Início Sociedade Um País Amador quer Medalhas Profissionais

Um País Amador quer Medalhas Profissionais

1395
29

«Claro que ficava muito mais feliz com o ouro, mas não, não estou triste com o 9.º lugar. Aos meus pais devo o estar no Rio, o apoio emocional e financeiro. E ao meu treinador, aos meus colegas de treino. Sem eles era impossível. Pode ser que depois disto as coisas mudem, se comece a olhar para o taekwondo e comece a haver condições… Só vou aos próximos Jogos se houver condições. Se não houver é impossível chegar a algum lado. Podia voltar a pedir aos meus pais apoio, mas isso não. Claro, o que estou a dizer tem a ver com patrocínios, com apoios. Porque não vou voltar a fazer as coisas à maluco como nestes últimos dois anos», disse no final.

Rui Bragança

medalhasUm país que está a anos luz das infraestruturas desportivas de outros países, quer medalhas olímpicas…

Um país que só pensa em futebol, quer medalhas olímpicas…

Um país que tirou horas à disciplina de educação física, quer medalhas olímpicas…

Um país que retirou a educação física da média para o ensino superior, quer medalhas olímpicas…

Um país que despreza a educação física no 1º ciclo, quer medalhas olímpicas…

Um país em que os principais eventos do desporto escolar encaixotam professores e alunos em salas de aula para dormir, quer medalhas olímpicas…

Um país onde os alunos têm cargas letivas brutais e para conciliarem a prática desportiva são obrigados a chegar a casa às 20, 21, 22 horas e ainda têm que ir estudar para o teste que aí vem, quer medalhas olímpicas…

Um país onde a maioria dos professores e pais não tem cultura desportiva, onde se marca aulas e testes em cima dos treinos do Desporto Escolar, quer medalhas olímpicas…

Um país que não gosta de desporto, gosta do “palco”, da festa, do sucesso, e prefere passar horas a discutir se foi ou não penalti, quer medalhas olímpicas…

Um país em que são os pais a suportar as despesas do sonho olímpico desde tenra idade, quer medalhas olímpicas…

Um país em que os seus atletas viajam em “low cost”, dormem nos aeroportos, são completos amadores, quer medalhas olímpicas…

Olhem para a Espanha, olhem para os Estados Unidos, olhem para Inglaterra, olhem para tantos outros e depois questionem-se se realmente queremos medalhas olímpicas…

Olímpicos, ignorem a ignorância e o ruído, sois o verdadeiro exemplo de amor à pátria e cada lágrima, cada gota de suor é cristalina, pura e honesta. Sois uns heróis e quem tem dois dedos de testa tem noção do que abdicaram para chegar onde chegaram. O meu/nosso muito obrigado!

 

«Nós não precisamos de muito em Portugal. Basta uma pequena ajuda. Falta o reconhecimento, a aposta. Se essa aposta existir… Sem apoios temos os resultados que temos. Eu sou campeão da Europa, o Júlio [Ferreira] é campeão da Europa, temos o número quatro do mundo, eu sou o número três olímpico. Imaginem se tivermos apoios».

Rui Bragança

Rui Bragança avisa: «Não peço mais dinheiro aos meus pais»

COMPARTILHE

29 COMENTÁRIOS

  1. Tens toda a razão. Tenho 61 anos sou prof de Ed. Física e tb cheguei a Campeã da Europa, já em veterana, pq sempre lutei, até contra a vontade dos meus pais. Já casada dei o pulo e consegui, mas para o Campeonato do Mundo, já não fui seleccionada.
    Toda a vida dei Desporto Escolar, como disseste muiiito bem, profs e alunos dormiam no chão das salas de aula. Enfim ……pode ser que agora melhor.
    Desejo a todos os Olímpicos, tudo de melhor daqui para a frente, o que é normal por direito, para que se alcance a excelência que tanto desejam. Igualdade de tratamento com os países de topo nos Jogos. Com muiiito menos todos fizeram muiiito mais no Rio.
    Bora lá em frente! Ana Quintas

  2. Tenho a opinião exatamente oposta.
    Tendo em conta que estiveram em competição duzentos e tal países, resultados nos vinte primeiros são excelentes.
    Só são bons os alunos que têm 20 valores?

    • Os resultados são excelentes Agnelo. A questão é não reconhecerem essa excelência com as condições que lhes são dadas.

  3. Está tudo dito aí.
    Enquanto não se mudar o sistema do desporto escolar para um semelhante, ao Japão ou Estados Unidos, vamos continuar a ler este tipo de desabafos de quatro em quatro anos, infelizmente.
    Eu tenho um projeto de uma associação feito e pronto para ser implementado nas escolas para mudar o paradigma do desporto escolar em Portugal.
    Quando nos derem ouvidos e nos deixarem começar a implementá-lo nas escolas (sim, o projeto esbarra nos professores e diretores das escolas por medo ou comodismo), o futuro do Desporto português será seguramente melhor que o atual.

  4. Totalmente de acordo ! Enquanto não se mudarem as mentalidades será assim. Enquanto tiverem de ser os pais a pagar todas as despesas para os filhos poderem competir ( sei bem do que falo) e quem de direito não se interessar pelo assunto vai ser muito difícil os atletas progredirem como deve ser . Devemos ter muito orgulho dos nossos atletas que tanto lutam época atrás de época para conseguir alcançar resultados e levar Portugal longe. Parabéns a todos eles

  5. Isso de haver países com menos condições de treino, que Portugal, mas com mais medalhas é uma coisa sem importância… Vão passear com o dinheiro dos outros, que mal tem? Passam a vida a chorar por condições, e outros com menos condições, de países do terceiro mundo, têm mais medalhas que Portugal. De nada serve ir para os jogos olímpicos, quando a maioria vai como derrotados, dizendo que se ultrapassarem as suas marcas já ficam satisfeitos. Será que vale a pena gastar dinheiro com gente psicologicamente fraca, que inventa desculpas, e chora a qualquer contrariedade? Tirando a Telma Monteiro que tem espírito de campeã, a maioria são uns frouxos como dizem no Brasil. Fiquem na caminha que é melhor… Acho que confundem Jogos OIímpicos com Jogos Sem Fronteiras… Nestes últimos, é que o importante é participar…

    • Pedro Silva então vai lá fazer melhor. Levanta-te às 6 da manhã como muitos fazem para ir treinar, a seguir segue para as aulas/ trabalho e volta no fim da tarde aos treinos, e ainda arranja tempo para poderes comer e estudar no meio de tudo isso. Isto tudo a treinar num espaço limitado (só está disponível a “x” horas, e tem que ser partilhado com “n” equipas), a pagar a gasolina do próprio bolso, sem receberem um tostão como atletas, muitas vezes a pagarem do próprio bolso para poderem ir a competições importantes adquirirem experiência no mais alto nível.
      Fracos psicologicamente por quererem melhorar as suas marcas? Nunca deves ter praticado um desporto individual na vida (se é que praticaste algum, o pontapé na bola ocasional não é desporto), melhorar as próprias marcas é o máximo que poderíamos pedir deles, ou querias que algum dos nossos atletas que provavelmente vai para lá qualificado com a 20ª ou 30ª marca disputasse de igual para igual com um Usain Bolt ou um Michael Phelps? Para isso teriam que ter as mesmas condições e apoios NO MÍNIMO, visto a genética e as metodologias de treino também terem uma enorme importância no resultado.
      Se calhar és daqueles que defende o dinheiro todo desperdiçado no futebol, aquela modalidade que em mais de 100 anos só nos deu um título internacional, mas que tem apoios e condições que nunca mais acabam. Aquela modalidade que tem tanta gente a ver as prestações miseráveis das equipas da primeira divisão portuguesa, salvo 3-4 clubes que ocasionalmente praticam bom futebol. Vais pedir ao Arouca para ganhar a Liga Europa também? Afinal são profissionais, não estão lá só para participar, por isso o menos que se pode esperar do Arouca é que vença a Liga Europa.
      Pensa bem nos disparates que disseste e compara ao que acabei de dizer do Arouca (sem querer ofender a equipa, se lá estão é muito bom e têm mérito nisso), pode ser que a comparação te faça abrir a pestana.

    • Aposto que nas outras olimpíadas a Telma já não tinha espírito de campeã. Apareceu agora de geração espontânea. Aposto que o senhor está nos melhores do mundo na sua profissão. Aposto que não tem a mínima ideia do que é bater um record. Aposto que não conhece nem um record em vigência. Aposto que nunca fez desporto na vida. E acho que ainda se poderia apostar muito mais coisas… Mas daqui a uns 4 anos deve voltar a ver desporto na vida.
      E pensar que ainda há um mês fizemos os Europeus de atletismo com maior sucesso de sempre. Tem razão nem devíamos ter ido. E estas pessoas também perderam o espírito de campeão. Acho que ficou ali dentro de uma mala qualquer.

  6. Tretas! Todos esses argumentos não justificam tão maus resultados. Até o AOI (Atletas que não são filiados a nenhum Comitê Olímpico Nacional) tem mais medalhas que Portugal. E eles devem ter imensos apoios e reconhecimento… Sem dúvida!!!

    • Os resultados podem não ter sido os melhores, mas as prestações foram excelentes.
      Aproveito para esclarecer a sua pequena confusão. O Kuwait foi banido dos jogos olímpicos e por isso criaram a comitiva AOI para que os atletas deste país pudessem participar.
      Penso que estava a pensar na equipa dos refugiados (ROA), que obteve zero medalhas.

      • Fui confirmar e o AOI não incluo os atletas do ROA como supus. Contudo estava-me a referir aos 2 elementos do Kuwait. Mas infelizmente temos muitos outros exemplos de países com condições iguais ou piores e com melhores resultados. Mais não seja temos a Grécia com quem muitas vezes nos comparamos. E ao mesmo tempo é verdade que as prestações foram boas. Muitos dos atletas melhoraram o seus resultados. Mas o que é preciso é ir para os JO para ganhar e não apenas para realizar uma boa prestação. E isso começa já amanhã…

  7. Brutal! Tem toda a razão. Parabéns aos nossos olímpicos portugueses só a eles e às suas famílias, não a este Portugal que só vê números, estatísticas quantitativas e finanças.

  8. Como dirigente desportivo que sou venho dar os meus parabens pelo excelente post e pela coragem de colocar o dedo na ferida.
    Quero também felicitar pelo excelente resultado que tiraste

  9. Tudo muito correcto e certo, de facto não temos cultura desportiva e é tudo em cima do joelho. Mas também é certo que o atleta português é débil mentalmente por natureza e esse sr. Rui Bragança chegou como 3º do ranking e baqueou. Aliás só 3 atletas se excederam batendo as suas marcas pessoais, o Alexis, a Patrícia e o João Pereira.

    • O atleta português é débil mentalmente???? Estas considerações assentes em coisa nenhuma e sem mínima ideia do que significa estar qualificado para os JO. Experimenta 1 mês de treinos similar ao Rui Bragança, conciliares isso com o trabalho e vida familiar, e ainda teres que suportar todos os custos, e depois dessa experiência faz as tuas considerações sobre a debilidade mental do atleta português.

    • Apesar de concordar com a debilidade mental do atleta português temos de ter cuidado com esse tipo de análise. Senão podemos correr o risco de dizer que os atletas com boas marcas e que foram para lá ganhar medalhas falharam e os atletas medianos que melhoraram as suas marcas foram os vencedores.

  10. “Um país que retirou a educação física da média para o ensino superior, quer medalhas olímpicas…”
    Qual a relevância da educação física para quem quer ser engenheiro ou medico ou o que quer que seja? Enveredar pela lado desportivo não requer escola, não pede media de física ou de matemática ou pede? que sentido faz essa frase? por amor da santa….

    A seguir vai criticar o facto de os jogadores de futebol ganharem milhões num país como Portugal?

  11. Concordo plenamente, mas não é só nas actividades desportivas que Portugal tem mentalidade de amador. É também na educação, nas artes, nos negócios, na politica… Eu vivo nos Estados Unidos a 17 anos, fiz os meus estudos superiores em Portugal mas completei o mestrado em gestão nos EUA, não penso que seja mais ou menos inteligente do que a maioria das pessoas da minha geração mas por viver num pais que oferece mais oportunidades a quem trabalha para as alcançar tenho uma carreira professional que seria dificil ter em Portugal. A maioria do povo Português ainda têm a mentalidade Salazarista de que “é pobre e mora longe”, e Portugal é um país onde o nepotismo prevalece.
    Eu não tenho a ilusão de que os EUA é um país perfeito mas sei que aqui se dá valor, e é recompensado, quem tem ambição e dedicação. Alexandre a melhor maneira de desenvolver o seu desporto e talvêz até ganhar medalhas é fazer o que muitos desportistas fazem, treine num país que valoriza a sua ambição e dedicação…

    • Filipe, isso é o que muitos atletas fazem para atingir o sucesso. Assim de repente lembro-me do ténis em que muitos jogadores vão para Espanha para consolidar o seu potencial.
      Gostava muito de dizer que o made in portugal é suficiente para se ter sucesso no desporto em geral, gostava…
      Talvez um dia…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here