Início Escola Resultados do Inquérito | A Escola, a Família e os Trabalhos de...

Resultados do Inquérito | A Escola, a Família e os Trabalhos de Casa (2ª Parte)

224
0
COMPARTILHE

Apresento a 2ª parte do inquérito sobre os trabalhos de casa, com especial incidência na diferenciação por ciclos de ensino.

Ficha Técnica

Universo – Indivíduos da comunidade educativa portuguesa.

Amostra – Aleatória, estratificada e representativa do universo. A amostra contém um total de 1614 inquéritos preenchidos

Técnica – Inquéritos online através de redes sociais e correio eletrónico, tendo como base os Agrupamentos de Escolas Públicas, Privadas e Associações de Pais. O inquérito foi elaborado através da plataforma Google, tendo o trabalho de recolha ocorrido entre os dias 8 e 29 de novembro de 2016.

Responsabilidade do estudo: Professor Alexandre Henriques

*Os quadros em baixo apresentam diferentes valores no número de respostas, por serem específicos aos diferentes membros da comunidade educativa.

Caracterização da Amostra

1614 respostas

 

1536 respostas

 

1024 respostas

 

Respostas de professores: 1º Ciclo – 465 | 2º Ciclo – 302 | 3º Ciclo – 441 | Ensino Secundário – 307

Raramente atribuo, foi a opção mais escolhida pelos professores na atribuição dos trabalhos de casa. É no ensino secundário que os professores menos atribuem trabalhos de casa, enquanto que são os professores do 1º ciclo que atribuem trabalhos de casa com maior frequência, 3 a 4 vezes por semana.

Respostas de encarregados de educação e alunos: 1º Ciclo – 541 | 2º Ciclo – 372 | 3º Ciclo – 418 | Ensino Secundário – 265

Os encarregados de educação (e.ed.) e alunos afirmam que têm trabalhos de casa todos os dias, incluindo aos fins de semana. Novamente se constata que é nos mais novos (1º ciclo) que a frequência de trabalhos de casa é mais incisiva. Com a progressão nos ciclos de ensino, a percentagem de alunos/e.ed que afirma ter trabalhos da casa diariamente diminui significativamente, atingindo quase metade no ensino secundário (22%) comparativamente com o 1º ciclo (39%).

Respostas: 1º Ciclo – 709 | 2º Ciclo – 479 | 3º Ciclo – 597 | Ensino Secundário – 409

Todos os ciclos de ensino apontam  os 15 a 30 minutos como duração média para a realização dos trabalhos de casa, porém é no 1º ciclo que essa duração é mais vincada. No entanto, no ensino secundário, 20% dos inquiridos refere que demora mais de 60 minutos na realização dos trabalhos de casa, 4 vezes mais que os alunos do 1º ciclo (5%) e o dobro dos restantes ciclos (11%).

1066 respostas de professores.

O principal motivo pelo qual os professores atribuem trabalhos de casa é para criar hábitos de estudo (66%), seguido do fomento pela autonomia do aluno (53%). Constatamos também que os professores não atribuem trabalhos de casa com o intuito de compensar qualquer atraso do aluno relativamente aos colegas (4,5%).

532 de encarregados de educação.

É no 1º ciclo que os encarregados de educação mais controlam os trabalhos de casa e é também no 1º ciclo que a sua presença é mais efetiva na realização destes.Com o tempo, os encarregados de educação vão se afastando, controlando a realização dos trabalhos de casa apenas perguntando se os seus educandos o realizaram. É no 3º ciclo que se efetiva o maior distanciamento dos encarregados de educação no controle aos trabalhos de casa.

1067 respostas

Professores e encarregados de educação concordam que os trabalhos de casa atribuídos, tendo como premissa o esforço despendido, são proporcionais. No entanto, nos extremos (reduzidos/excessivos), as opiniões são claramente opostos, sendo visível que os encarregados de educação acham os trabalhos de casa proporcionais, mas com tendência para serem um pouco excessivos no que ao esforço diz respeito.

1154 respostas

Existe uma clara diferença na forma como professores e encarregados de educação encaram os trabalhos de casa atribuídos. Os professores consideram uma tarefa natural, que não perturba os alunos (77,7%), enquanto que os pais, por uma margem de 5 pontos percentuais, apontam os trabalhos de casa como uma tarefa exigente, causadora de stresse mas suportável. É visível no gráfico que os trabalhos de casa não são causadores de grandes perturbações.

1152 respostas

Apesar da aceitação aos trabalhos de casa em diferentes parâmetros, nota-se uma clara preocupação quer de professores, quer dos encarregados de educação para que no futuro os trabalhos de casa sejam limitados na duração do trabalho exigido. Relembro que a duração média mais referida para a realização dos trabalhos de casa foi entre 15 a 30 minutos.

 

1067 respostas

A questão da dimensão/complexidade dos programas foi no passado referida frequentemente como um dos motivos pelo qual os trabalhos de casa deviam ser reduzidos/abolidos. Quer professores, quer os encarregados de educação não concordam com essa dedução, mas a diferença para o “não” e “em parte” não fica muito distante.

1181 respostas

A elevada carga letiva dos alunos foi outro dos aspetos referidos como motivo para a redução/abolição dos trabalhos de casa. Confirma-se essa preocupação quer dos professores quer dos encarregados de educação, com maior incidência nos encarregados de educação.


Conclusões:

  • Existe uma clara diferença entre o que os professores afirmam, quanto à frequência dos trabalhos de casa e o que os encarregados de educação constatam. Convém ressalvar que a partir do 2º ciclo termina a monodocência, o que pode justificar esta diferença pois apesar dos alunos não terem aulas todos os dias com os mesmos professores e estes só atribuíram trabalhos de casa de vez em quando, os alunos podem levar diariamente trabalhos para casa.

 

  • O tempo médio despendido para a realização dos trabalhos de casa é de 15 minutos a 30 minutos.

 

  • Os professores atribuem trabalhos de casa para incentivar em primeiro lugar, a criação de hábitos de estudo.

 

  • É no 1º ciclo, que os alunos têm mais trabalhos de casa e que os encarregados de educação mais acompanham os seus educandos.

 

  • Os trabalhos de casa atribuídos são proporcionais quanto ao esforço exigido, não são perturbadores, mas devem ser limitados no futuro quanto à sua duração do trabalho exigido.

 

  • A elevada carga letiva dos alunos, pode, em parte, ser um problema quando associada aos trabalhos de casa.

Podem consultar a 1ª parte deste estudo aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here