Início Notícias E esta, hein?! Professor a ensinar com bebé de aluna ao colo

E esta, hein?! Professor a ensinar com bebé de aluna ao colo

372
1
COMPARTILHE

Está tudo doido??? Calma, existe um contexto e é preciso conhecê-lo e depois refletir sobre o que se passou e o seu significado.

Até que ponto os professores ultrapassam as suas responsabilidades para lecionar?

O que consta da imagem passou-se nos Estados Unidos e basicamente resume-se a um professor que pegou numa criança ao colo para que a sua aluna pudesse tirar apontamentos. Pelos vistos é uma prática algo comum na respetiva faculdade…

No Arkansas muitos professores universitários permitem que os seus alunos levem os filhos para as aulas se não tiverem quem cuide deles. O professor Bruce Johnson confessou que fica impressionado com os estudantes que trabalham, estudam e ainda estão a construir família e acrescentou: “Aquilo que fazemos é apenas uma pequena fração comparado com todo o trabalho que eles têm”.

A foto começou por ser partilhada por um colega de Johnson no Twitter, onde escreveu: “Uma das minhas estudantes enviou-me esta foto do meu colega, Bruce Johnson, de Física. Ela teve um problema na creche, então ele disse-lhe para ela trazer o bebé para a aula. Depois isto aconteceu”.

“Não consegui resistir ao seu sorriso desarmado e aos seus pequenos braços estendidos na minha direção. Então perguntei à mãe se podia pegá-lo ao colo”, contou o professor, explicando que o episódio da foto já aconteceu há cerca de duas semanas.

Kristen Black, a mãe do bebé, explicou ao professor de Física que não conseguia encontrar uma ama e Johnson disse-lhe que não se preocupasse e que o trouxesse para as suas aulas. Johnson, que está impressionado com a atenção que está a ser dada à foto, espera que “nenhum pai sinta que uma sala de aula é um local inimigo para as suas crianças”. A verdade é que esta ação permite que mesmo as pessoas que estejam a construir família possam estudar ao mesmo tempo. Black diz que estava assustada por pensar que ser mãe podia levá-la a deixar de estudar, mas agora faltam-lhe apenas três semestres para se graduar.

Por cá, não é a primeira vez que os professores ultrapassam largamente as suas responsabilidades. Já vi professores a pagar pequenos-almoços a alunos, a oferecer roupa, material escolar, a resolver conflitos familiares, a dar conselhos sobre a vida afetiva e sexual dos alunos, etc, etc… Por isso, digo frequentemente que ser-se professor é muito mais do que dar aulas, é uma forma de estar, é assumir o funcionalismo público na sua essência, ser-se um verdadeiro e muito necessário farol social.

Há quem não entenda que a docência ultrapassa largamente a sala de aula, e esta crítica é dirigida para fora e para dentro das escolas. Felizmente que na sociedade atual, os professores são vistos como pessoas credíveis, competentes e responsáveis. Sei que muitos de nós professores temos a tendência e até tentação para achar e dizer o contrário, mas já surgiram diversos estudos, onde colocam sempre os professores no topo das profissões mais respeitadas em Portugal.

Não devemos ter pena de nós próprios, não devemos ignorar esse estatuto, devemos aceitá-lo com naturalidade e como o resultado da dedicação contínua e transversal de milhares de profissionais. A nossa avaliação diz que somos bons, mas nós sabemos que há muitos momentos onde não somos bons, somos essenciais

Sim, temos motivos para nos queixarmos de alguns pais e naturalmente do Ministério da Educação/Finanças, mas não devemos olhar apenas para a árvore e ignorar a floresta.

E agora vou dar aulas, com ou sem criança nas mãos 😉

Alexandre Henriques

Fonte: Observador

COMPARTILHE

1 COMENTÁRIO

  1. Gesto muito bonito _ um excelente exemplo. Apoiamos os nossos alunos de muitas maneiras: ser professor é muito mais do que certas visões redutoras e retrógradas defendemam.
    Porém, ser professor/a jamais deveria ser o que tem , muitas vezes, tem sido: ser alvo de demagogias, experiências e incompetênciase _ agressões na sala de aula, na escola, na sociedade. Muitos bloqueios ao bom exercício da profissão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here