Início Escola Parlamento irá estudar a adoção de manuais escolares digitais.

Parlamento irá estudar a adoção de manuais escolares digitais.

115
3

Menos peso nas mochilas, manuais acessíveis a todos, custos reduzidos, “reutilização” do manual, são seguramente vantagens que não devem ser ignoradas. Porém, o “sentir” o livro e respetivo gosto pela leitura poderá ser afetado e muitas escolas não estão equipadas com computadores/tablets disponíveis para todos os alunos.

Eu que sou um fã da tecnologia, fiquei um pouco de pé atrás, acho bem que se estude e pondere os prós e contras de uma medida tão radical.

Parlamento de acordo no princípio de estudar adopção de manuais escolares digitais

(Público – Maria Lopes)

Os deputados aprovaram esta sexta-feira a proposta do PEV para o “fomento e generalização da desmaterialização dos manuais escolares”, apenas com a abstenção do CDS. O projecto de lei limita-se a inscrever o princípio do recurso a manuais escolares digitais numa alínea do regime de avaliação, certificação e adopção dos manuais, e Heloísa Apolónia argumentou que a forma como se vai concretizar efectivamente esse princípio será alvo de discussão futura.

COMPARTILHE

3 COMENTÁRIOS

  1. Ainda e sempre a tecnologia e para os seus indefectíveis… Com a devida vénia ao jornal ” Observador” e à autora, Ana Cristina Marques. Todo o texto poderá ser lido no ”Observador”: ”Há uma geração que não desliga. iAgora?”

    E está também la algo de fundamental, e preocupante, em relação ao conhecimento e ao uso das novas tecnologias…
    ”…Há muitos jovens que acabam por dar a justificação de que não precisam de saber isto ou aquilo, porque basta ir a um motor de pesquisa que a informação está lá, à distância de um clique e legível em qualquer ecrã. A farpa é lançada por Ivone Patrão que, sem hesitar, afirma que a forma de estudar de hoje em dia é bem diferente daquela protagonizada por gerações anteriores. Já não basta ficar-se pelo manual de estudo e pelos apontamentos tirados em aula, porque no Google está toda a história e/ou ciência. “A preocupação é diferente”, esclarece a psicóloga e terapeuta familiar.

    Não é por isso, no entanto, que as novas tecnologias deixam de ser importantes. Bem integradas na comunidade escolar, são fundamentais para realizar pesquisas. Mas, diz Patrão, é preciso tempo para se digerir a informação que é cada vez mais rápida. E é também preciso contacto com o mundo real: “Imaginemos que uma turma faz um trabalho sobre segurança rodoviária. É preciso ir à rua e experimentar. O que é que acontece se ficarmos só pela internet, sem que haja transposição para o mundo real?” A pergunta tem razão de ser, dado que a premissa de que está tudo online é uma falsa segurança. Falando em analogias estudantis, a internet e os seus motores de pesquisa podem funcionar como uma calculadora — há contas que nunca vamos saber fazer (ou até utilizar) e, de qualquer maneira, as respostas estão ali, basta inserir as equações.”

      • Sem dúvida. . Eu, ao contrário do que possa parecer, uso tecnologias,ditas modernas, diariamente na sala de aula. O problema é outro, está bem explicitado no artigo do ” Observador”… É lê-lo porque a situação já é grave…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here