Início Escola Serviço militar obrigatório para alunos indisciplinados ou em abandono escolar?

Serviço militar obrigatório para alunos indisciplinados ou em abandono escolar?

80347
77
COMPARTILHE

Todos sabemos que a megaestrutura sistema educativo está longe de ser eficiente face aos problemas e desafios do presente. A estatística e a cultura da imagem estão a prejudicar o desenvolvimento da nossa escola, ecossistema onde todos aprendem, mas onde os equilíbrios são ténues.

Ao aumentar a escolaridade obrigatória, a estrutura devia ter acompanhado essa nova realidade de forma consistente, mas infelizmente não aconteceu. Apesar da diversidade da oferta educativa (Ensino regular, cursos profissionais, PCA, CEF, PIEF, vocacionais….) para agarrar aqueles que no passado abandonavam a escola, temos neste momento, muitos alunos em regime de semi-abandono escolar; semi-abandono graças à dedicação, paciência e tolerância de muitos professores, técnicos e auxiliares, que após “partirem muita pedra” conseguem, através da confiança, ultrapassar o que parece impossível.

Resta um pequeno grupo dentro da escola em puro abandono, poluindo de forma ativa ou mesmo passiva os restantes. As dificuldades são muitas e os objectivos são desadequados, pois queremos que adolescentes vindo de famílias sem estrutura e sem interesse pela escola, num momento mágico, comecem a entrar numa das ofertas criadas pelo sistema educativo. Esta tarefa é muito difícil e muito dura para quem está na primeira linha. Como dizem os alunos, “os cursos” deviam ser mais flexíveis e possuir metas tangíveis para o perfil de cada aluno e aumentar os contextos de trabalho em regime de alternância.  Além da importante transferência de conhecimento e competência, o aluno tem de produzir obra através do seu empenho e dedicação em partilha com os outros. As aulas expositivas são benéficas, mas para alguns alunos, o nível de curiosidade e interesse ainda não é o suficiente para a referida forma de aula, por isso é momento de por a mão na massa da forma mais simples e objetiva possível.

O sistema tem de apresentar processos simples e adaptados à realidade intelectual e emocional de cada um. Por isso, “os cursos” demasiado estruturados têm de ser repensados à medida que aumentam as dificuldades dos alunos. A capacidade de flexibilidade do sistema deve aumentar sem perder o rigor e os sucessos tangíveis. No entanto, é difícil chegar a todos os alunos, e aqui as empresas, as autarquias ou a instituição militar seria um caminho para contribuir para o desenvolvimento da estrutura moral e cívica de cada aluno em profundo abandono. Neste grupo de alunos em abandono dentro e fora das paredes escolares, o serviço militar obrigatório poderá fazer sentido com as devidas adaptações, privilegiando a missão de proteção civil. Quando o aluno desafia constantemente a ordem estabelecida e assume um comportamento disruptivo, este está simplesmente a construir a sua moralidade, se a escola se apresenta passiva, pois não está preparada para estes casos extremos, o aluno consolida princípios errados construindo a sua personalidade da forma possível. O trabalho vigiado ou o serviço militar, ajudou muitos destes casos no passado e pode contribuir no presente uma resposta à altura do problema.

Esta e outras realidades estão escondidas nas múltiplas estatísticas e estudos produzidos na área da educação e devem ser reconhecidas o mais rápido possível, para começar a estancar e resolver os problemas que perturbam toda a comunidade escolar.

Valdemar Martins

Leia mais sobre o assunto:

Serviço Militar Obrigatório para alunos problemáticos uma alternativa, nunca a solução!

77 COMENTÁRIOS

  1. No passado seria uma ideia com a qual não concordaria. Hoje vou mais longe. SMO para todos os alunos. Seis meses chegavam
    Seria uma possibilidade de detectar situações que passaram despercebidas na escola ( incluindo de natureza médica e em termos de postura… os militares sabem muito bem trabalhar a parte psicológica

  2. O serviço militar obrigatório fez muita falta aos pais desta geração de jovens!… A educação que os pais não dão em casa, nem permitiram na Escola, nem a Instituição Militar vai conseguir dar!

  3. Mais de que serviço militar obrigatório, quanto mais cedo os alunos com interesses divergentes dos escolares fossem fazer um semestre no quartel melhor. Até podiam frequentar uma escola perto e só regressam a casa, depois de alterarem os comportamentos.

  4. talvez não fosse má ideia. Pelo menos lá não é hábito não cumprir as regras e muitos não querem saber disso na escola, nem ela nem o ministério tem meios para obrigar a cumprir . Aos 18 anos andar no 5º ou 6º ano é mesmo para queimar tempo. tó ze

  5. Não sei como esperam que se possa defender a pátria sem treino de armas? Apesar de estarmos a viver um longo período de paz. E que paz!
    A escola deveria ter uma disciplina espartana.
    Todos os cidadãos deveriam passar por um treino de seis meses de aprendizagem de treino básico de defesa.
    Eu sei do que falo.
    Conheço as duas realidades e sei que só uma GAM poderia colocar nos carris aquilo que a escola não conseguiu fazer em 12 anos.
    Fui militar e hoje sou professor, e não se pode tocar, nem levantar a voz aos meninos que fical psicologicamente traumatizados.
    A vida é feita de traumas.
    Acordem!

      • Sou professora. Está ideia de os alunos cumprirem alguns meses de Serviço militar tem-me vindo à mente muitas vezes.
        Nem pais nem professores possuem armas para o “Não querer/não apetecer “.
        Crianças e adolescentes que gemem quando apanham um papel, recusam arrumar a cadeira ou limpar a mesa da sala de aula farão algo em casa?
        Uns mesinhos de exercício e a cumprir regras/ordens, respeitar hierarquias, realizar tarefas simples como as da higiene pessoal, respeitar o material, seu e do outro, saudar as pessoas… só os pode ajudar a crescer como pessoas e cidadãos.

        • Concordo plenamente. Servi os Para-quedistas durante 36 anos, como Funcionária Civil, como Assistente Técnica tive o privilégio de constatar o SMO e o Regime de Contrato, bem como o empenho do Regimento de Infantaria nº 10 em S. Jacinto – Aveiro, no apoio às Escolas (Eixo e Cacia), dando aos alunos aulas práticas no Quartel, para lhes incutir a disciplina e regras militares. Experiência vivida com entusiasmo por professores e alunos, que se refletiu num melhor comportamento e aprendizagem nas Escolas.

    • Defender a pátria? hahaha que se lixe a pátria, se hovesse uma guerra eu e a maior parte das pessoas que conheço e com quem já discuti isso, dizem todas que desertavam para um sitio isolado. Dar a minha vida por razões políticas que em pouco acreditamos…deixou de fazer sentido…

  6. Ou pq ñ seguir o exemplo em expansão de alguns estados Brasileiros?
    No nosso caso seria, colocar as escolas problematicas debaixo de regime escolar militar ou em alternativa os alunos problematicos, serem inseridos coercivamente em escolas militares criadas para esse genero de aluno.

  7. Vivemos num tempo em que para arrecadar uns likes tudo vale. Fala-se de tudo e de nada. Fala-se de física quântica e de jardinagem! Todos opiniam e fundamentam-se na teoria do “acho que”. Não sei onde é que o autor do artigo fundamenta a sua opinião?
    Mas respeito a liberade de expressão!

  8. Um aluno com graves problemas de indisciplina vai mudar no SMO…?!
    Vai começar a levar porrada.?!
    Fui militar a menos de 2 anos, dei várias recrutas e sou professor neste momento.
    Parece me uma ideia para não surtir efeito, pelo contrário estariamos ae capacitar delinquentes para grupos mais organizados.

    • Ora aqui está uma percepção correcta de quem conhece ambos os lados da barricada!
      Plenamente de acordo.
      Nasci na Escola e fui militar durante 9 anos…vi muita coisa!

  9. E que tal os tribunais em vez de darem penas suspensas a quem já lá foi dezenas de vezes sem as mesmas darem qualquer fruto, começarem a “enviar” os meninos bem comportados para para a tropa. Prendem-se putos com 16 anos em colégios juntamente com outros sem qualquer estrutura familiar. Junta-se a sabedoria toda no mesmo sítio e aprendem uns com os outros.
    Comecem a dar poder para fazer alguma coisa diferente pois pelos vistos as soluções do momento não estão a dar resultado.
    Tropa é sinónimo de respeito, responsabilidade e educação, excelente ideia esta, e sempre podem aprender uma profissão e tornar o inútil em alguém útil e produtivo para a a sociedade.

  10. Curiosamente, ainda há poucas semanas atrás afirmava que, numa situação para mim semelhante que são alguns agrupamentos TEIP, devia ser pensada a hipótese de uma parceria com o exército ou outra força armada. Disciplina procura-se!
    Quanto aos senhores que acham que tudo vai ao sítio APENAS com projetos e medidas pontuais e desconexas, continuem a viver na fantasia!

  11. Respeito a sua opinião.

    Questiono, no entanto, a sapiência de tentar reduzir a complexidade do crescimento do Ser Humano e da sua integração numa sociedade cada vez mais complexa a um punhado de afirmações infundadas na realidade observada, ainda que escritas a bold e em três tons de cor diferentes.

    Não obstante o desprezo pela informação contida nas “múltiplas estatísticas e estudos produzidos na área da educação”, e, abstendo-se o autor deste texto de apresentar dados concretos, gostaria humildemente que questionar os leitores deste comentário: Deveremos olhar para o serviço militar obrigatório como o repositório da moral da nossa sociedade?

    Considero que não. Considero ainda, e se me permitem, alerto até, para a necessidade de intervir junto dos pais destes jovens (e também junto dos próprios jovens) no sentido de lhes transmitir competências mais benéficas e saudáveis para o seu percurso de vida, procurando atenuar ou até quebrar o ciclo de comportamentos desajustados. Já que, uma melhoria nas dinâmicas familiares será depois refletida nos comportamentos e atitudes a que se refere o texto acima apresentado.

    • Respeito a sua opinião e não sei se trabalha na área, mas se sim, quantos resultados realmente positivos e duradouros teve, depois de intervir junto dos pais de alunos problemáticos?
      Não concorda que o principal problema no que diz respeito á disciplina escolar, é precisamente a falta dela é o excesso de salvaguardas dos direitos dos alunos problematicos?
      Basta uma só maça podre para estragar toda a fruteira.

      • Obrigado pelo seu comentário.
        Concordo que a nível local estes alunos sejam bastante disruptivos, e que, o nosso sistema de educação tem inúmeros problemas. No entanto, é inegável que a nossa população tem vindo, ao longo do tempo, a ficar cada vez mais escolarizada, uma das métricas mais diretas do esforço positivo que tem sido desenvolvido.
        É certo que existem variáveis sociodemográficas que influenciam em grande medida o sucesso escolar (https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/monitor2017-pt_pt.pdf), sendo pertinente aqui citar o comissário europeu responsável pela Educação: “é demasiado frequente os nossos sistemas de ensino perpetuarem as desigualdades, é o caso quando não se adequam às pessoas dos meios socioeconómicos mais desfavorecidos e quando o estatuto social dos pais determina os resultados escolares, mantendo a pobreza e as oportunidades reduzidas no mercado de trabalho de uma geração para a seguinte”.
        Com este argumento não pretendo culpabilizar nenhuma das partes, apenas indicar que o foco do problema deverá ser as próprias famílias para que possamos conseguir, de facto, uma mudança positiva.
        Também considero que este esforço não deverá ser feito ao nível local, gerido pela própria escola, mas sim, algo proposto e disseminado pelo próprio Ministério da Educação, representando assim um esforço nacional.
        Permita-me, no entanto, discordar consigo quanto ao argumento de que “basta uma só maça podre para estragar toda a fruteira” já que, me parece que assim retira a agência pessoal de cada um nas suas decisões face às encruzilhadas na vida. Se assim fosse, não seriamos todos delinquentes ou criminosos por já termos estado em contacto com alguém nessas condições em determinado momento da nossa vida?
        Acrescento ainda, o que reconheço como uma falha na lógica do autor do texto ao qual estamos a comentar – advoga que “capacidade de flexibilidade do sistema deve aumentar sem perder o rigor e os sucessos tangíveis”, defendendo que estes alunos sejam integrados no processo menos flexível e individualizado que existe, o serviço militar obrigatório. A minha opinião não é necessariamente a de que não se deva procurar a disciplina, apenas que isso não se consegue privando os nossos cidadãos da sua liberdade. Tal seria um caminho que, considero um retrocesso na evolução do nosso país, assim como um precedente que ao ser aberto poderá assumir ramificações perversas.

    • Quais dinâmicas familiares?
      Aquelas em que os miúdos saem da escola para andarem todo o dia em más companhias,pq os pais não estão, não existem,ou estão completamente a lixar para o que esse filho anda a fazer… instituição militar JÁ,fui por opção,militar muitos anos e nada de mal me aconteceu,nem aos homens que treinei!

      • “Fui por opção” parece-me um pormenor muito importante.

        Nada contra o ingresso no serviço militar por opção, acho é inadmissível querer sonegar esse direito à liberdade de escolha a outros cidadãos.

    • Estou plenamente de acordo. Vamos usar o serviço militar como… Castigo? Isso não vai resolver problema nenhum. Há aqui várias questões a serem abordadas em questões de indisciplina e cada caso é um caso. Às vezes é necessária uma intervenção na família, outras vezes é necessária uma adaptação no currículo, outras vezes a indisciplina não passa de uma externalização de emoções que o jovem não tem capacidade para integrar, etc etc etc. Além disso também é preciso pensar que indisciplina na escola sempre houve, mas agora é mais difícil de lidar porque os alunos são muitos, os currículos são extensos e os recursos são poucos!
      Mais, a mim parece-me que o serviço militar deve ser feito por quem tem amor à pátria e quer defender a nossa bandeira e não para quem, lá está, está de castigo. As forças armadas têm o seu próprio propósito e parece-me que não é disciplinar alunos.

  12. A educação e as regras de sociedade são dadas em casa.Não arranjem desculpas ,para passar as responsabilidades dos pais para as instituições.Em democracia tem de ser igual para todos.Ou seja,o SMO ,se for activado tem de ser para todos.Não queiram colocar esta responsabilidade em cima das Instituições Militares,pois esta tem regras que a sociedade civil não compreende,e depois vão acusar os militares de serem muito rígidos e bárbaros.Na minha adolescência,quando não tínhamos aproveitamento escolar,os pais punham os filhos a trabalhar nas obras durante as férias,para sabermos o que custava a vida, e partilhávamos as despesas de casa.Castiguem os pais,quando os filhos são mal educados e tem comportamentos incorrectos,que vão ver que se começa a ter resultados muito melhores..

  13. Eu acho que o SMO deveria voltar. Não para alunos problemáticos mas para todos. O que lá se aprende fica para o resto da vida. Aprendemos a ser homens. Estive na Marinha 2 anos e sei bem do que falo.

  14. Depreendo que se referem a alunos com mais de 18 anos ou seja ADULTOS., preocupam-me muito mais os alunos -crianças- cujas aulas são minadas pelo comportamento de grupos de alunos repetentes crónicos com problemas disciplinares e que realmente impedem a maioria de aprender ou de tirar grande proveito das aulas. Estes alunos (cujos problemas são conhecidos pelas escolas) são colocados em turmas de crianças geralmente bastante mais novas, causando não só o exaspero dos professoras, como muitas vezes a total incapacidade de dar as aulas, ou cumprir o programa. Não, não acredito que seja quem for beneficie desta politica “inclusiva”, de facto ela não passa de uma política irrealista e na minha opinião absolutamente apalermada. Quando um grupo de 3 ou 4 alunos destrói a capacidade de dar aulas numa turma, esses alunos devem ser RETIRADOS da turma e colocados em turmas especialmente criadas para estas situações.

  15. De pleno acordo no meu entender o, serviço militar obrigatório resolveria muito positivamente na parte psicológica como cívica e na preparação para enfrentar o futuro com outro ponto de vista quem cumpriu o serviço militar obrigatório não está arrependido abre os olhos a uns e fecha-os a outros cumprindo todos com as mesmas regras.

  16. Foram os sortudos indisciplinados dos 45 e 50 que com sorte não cumpriram o serviço militar e apanharam bons empregos.

  17. Qual é o espanto? Quando eu assentei praça na Escola Prática de Infantaria de Mafra, em Outubro de 1969, na minha companhia foram incorporados 49 mancebos vindos de Coimbra, compelidos a fazer o Serviço Militar Obrigatório porque durante uma visita do Américo Thomaz à Universidade para inaugurar o novo edíficio das Matemáticas, tinham faltado ao respeito a este Sr. que era Presidente da República na altura.

  18. Onde posso inscrever meu, 16 rebelde falta as aulas quere e mas companhias e impõe-mos regras anda faz problema s em casa, torna-se desgastante e cansativo e a escolha kere e lhe dar ritalina e psicologos sem bens nenhum só kem passa e k sabe tudo julga mas não imaginam metade por isso agradecia se sabem um lugar com regras e disciplina de maneira de não aver muita k estão financeira ajudem me

  19. ACHO MUITO BEM O SEVIÇO MILITAR OBRIGATORIO FIZ 3 ANOS NO EXERCITO E SO ME FEZ BEM E ERA BOM PARA O PAIS EM QUESTAO DE ECONOMICA

  20. O serviço militar obrigatório; é indispensável para muitos jovens que infelizmente não têm quem lhes dê a educação suficiente para respeitar as outras pessoas.(Pois uns por mais outros por menos há pessoas que não querem ser iguais) no serviço militar aprendemos a ser todos iguais.

  21. Ir para o serviço militar não é só ser castigo. É aprender regras de higiene, a ser responsável pelo asseio da sua cama, saber que as suas ações afectam directamente o grupo, e ser compensado pelo bom cumprimento das regras. Por mais que a escola faça não pode entrar casa dentro nem estabelecer regras que se estendam para fora dos portões da escola.

  22. EU PERGUNTO: PRÁ QUE ? Para engrossar o exército de traficantes, depois que derem baixa? Será que essa gente não consegue tomar decisões coerentes, baseadas em dados e fatos, ao invés de fazer tudo com passionalidade e comoção?

  23. Concordo sim kem tem crianças rebeldes e desobedientes e k sabe o k passa em casa e na escola desafiam a autoridade e não Kerem saber de nada nem ninguém, punha o meu já hoje lá mesmo se ouvesse possibilidade

  24. Nós com o 25 de Abril nas educação escolar fomos do 8 ao 80. Hoje um professor não pode repreender um aluno, ou mesmo no caso de ele ser insultado pelo aluno , o professor tem que limitar-se a estar calado, pois arrisca-se a ter um processo disciplinar, se der uma bofetada no aluno malcriado. Antigamente um professor era visto como um 2º pai ou mãe e se repreende-se o aluno por se comportar mal, os pais apoiavam o Prof.
    O serviço militar devia ser obrigatório para todos tal como em Israel ou na Suissa durante um ano, e nesse caso os alunos problemáticos seriam disciplinados e o sentido de nação e serviço cívico seria mais coeso.

  25. Isso não faz sentido nenhum
    Serviço militar obrigatório??, No sec. 21?
    Não se pode obrigar um rapaz/rapariga de 16 ou 18 anos a entrarem para qualquer instituição militar eu era uma aluno um pouco problemático e hoje graças a professores e aos meus pais estou me a sair muito bem na vida As regras são para todos, cada caso é caso O sistema educativo é velho e não satisfaz as necessidades especiais de cada pessoa
    Em vez de culparem somente os alunos pensem na imensidade de professores e pais que se estam nas tintas para ajudarem os seus alunos/educandos.
    Estamos no séc. 21 acordem

  26. Estou de acordo que todos os alunos que abandonam a escola, que não tenham educação porque infelizmente não ouviram o que lhes foi transmitido ou não tiveram país que lhe dessem educação, então vão 6 meses para a tropa que lá aprendem as regras básicas. Nunca fez mal a ninguém à EDUCAÇÃO. Um País sem educação nunca será um País Evoluído.

  27. A tropa não resolve isso..
    o problema está na educacacao.
    A culpa è do Estado.
    Obrigam os pais a trabalhar horas a fio sem qualidade familiar..
    Obrigam as criancas a estar mais de 8 horas nas escola e ainda os obrigam a fazer tpc’s ao fim do dia.. Cortam relacoes entre pais e filhos desta forma.. Como querem que acha disciplina e educao.
    Ir para a tropa para maior parte è piorar o estado emocional e psicologico de um jovem. Saem de lá piores do que são com personalidades camufladas por conveniencia. Outros que n bebem nem fumam saem de lá bebados e fumadores.. Isso è propaganda porque já todos sabem o podre das forcas armadas.. querem ir para a tropa è concorrer para quadros..
    Não apoio de modo algum esta ideia.. o estado quer è militares de borla sem ter que ter custos com a população e estatisticas para a europa bater palmas a pensar que o Estado Portugues se importa com o povo!

  28. Não sei se riu ou choro sobre este texto. 1º. só associa maus alunos a crianças que têm problemas famíliares; 2º. indica que maus alunos poluem a escola e os outros alunos? Foi isso mesmo que eu li?; 3º. Os maus alunos só são aqueles que são mal comportados nas aulas;
    Um aviso a quem escreveu este texto, eu estou na universidade e as pessoas mais mal formadas que eu encontrei na minha vida estão nela. Não faças juizos de valor. Só porque um aluno era mal comportado na escola não quer dizer que vai ser uma pessoa mal formada. O srviço militar é para quem quer, é uma profisão como outra qualquer que necessita de vocação. Por acaso já pensaste que se fizermos isso as crianças ainda vão se sentir mais revoltadas? E se isso acontecer? O que vem a seguir? Espanca-las?
    Isso é ridiculo nunca vi tanta barbaridade e sem noção junta como neste texto. Toma sentido, em vez de propores novas atividades, menos carga horária, que é o maior problema na escola portuguesa e alguma tentativa de criar perfins profissionais de verdade para os alunos, pois uma das funções das psicologas ue vão para as escolas deveria ser essa – perceber o aluno e ajudá-lo. Dar asas à imaginação deles e ajudá-los a perceberem temas que eles gostem e que os essentivem a pesquisar por eles os mesmos. O programa curricular é que está errado, não são as crianças.

  29. Concordo com o serviço militar, mas já alguém pensou no papel da escola, já alguém pensou o que quer da escola, o sistema de hoje pelo que vejo nas minhas filhas é igual ao que tive a 30 anos a Tras, a escola está desinteressante, não motiva, nem emotiva, está desenquadrada e desajustada á realidade é as necessidades de futuro. A época fordista que que todos podem escolher a cor do carro desde que seja preto já não se usa…

  30. Se calhar..até seria uma boa opção o serviço militar em vez de os mandarem para instituições que os tratam através de medicações.

  31. Discordo, a instituição castrense não é uma casa de correção. Lá tem de estar os melhores não os insurrectos. Esses, enquanto estudantes e em idade abrangida pela escolaridade obrigatória devem ser aproveitados para realizarem trabalhos nas escolas, como jardinagem, pequenas obras de pedreiro, limpezas gerais etc… Se não querem estudar é aproveita-los para essas tarefas.

    • Julgo que sim, que ainda esta em vigor, penso que o limite é até aos 24 anos, mas a melhor forma de saber é consultar o site oficial das forças armadas que encontrará toda a informação.

  32. Não é bem assim, antes deles lá irem parar, tinham que ir os pais. Sou completamente de acordo, que todo o jovem devia passar pela tropa, homens e mulheres, agora para esta medida de alunos indisciplinados o caso é mais complexo e esta não seria uma medida que acabaria com o problema. Isto não pode ser uma medida isolada apenas para uma instituição, mas sim uma ordem orquestrada do nosso sistema, onde uma criança desde a sua nascença até virar adulto está inserida num programa de formatação a nível de carácter e disciplina constante,ninguém pode ficar de fora, rico,pobre,branco,preto, esta é a minha opinião.

  33. Claro que é uma excelente ideia, só assim será possivel chamar os jovens à atenção para o cumprimento de horários, para o sentido de responsabilidade, porque nem pais nem professores o podem fazer é maus tratos. A que reparar as definições de maus tratos e educação, falta de esclarecimento em algumas cabeças actualmente.

  34. Falam falam mas não dizem nada de geito 💪 cada tem tem um direito de fazer aquilo que quiser , ninguém pode obrigar os alunos a estudar ! Se quiseres desistir é com eles

  35. Esta juventude, ou grande parte dela, cresce irresponsável e cheios de direitos e nada de deveres tornando-se uns incómodos para a sociedade e depois fazem tretas mais ou menos graves.
    Eu era um puto de 17 anos e sem eira nem beira e foi o SMO que fez de mim um homem, actualmente, um tenente-coronel. Sofri, estudei, lutei no ultramar. Daí, sim ao SMO de pelo menos um aninho e sem semasiados mimos e então talvez voltássemos a recuperar jovens que, de outra forma só fazem m,,,,da. Sou dos que ajudou a fazer um pais melhor mas deu na porra que deu devido aos tais meninos que só vêm direitos e agora são minipolticos que têm lixado isto tudo.
    FIQUEMOS POR AQUI E VAMOS LÁ A EDUCAR OS PUTOS…

  36. O serviço militar Obrigatório nunca deveria ter acabado!! Pelo Contrário deveria haver serviço militar obrigatório para toda gente minimo 8 meses.

    Ex Militar
    Jorge Santos
    Ao Serviço Do Exercito na Bosnia Herzegovina

  37. O serviço militar como “castigo” para os maus alunos e para os mal comportados não me parece solução.
    Desvirtua a instituição militar e não creio que forme melhores cidadãos, pelo contrário.

    • A instituição militar também não é para educar os cidadãos, às vezes, vezes demais, saem de lá ladrões encartados, e com armas prontas a disparar. A escola, através de práticas pedagógicas actualizadas, existentes em alguns países da Europa, torna seres humanos, cidadãos de pleno direito e não coitadinhos, ajudando alunos e respectivas famílias por psicólogos e professores!

  38. Brutal…concordo, desde que sejam constantemente avaliados no perfil psicológico, para que não saiam de lá mais agressivos!!! Não fazer determinado dever existe uma consequência!! Uma instrução durinha para uma vida mais facilitada e dentro das regras sociais.

  39. Esta gente fala como se as instituições militares nao tivessem falhas … como se para ser homem ou defender a nossa bandeira fosse preciso andar a bater continência a um gajo que passa 6 meses a gritar comigo … maior parte desses pais trabalha 10 a 14 horas por dia para ganhar um salário digno para sustentar uma casa e por comida na mesa. Os alunos nao sao santos mas os professores e os educadores tbem nao. O ensino infelizmente nao é igual pra todos e a culpa disso e de todos. Nos como sociedade temos que nos preocupar com o que é dado nas escolas e como as nossas escolas estão a ser geridas. Isto na vida nao é so exigir (nao sei se aprendem isto na tropa) é preciso fazer qual quer coisa para mudar o paradigma

  40. Até que nem discordo, porque regra e respeito faz muita falta, seja em que estrutura for. O que espanta é ver comentários onde alertam para o reverso da moeda, e ainda bem, só quem tem conhecimento de causa o pode fazer, e espanta ainda mais ver comentários a culpar os pais, em certa medida até terão razão, mas quando vêem um pai ou mãe a dar regra a um filho, caem logo em cima com moralismos e vitimização da criança (não me refiro a casos extremos onde a criança está a ser abusada, entenda-se) e quando um catraio é mal educado, já é culpa dos pais. Decidam – se, porque educação tem que se lhe diga, tem muitos ralhetes, tem muitos nãos, tem muito puxão de orelha, e nada disso é mais admissível nesta sociedade hipócrita. Se haveria sucesso dentro d regra militar, provavelmente sim, porque a sociedade hipócrita concorda com tudo o que está longe da vista!

  41. Eu vejo cada comentario e digo para mim, é este o país que temos, as regras, os bons modos o respeito vem de casa, o problema infelizmente não é só os “adolescentes” como referem, cabe a socieadade em si que se atualize a resolver os problemas, hoje em dia passamos do oito para oitenta na liberdade de expressão, nomeadamente o 25 de Abril serviu mais a favor dos militares, porque na altura não estavam muito satisfeitos com o salario, foi tudo muito rebuscado e passado pela comunicação social como o defensor do povo poupem-me serviram-lhes mais foi só para seu beneficio, depois chega a portugal os larápios fugidos para angola. Tomam conta do governo português e o que fazem!!! Gastam o cofre português, que foi sacrificado por muitos portugueses na altura da ditadura. E vem uns badamecos com esta teoria da militização, que só serve para gastar o estado portugues. Tenham juizo paises de maior poder resolvem de outra forma menos tacanha.

  42. Não sei e desconheço as qualificações de quem escreve este texto.
    A Educação é exclusiva dos pais e mais ninguém. O Serviço Militar Obrigatório tem que se diga.
    Tem imensa gente que conheço e foi lá bater com os costados, tendo de lá saído com vícios. Ou acham que são limpinhos ? Tudo gente de moral ?
    Depois temos superiores hierárquicos que apenas sabem dar um tabefe em sujeitos desarmados e nada mais.
    Mas claro tem aqueles duros e até com o cérebro colocado e não massa bruta que pensam bem as coisas. Não são todos Rambos e sabemos que tal como na tropa fora dela a tendência para a sub-alernização impera.
    Dizem ex-militares ou militares no serviço que se aprende alguma coisa. Gostava de prestar provas de avaliação em paralelo ao nível que quisessem e nas diversas áreas.
    Querem formar gente com capacidade de raciocinar ou massas brutas ?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here