Início Escola “Entra na sala e baixa as persianas, o professor pede para as...

“Entra na sala e baixa as persianas, o professor pede para as levantar e responde FODA-SE!”

770
4

Por vezes é preciso tirar os “piii” e escrever a realidade para se entender que entre a indisciplina e o parasitismo existe uma clara diferença, mas ambas são lamentavelmente reais…


Boa Tarde,
Adorei o debate e resolvi passar um pouco da minha experiência. Ora nem todos somos iguais e cada caso é um caso. Temos crianças com problemas de indisciplina com problemas a níveis emocionais os “não parasitas”. Crianças dos seus 10/ 11 anos que esmurram os colegas que gritam com os adultos que batem nas assistentes operacionais que “crescem para o professor”. Ora o procedimento a seguir. Reunião com a Encarregada de Educação que não sabe o que fazer, reunião com o Diretor de Turma que gasta entre 2/ 3 horas diárias do seu tempo livre a conversar com o aluno. Suspensões, idas ao psicologo da escola que descobre que a criança tem um problema, faz carta para o médico de família que o encaminha para a pedopsiquiatria do hospital e Upsnão é urgente (com este cenário) terá uma consulta nos próximos 6 meses. Saídas particulares, são caras. Como este caso temos vários. Pais que perguntam como os podem colocar no colégio militar ou nos pupilos do exercito e Upssão 2.000 e poucos euros, somos “pobrezinhos” não conseguimos.

Agora passamos aos realmente parasitas. Adolescentes em que os pais recebem o rendimento mensal por andarem na escola. Faltam às aulas, mas são obrigados a ir. Abrem-se processos na CPCJ. Fazem-se acordos parentais, são revistos e novamente revistos, se a coisa se resolve arquiva-se o caso, ou então passa para tribunal, em ultimo caso o jovem ou criança é retirada à família e vai para uma instituição.

Outro caso de parasitas: jovem que tem 18 anos e está pelo 5ª vez no 6º ano. Fez a escolaridade normal, não conseguiu avançar devido ao comportamento, vai para um PCA, não conseguiu atingir as aprendizagens, vai para um curso, depois volta para o PCA. A escola queima todas as hipóteses e passa a ter um adolescente, mal educado que entra nas aulas desrespeitando o professor, não acata uma ordem e maltrata as auxiliares, por exemplo “que é que foi? vá trabalhar que é para isso que é paga”.

O seguinte parasita: entra na sala e baixa as persianas, o professor pede educadamente que as levante, quando o faz profere “FODA-SE” quando questionado grita com o professor. Não vai às aulas, tenta-se fazer um PRI (para que não chumbe o ano) não cumpre. O encarregado de educação justifica as faltas. Tenta-se novo PRI e a grosseria e o desrespeito continua o ano letivo todo.

Outro parasita: 16 anos a caminho dos 17. 3 anos no 6º ano, vai às aulas quando quer. Processo na CPCJ, maltrata os adultos da escola e desrespeita os professores e com quem quer que fale com ele. Os professores quando ele desrespeita um adulto dizem calmamente “o menino está a ser indelicado para com a senhora/ o menino não está a ter um comportamento adequado” Tem Processo na CPCJ e em tribunal. Todo este processo se desenrola em 3 anos. Desgaste de reuniões, troca de emails em toda a rede escolar (Técnicos da CPCJ com a escola, Encarregados de educação com a escola, CPCJ com Encarregados de Educação, Técnicos do EMAT (Apoio ao Tribunal) com a escola e encarregados de educação.

Toda uma panóplia de tentativas de ajudar o jovem para que este entre no caminho das aprendizagens, e motivação pela escola. A nível escolar, além das aulas, diversos projectos onde o jovem pode aprender informações novas (por exemplo: convite à ILGA para ir à escola falar das diferenças a nível sexual) esclarecimentos, apoios e o jovem tem de ser retirado do auditório pois foi incorrecto com o dinamizador externo à escola.

Por fim, no final destes longos 3 anos foi retirado à família para uma instituição fechada e ficará nela por 18 meses,porque upsfez um assalto. Ora vamos ver, instituição fechada com outros jovens como ele ou a aprender ainda mais a fazer asneiras ou a desencaminhar os outros.
Penso que seja este tipo de parasitas que estava a falar? e sim, penso que no exercito teriam mais sucesso. Quando este era obrigatório o meu irmão foi como voluntário para santa margarida e não lhe fez mal nenhum. Sorte para ele porque nesse tempo eu não me podia voluntariar porque sou mulher e naquele tempo não era possível. Todos os meus amigos que lá foram não morreram. Qual o problema destes jovens irem? Regras, autoridade, ter que tratar bem os poucos pertences que tem, rituais, exercício. Não lhes fazia mesmo mal.

Depois temos homens de 25 anos, sustentados pelos pais que vivem no quarto agarrados ao PC, ou que não trabalham porque dá muito trabalho levantar cedo e cumprir regras. A Adolescência vai até aos 30? estamos a caminhar, por este andar, para adultos que morrem e nunca se tornaram maduros.
Tanta coisa para dizer e tão pouco tempo.

Jesus

Comentário retirado do artigo Serviço Militar Obrigatório Para Alunos Indisciplinados Ou Em Abandono Escolar

4 COMENTÁRIOS

  1. Excelente!
    Penso, nuns tantos momentos, que tenho sido colocado nas escolas erradas…!!! Afinal há mais! Infelizmente! Está mais que provado, comprovado e dito vezes sem conta, que o exercício militar na fase que antecede a idade adulta é um excelente regulador fisio-cognitivo.
    Já levo com a terceira geração de subsidiodependentes profissionais, tal a maioria dos nossos deputados. Democracia??????? Estou farto de parasitas, fora e dentro das escolas.

  2. Meta o secretário de Estado Costa , a Ariana Cosme e o Joaquim Azevedo a dar aulas a esses alunos que eles ficam umas autênticas ”bombocas”. Se não funcionar é mandá-los directamente para o doutoramento!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here