Início Escola O Príncipio Do Fim Do Ano Escolar Dividido Por 3 Períodos

O Príncipio Do Fim Do Ano Escolar Dividido Por 3 Períodos

9877
11

Parece-me evidente que caminhamos a passos largos para a substituição dos 3 períodos por 2 semestres. Existem algumas escolas que já introduziram esse sistema, total ou parcialmente, e por aquilo que se pode ler na comunicação social as vantagens superam as desvantagens.

Quanto a mim existem duas vantagens que são inequívocas. A primeira é a redução do número de reuniões e momentos formais de avaliação. Num ensino que valoriza cada vez mais o ponto de chegada e não o ponto de partida, não se justifica tantos momentos de avaliação. O segundo e não menos relevante, está relacionado com a duração do 3º período. Mais uma vez vamos ter um 3º período reduzido, com cerca de 7 semanas, o que na realidade são 6 pois a última é normalmente destinada a atividades. É curto e não se justifica estar todos os anos dependente de interrupções móveis como é o caso da Páscoa.

Outro fator que me leva a acreditar que os semestres são o caminho a seguir, é o facto do Ministério da Educação ter escancarado a porta às escolas para optarem por essa via, e os diretores estarem claramente a favor dessa ideia, tal como mostrei em 2016 num inquérito realizado a Diretores e Presidentes de Conselhos Gerais.

Palavra aos Diretores e Presidentes de Conselhos Gerais – Inquérito

O que falta saber é o que pensa a restante comunidade escolar, principalmente os pais e os professores. Evidentemente que os semestres vão trazer alterações nas férias dos alunos e consequentemente irá afetar a vida dos seus encarregados de educação. É por isso importante conhecer o que pensam pais, mas também professores, já que esta alteração irá afetar a sua planificação e avaliação dos seus alunos.

Fica a sondagem para que a comunidade educativa se pronuncie e um exemplo de um calendário por semestres.

Agrupamento de Escolas de Caneças

Atualização 11/04/2019: a sondagem já terminou, conheça os resultados aqui

Em Odivelas, as escolas já não têm períodos. Ministério admite alargar medida

COMPARTILHE

11 COMENTÁRIOS

  1. Acho que esta medida pode trazer vantagens para os alunos do terceiro ciclo e secundário, mas para os mais pequenos, que passam mais tempo na escola que os outros, acho uma violência. Quando chega perto das interrupções trimestrais é notório o cansaço das crianças e educadores e professores. É importante levar isto em conta na hora de decidir.

  2. Está medida vai perturbar a organização da vida dos pais.
    Vai perturbar as férias dos professores.
    Vai ser igual ao modelo atual em termos de eficiência de passagem de conhecimento, logo sou CONTRA.

  3. Se for bem pensado, estou nesta.

    A divisão dos períodos tendo em conta a Páscoa sempre me pareceu muito discutível e retrógrada.

    Atente-se à duração perfeitamente desnorteada dos 3 períodos.

    E se temos agora esta ênfase nestas medidas universais e selectivas, nesta flexibilidade e neste holístico e mais o que me vou esquecendo, então não bate mesmo a bota com a perdigota.

    Nunca bateu, mas este é um pormenor que salta à vista desarmada.

    Finalmente, é tb uma questão de estar farta desta divisão de períodos lectivos.

    Pense-se, mude-se, monitorize-se e siga-se em frente.

  4. É completamente ridículo. Só quem não tem noção do que é a escola e as necessidades dos alunos, é que elabora esta carga brutal de dias na escola.

  5. “Quanto a mim existem duas vantagens que são inequívocas. A primeira é a redução do número de reuniões e momentos formais de avaliação.”
    Falso! O número de reuniões vai ser maior, como acontece com as escolas de Odivelas!

  6. No meu agrupamento, o ano passado implementou-se uma avaliação semestral nos anos iniciais de ciclo (1º, 5º,7º e 10º) mas mantendo as pausas letivas dos períodos (não foi possivel alterar o horário escolar). Do relatório intercalar (infelizmente o final não está on-line, mas não difere muito do intercalar) podemos ler:

    Pontos Fortes
    ●Maior equilíbrio na organização do ano letivo;
    ● Avaliações semestrais idênticas às da Universidade;
    ● Reduz a ansiedade, uma vez que permite um maior
    espaçamento entre os testes de avaliação
    ● Favorece a diversificação dos instrumentos de avaliação –
    ênfase na avaliação formativa;
    ● Estimula uma Informação mais regular e sistematizada aos
    alunos e encarregados de educação;
    ● Haver só dois momentos de avaliação muito positivo;
    ● Permite uma maior interiorização e maturação de conceitos
    e conteúdos

    Pontos Fracos
    ● Ter sido implementado no Ensino Básico tendo em conta o nível etário dos
    alunos (nomeadamente no 5º ano);
    ● Testes de avaliação muito longos;
    ● Os professores sentiram dificuldade na gestão do tempo: reuniões de
    avaliação/preparação de aulas;
    ● Não haver interrupção entre o 1º e 2º semestre;
    ● Critérios de avaliação sem diferença de anos anteriores;
    ● Marcação de testes logo após as interrupções;
    ● Relativamente às práticas de ensino, os professores parecem manter-se
    no mesmo registo anterior
    ● Falta de informação geral;
    ● Coexistência de diferentes modelos de trabalho (semestral, periodal e
    modular)

    Sugestões de melhoria
    Para a realização das reuniões de avaliação do 1º semestre o agrupamento poderia, por exemplo, ao abrigo do disposto no ponto 2.3. do Despacho Nº 5458-A/2017, de 22 de junho ter parado as atividades letivas e, desta forma, não sobrecarregaria os docentes. Caso não seja
    possível, sugere-se que, enquanto coexistirem os dois modelos (semestral e periodal), a direção do agrupamento solicite à tutela autorização para fazer essa paragem no âmbito da sua autonomia.
    ● Interrupção entre os semestres (de 2 a 3 dias) com redução da interrupção da Páscoa;
    ● Uma melhor gestão do CT relativamente à marcação de testes de avaliação – não marcar na semana logo a seguir às interrupções;
    ● Maior ênfase à avaliação formativa;
    ● A avaliação intercalar deveria incluir obrigatoriamente uma síntese descritiva por disciplina, a avaliação qualitativa torna-se redutora;
    ● Acrescentar a legenda no registo de avaliação intercalar

    Considerações
    Esta medida teve como objetivos um maior equilíbrio na organização do ano letivo (menos dependente do calendário religioso), uma maior diversificação de instrumentos de avaliação, sem colocar em causa a informação disponibilizada, objetivos que parece que têm estado a ser alcançados. No entanto sugere-se uma continuação do aprofundamento da qualidade de informação (a informação chegada em dezembro após as reuniões intercalares é de melhor qualidade comparada com as intercalares em outubro, e todas as menções qualitativas de insuficiente ou menos tiveram de ser complementadas com informação mais específica), nomeadamente na criação de descritores mais específicos para as sínteses descritivas das disciplinas (no entanto, temos de ter em consideração que a generalização progressiva desta medida poderá aumentar a burocracia). Ao nível da avaliação, apesar deste modelo permitir uma diversificação dos instrumentos de avaliação e um maior ênfase à avaliação formativa, estas práticas ainda não estarão suficientemente implementadas devendo ser alvo de reflexão na definição dos critérios de avaliação.
    Foi referido o facto de alguns testes terem sido marcados após as pausas letivas (ou na última semana de aulas), não deixando os alunos usufruir nem das atividades de final de período nem da pausa letiva (situação que deve ser acautelada,o quanto possível, já no próximo semestre.
    Como principais constrangimentos, foram referidos também referidos o facto de que talvez seja muito precoce a sua implementação no 5º ano (factor a ser abordado nas reuniões com Pais e EE após as reuniões intercalares de 2º semestre) e a não existência de uma pausa entre semestres, que cria dificuldades para alunos e professores (nomeadamente a realização de reuniões de avaliação em período letivo). Sobre este assunto deveremos acompanhar o que está a ser implementado nas escolas que são Projeto-piloto de Inovação Pedagógica , como por exemplo o Agrupamento de Escolas do Freixo.

    Relatório Intercalar em https://aeprosa.pt/downloads/repo/pafc/RelatArio_Intercalar_PAFC.pdf

    Este ano, uma vez que não foi possível alterar o calendário letivo, foi decidido regressar ao modelo de períodos…

  7. Boa noite,

    Para além dos 2 semestres que exigem uma avaliação formativa mas sistemática, a escola deve operacionalizar: a organização semanal dos alunos apenas num dos turnos do dia, porque há mais vida para além da escola e repensar muitas das ofertas que não têm qualquer impacto nas aprendizagens dos alunos como alguns projetos, clubes e afins… etc…

  8. Articulando isto com a inclusão, com a flexibilização, com o fim dos exames, proporia:
    a) um período único – de Outubro a 15 de Junho. Os alunos fariam as pausas de acordo com os seus interesses e necessidades;
    b) Acabaria com as faltas – os jovens só teriam que passar o cartão no portão da escola (escolaridade garantida) e seguiriam para as actividades que mais lhes interessassem e motivassem: matraquilhos, jogos de futebol, aulas de dança, cuidados estéticos pessoais, jogos na internet, comunicação por chat para combinar e planear os fins-de-semana e quiça aula de Matemática, Geografia, CFQ, em anfiteatros,… quiça… (e, só mesmo por vontade própria – nada de violentar os direitos dos alunos e o direito a decidir sobre a forma de participar)…
    c) acabaria com a avaliação (factor de stress e frustração) e desde que entrassem na escola teriam o diploma da escolaridade com indicação de frequência e conclusão garantida…
    d) a progressão estaria garantida à partida ( a não ser que não cumprissem com o sinalizador gráfico a indicar o portão)…
    e) converteria as salas de aula em espaço da violência doméstica, debate sobre direitos humanos, discussão de géneros; aprendizagens de práticas sexuais seguras; espaço de inovadorismo e empreendedorismo; Segurança rodoviária e prevenção de incêndios; prática de bicicleta com rodinhas e BTT para níveis mais avançados, prevenção de comportamentos de risco, espaço “multitransintercultural”; os direitos das minorias e a igualdade de grunhidos,…
    f) Para não assustar os “papás” mais resistentes à mudança (vá-se “devagarinho” como anda a fazer o ministério) no final do ano todos teriam nível 3 ou 10 valores…
    g) Acabaria com a maioria das plataformas onde se gasta muito dinheiro … todos os alunos irão ter sucesso…
    h) Despediria muitos professores e funcionários… que cães de guarda fazem muito melhor trabalho e são mais baratos…

    Como nada se avalia neste país… julgo ser uma proposta muito inovadora que se poderia colocar em prática já no próximo período.

  9. concordo perfeitamente com esta situação, ao de pensar que é cansativo para os alunos passarem tres priodos sendo o ultimo o mais logo na escola, alem de ser cansativo para eles o tempo que passam dentro de uma sala de aula e isso pode ser compensado pelos professores com atividades e clubes, dentro do periodo de aulas e por visitas de estudo, o que enriquece mais o conhecimento dos jovens de que passar dois, três anos dentro de uma sala de aula a marrar testes e trabalhos. Acho que o ensino deve evoluir cada vez mais para um ensiono mais pratico e vocacional e com acesso e uso de novas tecnologias… E cada vez mais deixarmos de lado, o velho professor chato que só mandar trabalhos de casa, e fazer testes e avaliações a cada aula, os alunos não tem que estar sempre a probar aquilo que valem, devem fazelo sim, ao logo do periodo serem avalidos por seus comportamentos, aprendizados ao logo das aulas e terem uma avaliação final ao longo do semestre, não digo ao fim porque isso iria originar setress nos alunos e pressão desnecessaria mas ao longo do 1 semestre estes podem ser avaliados por sua postura coportamento, atrazos, aprendizagens com trabalhos de grupo ou individuais, e no final do semestre originar uma nota final. Por isso o achar que deve a avaliação e sua escala ser adptada a este contexto de (0,10 “5, 6, 7”, 0,15 “8, 9, 10”, 0,20 “11, 12”).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here