Início Editorial Disciplina – Reconhecer! Conhecer! Intervir!

Disciplina – Reconhecer! Conhecer! Intervir!

129
4

Os dados que hoje apresentei, à semelhança dos do ano passado, revelam que desconhecemos grande parte do problema disciplinar das escolas. Já o afirmei e reafirmo, Portugal é amador no que à indisciplina diz respeito! A forma negligente como estamos a lidar com esta problemática é potenciadora do seu agravamento, os sinais são evidentes de um aumento da indisciplina e violência escolar. Está na hora de encarar a realidade.

Para mudar o rumo dos acontecimentos, precisamos de passar obrigatoriamente por 3 fases.

Reconhecer

Sem um reconhecimento da sociedade dificilmente mudaremos alguma coisa. A tutela julga que tutorias com 10 alunos, um estatuto do aluno mais punitivo e equipas multidisciplinares (que não passam na grande maioria dos casos de teoria legislativa), é o suficiente para alterar o que quer que seja. Portugal tem um problema efetivo de indisciplina nas escolas! O fim do observatório destinado para o efeito, é a prova que este assunto não é prioritário e que o “combate” à indisciplina não passa pela sua monitorização. Um erro crasso, que compromete qualquer política a curto, médio e longo prazo.

Como costumo dizer aos meus alunos, o primeiro passo para mudar é reconhecer que algo não está bem, se não fizermos nunca vamos mudar. Quem de direito prefere continuar a “assobiar” para o lado, ignorando, o que na minha opinião, é o principal bloqueador do sucesso escolar. São aos milhares as ocorrências disciplinares, são diárias, estão a esgotar os nossos professores, a perturbar os alunos que querem aprender e a preocupar encarregados de educação.

Uma palavra também para os sindicatos de professores, estes precisam de colocar esta questão na primeira página das suas reivindicações. Se representam efetivamente os professores, deviam saber que esta é uma das suas principais preocupações.

Conhecer

Se queremos “atacar” o problema da indisciplina escolar, temos que conhecer toda a sua dimensão e tipologia. O procedimento é simples, basta os diretores solicitarem os registos disciplinares aos diretores de turma, que por sua vez recebem dos professores, um procedimento banal nas escolas… Depois, basta enviá-los para o Ministério de Educação. Aqui no ComRegras até disponibilizo uma grelha para o efeito e que utilizo na minha escola.

Estamos a falar de algo semelhante ao que os professores fazem com os seus alunos, uma avaliação diagnostica. Após conhecerem o perfil e capacidades dos seus alunos, preparam tudo o resto.

Com os dados recebidos, o Ministério de Educação saberá os distritos onde existem mais problemas, as escolas que mais sofrem com esta problemática, que estratégias implementam, seus resultados, etc. Permitirá também estabelecer paralelos com estatutos sócio-económicos, resultados dos Exames, entre outros… Mas acima de tudo, permitirá acompanhar a evolução da indisciplina em Portugal.

Os dados que são conhecidos em diversos estudos, baseiam-se em sensações/opiniões, não em dados concretos. E os dados apresentados pelas forças de segurança, não expõem o que se passa dentro da sala de aula. Esta é uma falha grave, facilmente resolúvel, pois até um professor qualquer de um blogue qualquer conseguiu apresentar dados efetivos.

Intervir

Com o diagnóstico feito, temos tudo para implementar um plano de ação, cada escola conhecerá as suas especificidades e poderá aplicar esse conhecimento na criação de uma estratégia optimizada. Naturalmente que deverá ser respeitada uma desejável autonomia escolar, a tutela poderá dar orientações gerais e atribuir recursos ajustados ao perfil de cada escola.

Como vêem, não estou a falar de apenas atirar dinheiro para cima das escolas, a realidade como sabemos desaconselha essa política, estou a falar de intervir de forma proporcional e ajustada, mas tal só será possível se reconhecermos que existe um problema e verificarmos qual a sua verdadeira dimensão…

Passou um ano e está tudo igual… quantos mais anos passarão até encararmos o problema de frente?

Alexandre Henriques

Leitura recomendada:

Vale a pena ter um Gabinete Disciplinar?

Constituição do Gabinete Disciplinar

Funcionamento de um Gabinete Disciplinar

COMPARTILHE

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here