Início Rubricas Visitas de “estudo”???

Visitas de “estudo”???

1414
0
COMPARTILHE

Por certo, isto de já se ter entrado na parte final nos sessentas, faz-nos olhar para certas situações de forma deturpada, envelhecida, antiquada e o problema é grave, mas nosso, e não de quem o pratica.

Passou e muito bem, a ser usual haver visitas de alunos, talvez desde os primeiros anos de ensino aos últimos – estes, onde os “supostos finalistas”, também, vão fazer o que parece ser hábito ser, mas não deveria ter que ser, mas aí como “finalistas” – a locais públicos, museus, bibliotecas, teatros, parques.

E a ideia de visitar e conhecer estes locais é excelente, mas aqui a velhice a ver mal o “filme”, não passa de uma “bela ideia” mas não mais que “isso”.

Não é a primeira vez que em vários destes locais se veem os jovens, as crianças em “grande berraria”, “bué divertidos” mas não estão a apreciar nada do que deviam ver e analisar por ali estarem. Nada.

Tanto podiam ali estar como noutro qualquer local, ou até no estabelecimento de ensino que frequentam, o efeito seria o mesmo, berrar é conseguível fazê-lo em todo o lado, estar em grupos, ao “molhe”, a olhar para os telemóveis também, e, “prontos”.

E se calhar, e mais um lapso da velhice, os responsáveis que os acompanham em vez de juntarem a conversar, deveriam estar a tentar “dominar” estes jovens que se sentem à solta nestes locais, e, fazem tudo menos aproveitar o que o local tem para lhes mostrar, lhes ensinar.

Não, mas isto é um velho atarantado que isto pensa e escreve!

Nada, a berraria é total, o incómodo para quem “normalmente” está no mesmo espaço é enorme, mas ninguém se impõe, ninguém faz “ordem”, ninguém se faz respeitar, vale tudo e no fim do dia foi feita a visita de estudo a um local onde nada se aprendeu e viu, mas foi muito “fixe e bué divertido”,

E em Democracia também se devem ter que respeitar regras, a liberdade não deve significar “cada um fazer o que lhe apetecer, a cada momento”, dado que talvez “isto ainda seja libertinagem”.

E a autoridade consentida/assumida perde-se quando não é devidamente praticada, e um dia quando se pretender exercer já é tarde. Se é que hoje, já é muito, muito tarde, oh, lá está o trengo do velho!

E a culpa gira de uns para os outros e nunca se encontra um único culpado, mas estas cenas que só os sessentões veem, por já verem mal, vão continuar e pior ficar. Mas!

Mas nada vai mudar para melhor, antes pelo contrário. Seja!

Augusto Küttner de Magalhães

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here