Início Escola Professores mostram determinação e cancelam centenas de conselhos de turma de avaliação

Professores mostram determinação e cancelam centenas de conselhos de turma de avaliação

7962
81
COMPARTILHE

Apesar da comunicação social teimar em só falar na greve a partir do dia 18, a verdade é que muitas escolas têm tido as suas reuniões canceladas. Números oficiais são difíceis de obter, mas após alguns telefonemas e de contactar o S.TO.P, além de analisar as redes sociais, concluo que a greve às reuniões de avaliação está com grande força e nota-se uma organização entre professores que raramente acontece.

Isto não é por acaso, as palavras de Tiago Rodrigues ao dar o dito por não dito, ao ignorar o compromisso assumido, foi um autêntico tiro nos pés, originando um sentimento de indignação e revolta muito grande na sala dos professores, lembrando os tempos de Maria de Lurdes Rodrigues.

Não é por acaso que a ILC teve um pico de assinaturas logo após as declarações do Ministro (obrigado Sr. Ministro…)

Se somarmos a isso, a mentira dos 600 milhões de euros, que na realidade (descontando impostos, etc) não ultrapassa os 350 milhões, bem como os 35 mil milhões de euros que o Estado pagou em juros da dívida e os 23 mil milhões que foram pagos à banca nos últimos 10 anos, etc. As lamentáveis declarações de Fernando Medina, que falou em pagamento de retroativos, enquanto Judite de Sousa ouvia sem nada dizer (!?) e que levou o próprio a reconhecer o erro…

As lamentáveis declarações de Miguel Sousa Tavares e que a comunicação social continua a subscrever, em que os professores sobem mais rápido que a restante função pública, de 4 em 4 anos, IGNORANDO que existem 10 escalões na carreira docente, o que obriga a esperar 40 anos (sem congelamentos e travões no 4º e 6º escalão)até atingir o topo da carreira. Foi o rastilho para os professores darem um murro na mesa e tomaram uma posição de força!

Felizmente que a Fenprof, através do SPN, já veio reconhecer a greve que está a decorrer, apesar das sms que foram enviadas a dizer o contrário e de alguns diretores teimarem em dizer que a Greve é ilegal…

(Esses diretores preparem-se, vão ter a inspeção à perna pois isso foi dito ao S.TO.P pelo próprio Ministério da Educação…)

Comunicado do SPN de 6 junho:
“No dia 4 de junho, na reunião realizada no ME, a Fenprof veio a verificar que o governo não suscitou a ilegalidade do pré-aviso de greve entregue pelo STOP, pelo que os professores que a ela aderirem não incorrem em qualquer penalização disciplinar.”

Nesta situação, havendo coincidência de objetivos na convocação desses dois momentos de greve, penso que, nas escolas onde os colegas se mobilizarem para a greve antes do dia 18, essa mobilização deverá ser apoiada para não prejudicar a sua adesão à greve por nós marcada, sem prejuízo de explicarmos todo o contexto que determinou a decisão da Fenprof, que acima de tudo privilegiou o processo de unidade que tanto custou a construir e de que muito vamos precisar nesta luta que se prevê venha a ser longa e difícil.

Resta-nos continuar a luta, assinar a ILC que está a andar muito bem, e esperar que a comunicação social ACORDE e noticie o que está a ocorrer.

Ficam o nome de algumas escolas que fizeram greve na totalidade ou parcialmente:

Agrupamento de Escolas nº 3 de Elvas

Agrupamento de Escolas Dr. Mário Sacramento. Aveiro

Agrupamento de Escolas de Paços de Brandão, Santa Maria da Feira

Escola Básica Dr. Joaquim Magalhães – Faro

Escola Artística de Soares dos Reis – Porto

EB 2 3 Professor João Cónim, Estômbar Algarve

Escola básica e secundária Amélia Rey colaço, linda a velha

Escola Básica D. Martinho Castelo Branco – Portimão

EB23 de Aver-o-Mar

Agrupamento de Escolas de Alcochete

Sande, Marco de Canaveses

Agrupamento – Escola Bemposta Portimão

Escola Básica Dr. Costa Matos

Agrupamento de Escolas D. Pedro IV – “A Ribeirinha”

Mindelo – D. Pedro IV

E. B. 2,3 Gil Vicente em Guimarães

Agrupamento de Escolas de Perafita, Matosinhos

Escola Secundária de S. Pedro da Cova

Agrupamento Amadeo Souza-Cardoso, Amarante

Secundária Paços Ferreira

Escola básica com secundário de Arcozelo- Ponte de lima

Escola Dr António Granjo em Chaves

EB António Bento Franco da Ericeira

Escola Dr. Manuel Laranjeira em Espinho

E. B. 2,3 Paço de Sousa

Secundária de Ponte de Lima

Secundária de Miraflores

Agrupamento de escolas da Bemposta

Escola Secundária da Ponte da Barca

Agrupamento Escolas D. Dinis

Cabeceiras de Basto (não se realizaram reuniões)

Escola Secundária Jerónimo Emiliano de Andrade, Angra do Heroísmo – ilha Terceira

Agrupamento de Escolas do Cerco do Porto

Agrupamento de Escolas de Barcelos

Agrupamento de Escolas de Arronches

Agrupamento escolas de búzio, vale de cambra

Escola Básica e Secundária Giacometti

Agrupamento Edgar Gageiro

Escola secundária Emídio Garcia, em Bragança

Agrupamento de Valongo

Agrupamento vertical de Redondo

Escola Secundária de Estremoz

Agrupamento de escolas de Rio Tinto

Escola secundária de Carlos Amarante em Braga

Agrupamento de escolas de Miranda do Douro

Agrupamento de escolas de Montelongo

Escola secundária de Amarante

Escola Secundária Camilo Castelo Branco

Escola João de Meira

Agrupamento de Escolas de Santa Maria Maior Viana do Castelo

Agrupamento Dra Laura Ayres – Quarteira

Escola Secundária de Figueira de Castelo Rodrigo

Fonte: S.TO.P


Ficam também dois documentos que podem ajudar na organização da greve

COMPARTILHE

81 COMENTÁRIOS

  1. Acresce o Agrupamento n.º1 e n.º 2 de Beja – taném não se estão a realizar muitas das reuniões.

    Há muitos professores mobilizados para a greve e querem fazer mas questionam a visibilidade da greve, o fato do sindicato nem uma pagina oficial ter (têm apenas uma miserável página de facebook), de não se conseguir chegar a eles – parece uma coisa muita amadora. Pois bem, o que lhe venho pedir aos colegas que através dos blogs têm visibilidade, como o Alexandre Henriques, o Paulo Guinote, o Arlindo e outros que, caso consigam falar com alguém do STOP (nós não encontramos forma de contactar com eles sem ser pelos comentários da página de facebook e isso não é forma de abordar esta situação com profissionalismo) lhes digam que eles tem de sair do facebook, tem de dar uma conferencia de imprensa, tem de dar a conhecer os dados da greve, tem de dar apoio aos professores que se lançaram de cabeça nesta guerra. E se possível, que os vossos blogs dêem uma ajuda nesta divulgação, como este está a fazer – mas era importante que isto aparecesse também nos outros blogs e essencialmente na comunicação social para que isto não morra, porque se não houver feedback, a greve morre.

    • Colega pode mandar mensagem privada na página do Facebook do S.T.O.P. . Já enviei comuniquei várias vezes com eles e são céleres a responder. Acho que é importante que eles tenham essa informação. No entanto, temos de continuar a lutar, os professores se estiverem unidos não precisam de sindicatos. Lutemos pelo respeito e pela justiça que merecemos.

    • O STOP tem dado diariamente informação à comunicação social que só ontem começou a dizer alguma coisa. O STOP é um jovem sindicato com 4 meses de vida e já mostrou a diferença. Ainda não tem é aparelho (sedes) e meios de comunicação melhores (site) mas tem aquilo que falta aos outros: disposição de lutar seriamente pelos direitos dos professores. Através do mail: [email protected] e de telefone pode ser contactado direta e pessoalmente.

  2. Esclarecimento da DGESTE sobre a remarcação das Reuniões de Avaliação:
    Até 48h, como consta do 23º 1f/2016, lei específica (não reporta à lei geral o, CPA).

  3. Não se esqueçam colegas dos blogs – vocês podem dar uma ajuda preciosa a isto mas especialmente se alertarem ou ajudarem o STOP a dar o passo rapidamente – tem de fazer uma pagina oficial, tem de recolher os dados oficialmente e irem para a comunicação social e rapidamente – isto não pode morrer

  4. Fui informado por Colegas que na Secundária de Fafe, onde trabalho, no período da manhã não se fez uma única Reunião de Avaliação. De tarde houve até às 15:00 mais ou menos uma Reunião realizada, o que se lamenta, mas o que destaco e com agradecimento meu aos Colegas é o que se verificou no turno da manhã. Que continue assim até ser necessário, pela Lei, pela Verdade, pela Justiça e pelo dever de cumprir a palavra dada e o Acordo firmado em 18/11/2017

  5. No Agrupamento de Escolas de Vila Real de Santo António ainda só foram realizadas 2 reuniões. As restantes foram remarcadas, algumas com menos de 24 horas de antecedência.

  6. Agrupamento de Escolas Francisco de Holanda, Guimarães – não se realizou nenhuma das reuniões de
    9º, 11º ou 12º anos.

  7. Escola básica Integrada de Ponta Garça -São Miguel – Açores
    Dia 4 – Greve às reuniões de avaliação = 100%
    Dia 5 – Greve às reuniões de avaliação = 100%
    Dia 6 – Greve às reuniões de avaliação = 100%
    Já a preparar o calendário da próxima semana.

  8. Escola Secundária D.Manuel I, Beja – das 7 reuniões dos 11º e 12º anos marcadas para ontem e para hoje, apenas uma se realizou.

  9. Agrupamento Mário Fonseca – Lousada… Nenhuma reunião realizada (Duas escolas secundárias: Lousada Norte e Nogueira)

  10. Escola Básica e Secundária de Santa Maria (Açores) 100% de adesão à greve com exceção das reuniões de 11.° ano e 12.° ano. A greve que se aplica aqui na região convocada por um sindicato regional dececionou essas reuniões.

  11. Convém reforçar ao sindicato STOP o que ele já sabe. Que esta mobilização é pelo tempo de serviço. Apesar da base deles serem os professores das AEC (que respeito e merecem que lutem por eles) mas quem está a fazer greve são maioritariamente professores dos quadros que é quem lecciona normalmente estes anos. Que não os decepcionem.

  12. Agrupamento de Escolas Professor António da Natividade – Mesão Frio – 0 reuniões realizadas – os bravos vão continuar a luta!!!!

  13. as vagas para 5º e 7º escalões impedirão 75% dos profs de passar para além do 6º escalão…não vislumbro o automatismo que tanto falam…

  14. Agrupamento de Escolas Professor Agostinho da Silva, em Casal de Cambra – Sintra (não se fizeram as reuniões de 9.ºano).
    Abraço

  15. Escola Secundária Ferreira Dias , Agualva- Sintra também está em greve às avaliações. Algumas reuniões já estão remarcadas para dia 8 e dia 11.

  16. Agrupamento de escolas Joao de Barros (Escola Secundária Joao de Barros). Nao se ralizaram as reuniões do 11 ano.

  17. Primeiro dia de reuniões na Escola Secundária de Barcelinhos, Barcelos: 0 reuniões realizadas.
    Greve a 100%

  18. Agrupamento de Escolas de Escariz (Arouca): quarta, realizaram-se duas, uma greve; quinta – 100% greve; Hoje – 100% greve!

  19. Agrupamento de de escolas de Vialonga : dia 7 – 100% de adesão às reuniões de 9 ano. Hoje dia 8 já está tudo organizado para nenhuma se realizar

  20. É com um misto de orgulho pessoal e vergonha na classe que informo que, na E. S. de Carcavelos, não se realizou pelo menos uma reunião, mas não há qualquer organização no sentido de dar expressão a esta greve, nem há mesmo conhecimento dela por grande parte dos professores.

  21. Escola Secundária D.Manuel I – Beja : terceiro dia de reuniões, terceiro dia de greve – dez marcadas, apenas uma realizada (a primeira, por falta de informação dos professores do Conselho de Turma).

  22. Agrupamento de Escolas de Águas Santas – Maia:
    dos 23 Conselhos de Turma marcados para ontem e hoje, realizaram-se só 3 (do 12º ano)!!
    Está a ser organizada a escala para as reuniões que estão/vão ser remarcadas para a próxima semana, assim como para os Conselhos a partir do dia 18.

    É PARA INSISTIR E RESISTIR!!!

  23. Agrupamento de escolas Aquilino Ribeiro, Oeiras- 100% de adesão. Vamos para a 3ª convocatória sem se realizar nenhuma.

  24. Agrupamento de Escolas D.João II
    Nenhuma reunião do 9.º ano se concretizou até 15 de junho, apesar de muita pressão/ameaças do diretor alegando o CPA/processos disciplinares/envio de NIF e dados dos grevistas para MEC. Não assume nada por escrito!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here