Início S.O.S

S.O.S

Oficina de Psicologia

Espaço onde toda a comunidade educativa pode solicitar ajuda sobre questões disciplinares de forma gratuita.

Seja acompanhado por profissionais especializados da “Oficina de Psicologia”.

Este espaço está destinado a subscritores ComRegras ou que pertençam a “Escolas ComRegras”


Contacto: [email protected]

(indique se preferir que o S.O.S não seja publicado)

 

5 COMENTÁRIOS

  1. Há já tantos blogs sobre os docentes e os seus problemas, pensei que o vosso se dedica-se mais um pouco aos problemas das escolas e dos não docentes, tirar algumas dúvidas publicando situações concretas, etc.
    Parece fazer falta esse local pois a página da DGAE quase nada tem apesar de alertada, quase tudo sobre docentes, estaremos errados?
    antónio zé

    • António Zé tem toda a razão, mas em 4 anos de existência de blog só recebi 4 pedidos de ajuda e 2 ou 3 denúncias… Ao longo destes anos tenho falado sobre casos concretos, cheguei a publicar participações disciplinares, abordei inúmeras situações do quotidiano docente e não docente.

  2. Diz que “em 4 anos de existência de blog só recebi 4 pedidos de ajuda e 2 ou 3 denúncias…”, será que só existiram esses casos? Ou será que a vergonha e o medo de ser retaliado falou mais alto para os professores agredidos?
    Será que há assim” tantos blogs sobre os docentes e os seus problemas”? Refere-se ao “bullying”? E cá em Portugal? Nós não encontramos NENHUM nem NINGUÉM que nos abrisse as portas … que ainda estão cerradas …

  3. Pois …. então falemos…de bullying…entre docentes…é fácil…Acham!!!!!!!!! Vou contar umas metáforas confusas, pois a realidade tem um RGPD…
    Ter alguém que exige sob outro e este, está fragilizado (tem vergonha de dizer que está doente, que sofre de transtornos emocionais, vive separações de várias ordens)… Este adulto claro que se está mal…mal fica… – Eu cá vou me retirar da batalha para ganhar outra guerra. – Em bullying entre crianças até é fácil lidar… Quero/Gostava ver como se lida com adultos, porque a subtileza é tal que eu é que sou o fraco…o incompetente…o regular na avaliação…e vindo de um elemento feminino a exercer um cargo… e tal pressão recair num elemento masculino, este é olhado como….repito-me….fraco, incompetente,…Para ajudar…este docente até comunicou a sua fragilidade…o que acontece…a dita chefia intermédia em muitos casos para ser bem vista sobrecarrega o docente que é um SER…com documentação, tarefas ingratas, morosas, desconhecidas porque ele SER vinha de outro regime autónomo… É inglório dar mas não consigo…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here