Início Notícias Proposta de Calendário Escolar para 2017-2018

Proposta de Calendário Escolar para 2017-2018

252486
20
COMPARTILHE

A novidade é que o Pré-Escolar vai terminar ao mesmo tempo que o 1º Ciclo, porém, continuam a ser os mais novos a permanecer mais tempo nas escolas. É o que chamo calendário a tempo inteiro…

Aulas começam entre 8 a 13 de setembro.

Calendário Pré-Escolar, Básico e Secundário

1º Período
Início: 8-13 Setembro 2017
Término: 15 Dezembro 2017

2º Período
Início: 3 de Janeiro 2018
Término: 23 de Março 2018

3º Período
Início: 9 de Abril 2018
Término:
6 Junho 2018 – alunos do 9º, 11º e 12º anos.
15 Junho 2018 – alunos do 5º, 6º, 7º, 8º e 10º anos.
22 Junho 2018 – alunos dos 1º, 2º, 3º e 4º anos.

Férias (Interrupções das atividades letivas)

  • Natal: 16 de Dezembro de 2017 a 2 de Janeiro de 2018
  • Carnaval: 12 e 13 de Fevereiro de 2018
  • Páscoa: 24 de Março de 2018 a 8 de Abril de 2018

Datas de Provas e Exames

Provas de Aferição do 2º Ano

  • Português – 15 de Junho 2018
  • Matemática – 18 de Junho 2018
  • Estudo do Meio – 18 de Junho 2018
  • Expressões Artísticas – 2-10 Maio 2018
  • Expressões Físico Motoras – 2-10 Maio 2018

Provas de Aferição do 5º Ano

  • Português – 8 de Junho 2018
  • Educação Musical – 21-30 Maio 2018
  • Educação Visual e Tecnológica – 21-30 Maio 2018

Provas de Aferição do 8º Ano

  • Educação Visual – 21 Maio-5 Junho 2018
  • Educação Física – 8 de Junho 2018
  • Matemática – 12 de Junho 2018

Provas Finais do 9º Ano

  • Português (Língua não materna) – 19 de Junho 2018
  • Português – 22 de Junho 2018
  • Matemática – 27 de Junho 2018

Exames Nacionais do 11º Ano

  • Filosofia – 18 Junho 2018
  • Latim – 19 Junho 2018
  • Física e Química – 21 de Junho 2018
  • Geografia – 21 de Junho 2018
  • História da Cultura e das Artes – 21 de Junho 2018
  • Matemática – 25 de Junho 2018
  • Biologia e Geologia – 26 de Junho 2018
  • Economia – 26 de Junho 2018
  • Inglês – 26 de Junho 2018
  • Francês – 26 de Junho 2018
  • Espanhol – 26 de Junho 2018
  • Alemão – 26 de Junho 2018
  • Geometria Descritiva – 27 de Junho 2018
  • Literatura Portuguesa – 27 de Junho 2018

Exames Nacionais do 12º Ano

  • Português – 19 de Junho 2018
  • Desenho A– 22 de Junho 2018
  • História A – 22 de Junho 2018
  • História B – 22 de Junho 2018
  • Matemática A – 25 de Junho 2018

Educação. Aulas do próximo ano letivo arrancam entre 8 e 13 de setembro

(Ana Petronilho – Jornal I)

De acordo com a proposta de calendário escolar do governo – a que o i teve acesso – que aguardar parecer do Conselho de Escolas e da Associação Nacional de Municípios, o pré-escolar vai ser ajustado ao ano letivo do 1º ciclo. As atividades letivas destes dois anos escolares terminam no mesmo dia, a 22 de junho de 2018.

As restantes datas do calendário escolar são semelhantes às deste ano. O 1.º período do ano letivo termina a 15 de dezembro e o 2.º período arranca a 3 de janeiro e termina a 23 de março de 2018, com o domingo de Páscoa marcado para dia 1 de abril.

No próximo ano, os alunos do 2.º ano vão realizar provas de aferição às disciplinas de Estudo do Meio e Português ou a Matemática, havendo duas datas previstas: para 15 de junho ou para 18 de junho. Já as provas de aferição para os alunos 5.º ano serão de Português, a 8 de junho, e de Educação Visual ou Educação Visual e Tecnológica, com data proposta entre 21 e 30 de maio.

Os alunos do 8.º ano vão ter provas marcadas a Matemática, no dia 12 de junho, e a Educação Física ou Educação Visual, cuja data será entre 21 de maio e 5 de junho.

Já os alunos do 9.º ano vão realizar (na 1.º fase) a prova final a Português (com peso na nota final dos alunos) no dia 22 de junho e a matemática no dia 27 do mesmo mês. A 2.ª fase das provas destes alunos vão decorrer a 20 de julho e a 23 de julho. 

Para os alunos do secundário, a 1.ª fase dos exames nacionais (obrigatória) estão marcados entre 18 de junho e 27 de junho, seguindo-se a 2ª fase das provas entre 18 de julho e dia 23 do mesmo mês. Mas nesta fase apenas podem resolver os exames os alunos que foram impedidos de resolver as provas por motivos de doença, devidamente justificada.

autarquias propõem ao ministério protocolo

A proposta do ministério da Educação é hoje alvo de análise e discussão dos municípios. Um dos pontos discutidos diz respeito às atividades letivas, refeições e transportes dos alunos do pré-escolar e 1.º ciclo durante parte do período das férias de Natal, da Páscoa e do verão.

Todas estas despesas são da responsabilidade das autarquias, que recebem financiamento do ministério da Educação para que sejam asseguradas. No entanto, os municípios querem dividir estas responsabilidades com o ministério. “O despacho deixa de garantir as atividades educativas nos estabelecimentos de educação do pré-escolar” e “deixa de garantir um período máximo de cinco dias úteis de interrupção letiva na altura da Páscoa e do Natal”, avisam.

COMPARTILHE

20 COMENTÁRIOS

  1. Mais uma vez o 1 ciclo chicoteado e ninguém fala nisso nem luta para que acabe igual aos outros ciclos.
    Desrespeito pelos ptofessores que já estão sobrecarregados durante o ano e a carreira, vergonhoso!!!! Coloquem camas na escola para os professores cuidarem dos meninos também à noite.
    Qual a opinião desta falta de ética Alexandre?

  2. Não percebo porque têm os professores de ter tão alargado período de férias. As férias são 22 dias úteis por ano para os restantes trabalhadores que trabalham 40 horas semanais!!!!!!

    A política de dar benesses a determinados grupos sem justificação técnico científica é vergonhosa.

    • Não vejo ninguém a reclamar por os professores passarem horas a corrigir testes no horário pós laboral. Um professor com 6 turmas de 20 alunos tem, cada vez que dá teste, 120 testes para corrigir e cotar. Em nome de uma correção cuidada e bem realizada demora pelo menos meia hora, de horário PÓS LABORAL, a corrigir cada teste. Multiplique isso pelos 120 alunos, pelo menos 2 vezes por período, meia hora cada e diga-me quantas horas trabalha efetivamente um professor. Junte a isso as reuniões para acompanhamento dos alunos que precisam de atenção extra, ou porque têm dificuldades ou por questões de indisciplina, que se realizam sempre em horário PÓS LABORA. Junte a isso mais… e mais… e mais…
      Tenham vergonha!!

      • Bom dia e bom ano. Vi o seu comentário e concordo com o que diz apenas e só para os alunos do 1º ciclo (1º ao 4º ano) em que o docente está a realizar o seu trabalho entre as 9h e as 17.30h salvo erro. Ora isto dá cerca de 7h de trabalho por dia, reduzindo o tempo para o almoço, sobra apenas 1h para dedicar às actividades que refere: apoio a alunos com dificuldades, lectivas ou de disciplina, atendimento regular aos pais, correcção de provas e por ai fora. Neste ponto concordo consigo, o tempo laboral não chega. Quanto aos professores do 5º ao 12º não concordo de todo consigo. No meu tempo, e mesmo do que vejo agora, o tempo que os professores estão dentro da sala a realizar o seu trabalho são cerca de 3 ou 4h por dia, haverá dias com mais 1h ou 2h, outros com menos 1 ou 2h, seja de inglês, português, matemática ou outra. Não acredito que do tempo que sobra não consigam corrigir avaliar as provas dos alunos dentro do horário laboral.

    • O seu comentário é tão estúpido que nem merece qualquer resposta. Se calhar devia estar preocupado com os “chulos do Estado” que se matriculam numa escola apenas para angariarem clientes para a droga.

    • Bem se vê que não tens ninguém da tua família a lecionar senão terias uma ideia mais exata da asneira que estás a dizer

  3. Não entram em férias quando o ano lectivo termina mas vão a uma por dia, 2 horinhas e no início de julho já estão prontos para estar na praia, querem melhor vidinha do que a vossa??

    • Vê-se que fala sem conhecimento de causa… férias só em Agosto… o mês mais caro, mais confuso… trabalho ao fim de semana com fartura ao longo de todo o ano letivo… bem em julho quem não corrige exames já não trabalha ao fim de semana… é realmente necessário abrandar o ritmo em julho e nas pausas letivas, mas não estamos de férias… procure acompanhar o ritmo de um professor que trabalha todos os dias durante o dia e depois à noite e depois ao fim de semana… e que encara falta de educação por parte dos meninos e dos seus pais diariamente (e claro que tem a sorte de ter alunos educados para lhe darem força e vontade de continuar) e depois diga se é boa vida… tente saber mais sobre aqueles que vivem a centenas de km de casa e da sua família sem receber qualquer ajuda de custo para pagar uma segunda casa e viagens… talvez o melhor seja tornar-se professor e depois poderá falar!

  4. As crianças em Portugal estão sobrecarregadas com excesso de aulas, excesso de tempo passado na instituição escola. Vida familiar, onde está? Como se educam as crianças sem estar com elas? Como aprendem por modelamento se não podem observar a familia em interacção? Tempo para outras actividades e, até, como alertam todos os especialistas, para dormir? As AEC’s são a maioria das vezes, mais do mesmo. Desenvolvimento psicomotor, como?! Depois são hiperactivos e outras coisas que tal! E as férias? Porque nos empurram para Agosto? Ao menos os primeiros 15 dias de Setembro, não?!
    Discordo disto em absoluto. Não sou professora, nem tenho qualquer relação com a actividade, mas defendo temos o direito e a obrigação de estar com as crianças que colocamos neste mundo. Se calhar, a resposta não é enfiá~las nas escolas todo o dia, mas libertar as famílias…

    • Concordo em pleno com esta Sra.A culpa disto e do Ministerio da Educacao. Os miudos ficam saturados da escola e penso que os professores tambem….Ninguem e de ferro….Algo nao funciona bem no nosso sistema educativo.nao devemos apontar o dedo aos professores, que muitas vezes nao trabalham nas melhores condicoes, e prescindem de muito a nivel pessoal e familiar para cumprirem as suas funcoes.Desculpem a pontuacao ,nao consigo colocar pontuacao neste tablet….

  5. Na Suiça, por exemplo, o ano letivo começa no mês de agosto e termina no começo do mês de julho. As férias de verão duram, aproximadamente (dependerá do cantão) 5 semanas, mas atenção, há 2 semanas de férias de outono, 2 semanas durante o período do natal/ano novo, 2 semanas de férias de inverno em fevereiro e mais 2 semanas de férias de primavera!
    São 13 semanas de férias no total!
    As crianças entram no ensino básico aos 7 anos e não aos 5 e 6 anos como as nossas.
    Consulte-se e reflicta-se: https://www.homeaway.pt/info/ideias-ferias/ferias/ferias-escolares-europeias

    • Penso que como em França. No entanto os professores franceses limitam-se a dar apenas aulas. Recebem o horário na véspera das aulas, dão as aulas e vão para casa. Todo o trabalho burocrática é feito pela estrutura do Ministério Francês. Aqui existe uma carga burocrática medonha sobre os professores.

  6. Trabalho mais horas durante o verão, na escola, até ao início das férias do que durante o tempo letivo. Quem pensa que os professores estão em férias durante as interrupções desconhecem completamente a quantidade de trabalho distribuída. Claro que quem tem mais responsabilidades nas escolas trabalha mais do que um professor com poucos anos de serviço e com menos responsabilidades. Claro que existem alguns períodos de descanso concedido pelas direções das escolas, sobretudo quando há sobrecarga de trabalho aquando de avaliações, exames, provas de aferição etc, que normalmente não ultrapassa um ou dois dias.
    Desde já vos digo, aos ignorantes, que neste momento se trabalha MUITO mais nas escolas do que à quarenta anos atrás.
    Para concluir, como responsável pela rede informática da escola cheguei a trabalhar nas interrupções letivas das 9 às 17 como qualquer trabalhador e não era obrigado. Apenas queria deixar a rede a funcionar corretamente para o período seguinte.

  7. Eu como encarregada de educação não só vejo o lado dos professores mas sim o meu e do meu educando carregados com o horário escolar e ainda ao final de cada dia escolar de trabalhos de casa. Sinto-me revoltada com o ministro da educacao. Nos assim não vamos ter crianças com enteresse escolar mas sim revoltados e fartos de estudos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here