Início Rubricas EducadaMente Senhores Professores – Moldar a Mente através da Comunicação

EducadaMente Senhores Professores – Moldar a Mente através da Comunicação

242
2

Estamos na grande época da neurocultura. O cérebro tornou-se motivo de alargada pesquisa. Muito se escreve sobre o assunto, mas o que é facto é que o mistério em torno deste ilimitado potencial humano continua. Ao longo da história o cérebro passou de um elemento estruturalmente imutável para algo com plasticidade. Um órgão moldável ao ambiente que nos rodeia, o cérebro desenvolve-se em conhecimento desde o momento da conceção. Que fenómeno este que permite a adaptação evolutiva humana ao longo dos tempos e que torna possível socializarmos, reconhecermos, memorizarmos, decidirmos, organizarmos a nossa vida?

Fonte de grande mistério, este universo cerebral ilimitado pode permitir o conhecimento do espaço e tempo mais amplo alguma vez explorado. Procuramos conhecer o ilimitado fora de nós quando provavelmente é dentro que o infinito existe.

Se algo tão moldável, de plasticidade demonstrado pelas múltiplas adaptações a doenças e/ou acidentes neurológicos existe, e é centro de conhecimento, estará ao nosso alcance modificar a educação é transformar Mentes?

EducadaMente Senhores Professores são estes grandes educadores que a seguir à Família são responsáveis pela transmissão de conhecimento, cultura e experiência. A educação nasce no berço e dessa ninguém se poderá demitir, porque mesmo que nada se faça conscientemente para educar a criança, o exemplo será copiado e reproduzido pela sua vida fora. Ninguém se deve demitir de ensinar à criança palavras de gratidão ou de simples atos de cordialidade e bondade para com os outros. Tudo isto molda um cérebro em constante desenvolvimento. Aprendemos pela repetição, pela imitação, muito mais do que a partir daquilo que nos é dito.

No entanto, é na escola que a maioria das crianças aprende a ler, escrever, contar entre tantos outros assuntos de grande relevância para a vida e entre outros tantos não tão relevantes – depende da perspetiva.

Educar a Mente através das preferências da criança seria o ideal – cuidar da criança como a única na sala de aula. É assim que todos desejamos ser tratados – como únicos. Não é por acaso que quando alguém sabe o nosso nome, dentro de nós a autoestima manifesta-se alegremente. Mas em turmas que excedem o número de alunos a disponibilidade para cada um, isoladamente, torna-se desafiante. É possível? Sim, porque não? Tudo o é. Quando dizemos que fazemos o que melhor sabemos e podemos, também é verdade, mas se o nosso cérebro é dotado de plasticidade, então é possível transformá-lo. E se a transformação está ao meu alcance porque motivo não estico a mão e a agarro? A escola é local de formação, mas sobretudo Senhores Professores de Transformação – EducadaMente.

Numa sala de aula que pode ou não exceder o número de alunos, uma das formas de chegar aos mesmos (para além do conhecimento que o professor vai adquirindo ao longo do ano letivo, sobre a criança ou jovem) é através da arte da palavra. A forma como, o professor, comunica física e verbalmente com os alunos é crucial. A maioria das vezes quando comunicamos não nos damos conta da perceção que o outro pode ter do que queremos transmitir.

Quando a criança tem uma grande necessidade de se movimentar pela sala de aula ou está sempre a mexer nos lápis, cadernos pode eventualmente não corresponder a qualquer tipo de patologia, mas a forma como estão a comunicar com a mesma não corresponder a maneira como sente o mundo. Disse sente? É verdade. Esta criança sente o que a rodeia. É aquilo que se chama ser cinestésico. É desafiante estarem quietos. Quando o professor tem conhecimento desta forma de ser e estar das crianças pode desencadear estratégias para que a aprendizagem destes alunos seja o mais rentável possível.

Da mesma forma, a criança, que se distrai com qualquer imagem que vê à sua volta, absorve o mundo através de tudo o que é visual. É importante captar a atenção desta criança através da imagem. A comunicação com a mesma pode ser colorida transformando a atenção para a atividade escolar. Atividades onde a estética está presente pode ser uma forma de atingir estes alunos no âmago.

Já o aluno que com qualquer som por mais pequeno que seja se vira à procura do mesmo, o mundo é som. A música em sala de aula pode resultar para que estes alunos se mantenham atentos.

Como vemos a palavra, a linguagem são uma arte que é moldada pelo nosso cérebro e tem o grande potencial de moldar os outros. Obviamente são apenas sugestões de estratégias para que a comunicação entre aluno e professor seja mais fluente.

EducadaMente Senhores Professores, vocês são mestres que irão deixar a vossa marca na vida destes jovens seres. Permitam-se comunicar com a alma, desta forma tudo se transforma, senão o que fizerem não passa de formação. Um mundo melhor, sequioso de Transformação está à vossa espera.

Para abranger toda uma sala de aula a linguagem verbal poderá passar por palavras que envolvam sensações, imagens, sons. O professor pode movimentar-se pela sala de aula por vezes isso dará a noção de movimento à criança mais cinestésica. Assim como um aluno mais visual encontra o professor em diferentes cenários. A estática pode quebrar a atenção. Poderá, também, colocar musica calma em momentos de desempenho individual, rentabilizando ao máximo as capacidades dos alunos mais auditivos. Obviamente, em cada momento atingirá mais uns do que outros, mas o que é facto é que dará oportunidade a todos de revelarem o seu potencial máximo.

Sem colocar de parte situações patológicas, pequenos atos como estes podem também minimizá-las e contribuir para a sua evolução positiva.

Somos mais do que os nossos atos e o que conhecemos de nós e do outro é ínfimo.

EducadaMente Senhores Professores a seguir à Família são vocês quem tem a primazia de moldar jovens Mentes e Educá-las. Disponibilizem-se para se conhecerem a vós próprios e para que a comunicação com os vossos alunos seja clara, tranquila e dotada de sabedoria para que Mentes em constante transformação possam mudar o Mundo!

Vera Silva

Pediatra

Investigadora na linha de investigação a Escola e o Cérebro

Universidade Católica Portuguesa

COMPARTILHE

2 COMENTÁRIOS

  1. A prova da plasticidade da mente é a civilização. Isso é uma evidência, assim como são evidências todas as afirmações produzidas no texto, são evidências válidas, sobretudo num ambiente de nenúfares, de nuvens cor de rosa, de unicórnios e sereias, não num ambiente fosforescente e corrosivo que não é necessariamente patológico nem pontual, é social, sobretudo porque existe a ideia pública e publicada, de que tudo é estrada, porque os professores são atropeláveis, uma espécie de sempre-em-pé. Já nos pediram tudo, já nos cobraram tudo, já nos exigiram tudo. Agora pretendem também que sejamos cinestésicos e dominemos as artes do bailado para que as nossas aulas sejam leves e fluídas e os conceitos pairem como notas musicais. Temos de ter noções de cenografia e saber estar virados sempre para o lado certo, no momento certo, para o aluno certo e do modo certo. À medida que os diferentes saberes e respetivas especializações evoluem, a lista permanece em aberto, podem continuar, nós aguardamos a encomenda de bandeja no ar.

    • Bom, com toda a razão Maria Silva. A civilização é o que é, podemos é não ver. Jamais há unicornios ou ambientes de nenufares, mas se assim o entende concordo consigo. Tudo é possível e aceitável, basta querer. Entenda quem está do vosso lado a ajudar-vos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here