, o horário do 1.º ano a Matemática são 7 horas ( 3x 1,20h + 2x 1,30h). No total serão 25 horas semanais, contando com os intervalos, tal como era antes das AEC.

    Oxalá a tua proposta seja aceite, porque as minhas (anuais) nunca o são.
    Exemplo:
    http://www.slideshare.net/velha/horrio-50601709

  6. Desculpe, mas aqui o Inglês surge apenas com uma hora e trinta minutos? A carga semanal é de 2 horas, por isso, está mal. E colocar o Inglês da parte da tarde, no mesmo horário em que coloca Expressões? Apenas concentrado num bloco semanal? Escolas onde isso é feito, até já os EE estão contra. No quarto ano o Inglês conta para a transição (ou não) para o 2º ciclo. Essa decisão já não cabe apenas ao docente titular. Já não existe monodocência e seria bom que se começassem a consciencializa disso mesmo!

      • Deve seguir a matriz vigente e não querer retirar horário do 120 para que o horário restante fique mais arrumado. Li num outro comentário que o Inglês, como iniciação, deve ter um carácter mais lúdico, porque se trabalha mais a oralidade. Não sei o que os meus colegas fazem nas suas escolas, mas eu pratico a oralidade e a escrita com os meus alunos. Sim, a oralidade é valorizada, mas não vou deixar que eles assimilem o erro, numa de “isto é para ser lúdico”. Os meus alunos são avaliados com testes e com momentos formais de avaliação oral. E não é apenas uma turma, são sete, todas com mais de vinte alunos e duas delas com vinte e nove alunos. (Sem esquecer a de oitavo e DT.) Defendo que todos devem lutar pelo que querem, mas fazer isso a querer “tramar” outros logo à partida, é desleal. É preciso lembrar que o Inglês é umaa língua franca e a mais procurada no mundo profissional. Está provado que quanto mais cedo os miúdos iniciarem essa aprendizagem, mais facilmente a assimilam. Não lhe retire importância.

  7. Esta proposta serve apenas os interesses dos mesmos. O Inglês tem 2 horas semanais, e não deve ser sempre ao final do dia, no mesmo horário das expressões. Se querem igualdade, ok, mas que seja para tudo, horários de entrada e saída incluídos.

    • Raquel, o que estão aqui são propostas.

      Se algo está mal, dirija críticas a quem nada faz, a quem não define critérios de elaboração de horários- Conselhos Pedagógicos- ou a quem distribui o serviço- Diretores.

      Nós, professores, somos sempre prejudicados. E, não satisfeitos com isso ainda nos maltratamos uns aos outros.

  8. Se isto é apenas proposta, deveria ter em conta o que já está em vigor, duas horas para inglês. E, para além disso, como é conhecimento de todos, disciplinas curriculares à tarde, quando os alunos já estão cansados, é antiproducente! Façamos propostas, sim, mas com cabeça, tronco e mentos e não apenas aquilo que interessa a alguns. Como já foi dito, o inglês é curricular, quer se goste ou não!

    • Ruth Sá:
      Todos sabemos que o inglês é curricular. Não passa, contudo, de uma iniciação, de algo que de deve ter uma componente adequada à faixa etária dos alunos.
      Quererá dizer que a importância do Inglês é a mesma do que a da Língua Materna?? Ou da Matemática? Que exige o mesmo grau de concentração? Ou deverá ser de conteúdo lúdico e, por isso, leccionado à hora das expressões?
      O que se trabalha mais na disciplina? A oralidade ou a escrita?
      Sejamos sensatos. Estamos a falar de crianças dos 5 aos 9 anos.

      • Fátima não me leve a mal mostra bastante desconhecimento acerca da disciplina. E sim, tem a mesma importância e não, não é só lúdico, no 1. ano os alunos também têm iniciação às disciplinas e trabalham igualmente. É curricular e requer estudo e concentração nas aulas. Não andamos a brincar às escolas na aula de inglês.

  9. Acho piada quando diz que os alunos saem às 15:30h para depois as famílias poderem fazer as actividades que acharem mais adequadas! 15:30h?? A essa hora ainda estou eu a acabar de almoçar no meu local de trabalho! Quantas famílias se podem dar ao luxo de ir buscar os meninos a essa hora? As actividades que a família vai propor vão ser com certeza colocar as crianças nos ATLs tendo de pagar mais ao final do mês!

    • A escola não é ATL, nem tem a função de ser babysitter. Existem muitas associações nas vilas/cidades que podem realizar esse trabalho, fora os já conhecidos centros de lazer/explicação. Isto para quem não pode ficar com as crianças.

    • Vai desculpar-me mas a escola primeiro não é nenhum depósito de criança. E depois mesmo saindo às 17:30 a msior parte das crianças vão para crntrod de estudo ba mesma e falo com co conhecimento de

  10. Sou professora do 3º ciclo e secundário. Sempre achei que gostaria de ser professora do 1º ciclo pois eles são mais jovens e a intervenção do professor tem maior significado, conhecem os seus alunos nas suas várias vertentes como um todo, têm uma ligação mais próxima com os pais (só em conjunto com os pais se conseguem transformações), e o que eu mais gostava, é que se pode ensinar matemática com actividade física, português com música, e estudo do meio com artes plásticas. Tenho MUITA dificuldade em conceber um saber por gavetas no 1º ciclo, ‘copiando’ o modelo dos ciclos seguintes, e destruindo essa mais valia, do professor DECIDIR quando, onde, e quando ensinar o quê.. Sou professora de educação física e sou das poucas que discorda que seja dada no 1º ciclo por especialistas. Na formação de professores do 1º ciclo deveriam ter formação para desenvolver habilidades motoras básicas e essenciais nos seus alunos, mas mais importante ainda, capacitar com estratégias para que através do movimento os alunos pudessem aprender outras matérias, e relacionar com os outros, respeitando-os.

  11. Não funciona. Horários de saída diferentes no 3o e 4o ano irá trazer problemas com transporte. Este tipo de horário não funcionará nem será aceite infelizmente

  12. 1º Tempo
    Funciona melhor com mais tempo = 1:30 para ter em conta:
    1-Algum atraso que sempre acontece com crianças tão pequenas
    2- A necessidade de ter um tempo para o «acolhimento» fundamental para as crianças pequenas poderem contar ao professor e colegas as suas novidades… (privilegiando a oralidade e regras de comunicação)
    Intervalo
    Acho mais vantajoso um só intervalo com mais tempo (30 minutos) tendo em conta que precisam lanchar (leite escolar/Fruta…) ir à casa de banho…..e para crianças pequenas isso demora algum tempo! Fica pouco tempo para brincar…
    Com um só intervalo pode ser aumentado em 10 minutos o trabalho de Projeto o que é bom pois este tipo de trabalho obriga a uma preparação (até da própria sala/constituição de grupos…..) que com alunos muito pequenos demora mais algum tempo…

    Almoço
    Acho as 13:00h um pouco tarde para iniciar o almoço tanto mais que em muitas escolas é preciso fazer mais que o turno (por falta de espaço e recursos humanos!)

    A distribuição das Expressões no final da tarde é uma boa opção mas tem a desvantagem de no caso da Exp. Motora ser muito em cima do almoço…..(o que por norma é desaconselhado!)

  13. 1- Suspeito que a grande maioria dos portugueses tem, como objetivo principal, não ter que se preocupar com as crianças que são entregues à escola por um período o mais alargado possível e não estarão a procurar “desenvolver outras atividades que a família considere mais importante”.
    2- Uma aula de 90 minutos no 1º ciclo parece-me ser muito pesada, massacrante e não pedagógica.
    3- Uma só aula por semana para uma nova língua curricular é mais um entretenimento (ocupação de tempos livres) do que um processo de ensino-aprendizagem.

  14. Enquanto mãe so coloco uma questão e os pais que saem as 18h fazem o que aos pequenos? Vão pagar atl com que dinheiro? Vão pagar atividades com que dinheiro? Com o da sopa ou com o da agua e luz? Eu entendo que os professores precisem dessas horas para preparar aulas ver testes etc, mas e o que fazemos quando o rendimento de casa são 495€ ? Como sobreviver se tivermos que pagar atl natação futebol ou balet?

  15. Relativamente ao horário muitos pais colocam o problema de onde os deixar. Acho piada porque mesmo saindo às 17:30 as Crianças vão pars atl e centros de estudo. Estão todos cheios de crianças. Isso é desculpa. Estes pais nao se apercebem que eles trabalham mais que um adulto e passam horas dentro de uma escola.
    Se tiveram filhos….sejam pais.
    Falo com conhecimento de causs pois sou professora e tenho atl..
    Muitos pais saiem na mesma tarde e não as 17:30.
    Concordo com horário e no 2°e3° ciclo devia ser feito o mesmo. Diminuição da carga horária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here