Início Escola Reposicionamento dos professores | Dois exemplos de ultrapassagens

Reposicionamento dos professores | Dois exemplos de ultrapassagens

4164
9

Ponto prévio. Os professores não têm culpa, nunca fui apologista da ideia que só estou bem quando os outros estão piores ou iguais a mim. Devemos todos lutar por um nivelamento por cima e não o seu contrário. Julgo por isso não fazer qualquer sentido atirarmos culpas ou zangarmo-nos com os nossos colegas/amigos. Fiquem felizes por eles, eu fico, ou pelo menos tento…

Porém, a culpa não deve morrer solteira, os culpados têm nome e cara, o Ministério da Educação e os sindicatos que digam presente pois sempre souberam que isto iria acontecer.

Vamos a factos…

Só o aparecimento de concursos extraordinários é motivo suficiente para uma certa azia na classe docente, pois centenas/milhares de vagas foram “guardadas” para certos professores, quando o que deveria ter acontecido era a disponibilidade de todas as vagas a todos os professores, onde a recuperação automática traria critério e justiça às suas colocações, respeitando-se assim a tão famosa e pedida “fila indiana”…

O reposicionamento tem causado uma revolta ainda maior nos professores, os dois exemplos que constam no esclarecimento da DGAE, provam que vão surgir inúmeras ultrapassagens, ou seja, inúmeras injustiças.

Quantos de nós tem o mesmo tempo de serviço (tirando congelamento) e continua no 1º/2º escalão???

Além disso, também recebi a informação que quem vinculou nas ilhas não terá acesso a este reposicionamento.

Este reposicionamento torna-se assim em mais um prego no caixão da motivação docente, uma motivação que já anda pelas ruas da amargura…

E todos nos lembramos que quem leciona na Madeira irá receber os 9-4-2 anos congelados e o resto dos docentes vai ficar pelos 2-9-18 e de forma faseada…

Resta-me por isso perguntar... Onde está a equidade? Será tudo isto constitucional???

Alexandre Henriques

Reposicionamento da Carreira nos termos da portaria N.º 119/2018

 

COMPARTILHE

9 COMENTÁRIOS

  1. Confirmo : os professores não têm culpa!
    Mas vamos agora aos factos, só que ao contrário.
    1°: os professores que ingressaram na carreira antes de 2011, eram reposicionados no escalão correspondente ao tempo de serviço. Ex : um professor que ingressou em 2009 com 5 anos de serviço era posicionado no 2 escalão, e o seu vencimento era o correspondente a esse escalão.
    2. Os professores que ingressaram em 2011, mesmo com muito mais anos de serviço, ficaram no 1 escalão, posicionados abaixo dos colegas referidos no exemplo anterior .
    Pergunta: porque é que os colegas que agoram acham que vão ser ultrapassados não se preocuparam com esta situação? Ah! Pois é!
    Mas confirmo: a culpa não é dos professores, so que era bom não olharmos apenas para o nosso umbigo!

    • Falemos então de mais injustiças. Professores que entraram em quadro antes de 2011, gastaram 3/4 anos do seu tempo de serviço para passar do 151 para o 167… Professores que eram contratados antes de 2011 ganhavam pelo índice 151 e não pelo 167 como (felizmente) acontece agora.

    • O que diz é mentira eu entrei na carreira docente em 2008, já com mais de 5 anos de serviço e ainda hoje estou no 1 escalão

  2. Pois!Todos temos sido sofrido injustiças, de alguma forma.
    Por isso é que não devíamos estar uns contra os outros.
    Agora são uns injustiçados, ontem foram outros e amanhã serão outros. E não é a contar o número de injustiças de cada um, ah e tal, nós temos mais que vocês, que vamos resolver o que seja.

  3. Nada como a lista única e as vagas todas a concurso. Só assim se acaba com as ultrapassagens absurdas e estas guerrinhas entre os colegas. Dantes era assim e os problemas eram raros.

  4. Se essas ultrapassagens pelo menos não tivessem qualquer influência na minha carreira, ainda podia resignar-me: ” têm menos tempo de serviço que eu, vão para um escalão superior ao meu e ganhar mais mas não me prejudicam, ok paciência”. Mas nem sequer é esse o caso!!!
    Não nos podemos esquecer que em 2 escalões existem vagas que apenas dependem do tempo de serviço NESSE escalão. Ou seja, milhares de colegas com menos tempo de serviço vão ultrapassar-me e qd chegar ao 4o escalão terei todos à minha frente à espera de vaga para mudar de escalão, dificultando extremamente mais a minha possibilidade de acesso à vaga para mudar de escalão!!! E tudo porquê? Por ter entrado mais cedo na carreira??? Onde está a mínima lógica nisto??

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here