Início Escola Comparativo De Programas Eleitorais Para A Educação

Comparativo De Programas Eleitorais Para A Educação

178
0

– Sistema de deteção de problemas de literacia e numeracia no pré-escolar e estimulação da competência linguística

– Melhorar as condições nas escolas mais difíceis

– Promover a generalização das competências digitais de alunos e professores

– Aumentar os apoios sociais aos estudantes do ensino superior, em especial no âmbito das bolsas, das residências e do programa Erasmus

-Dar mais condições para a qualificação de adultos com uma licença sabática e programas setoriais

– Universalização da creche e jardim de infância, dos 6 meses aos 5 anos, nas redes social e pública, através da criação de uma rede nacional de creches e jardins de infância tendencialmente gratuitos.

– Aumento das deduções com as despesas de Educação em sede de IRS, prevendo- -se a majoração da medida nos territórios do interior

– Centrar o processo de ensino e aprendizagem na capacidade de pensar e questionar, pela mobilização do conhecimento para a resolução de problemas e para lidar com a incerteza e o desconhecido.

– Planeamento da rede passa da periodicidade anual para trienal. Em casos devidamente justifcados esse planeamento poderá ser revisto sempre que se registe uma alteração signifcativa das condições previstas.

– Instituição de três Academias (Norte, Centro e Sul) orientadas em exclusivo para a formação de futuros diretores, subdiretores, adjuntos e coordenadores de estabelecimento, de agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas, através de programas certifcados de estudos pós-graduados.

– Inclusão das creches (0-3 anos) no sistema educativo, garantindo a gratuitidade;

– Abertura de um processo de reforma curricular e revisão de programas, assim como da organização dos ciclos e do calendário escolar;

– Revisão do modelo de Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC), Componentes de Apoio à Família (CAF) e Atividades de Animação de Apoio à Família (AAF) de modo a valorizar as atividades lúdicas, combatendo a sua excessiva curricularização e a precariedade dos vínculos dos profissionais;

– Gestão pública das cantinas escolares;

– Revisão da portaria de rácios e recuperação da especificidade funcional do pessoal não docente;

– Adoção de um programa de requalificação dos edifícios escolares

– Uma reforma no sistema educativo, devidamente consensualizada e estabilizada, para preparar os alunos para os riscos e para as oportunidades do Mundo global.

– Atualização dos currículos, transformando a escola num elevador social,recorrendo à liberdade de escolha e à autonomia das escolas.

– Fixaremos o perfil do Professor no século XXI, modernizando as dimensões de acesso, formação, seleção, recrutamento, estruturação da carreira e de valorização do mérito.

– Adaptação do ensino superior e do sistema científico à economia do conhecimento, sem a qual perdemos o comboio e impedimos a reindustrialização.

– Introduzir critérios de avaliação que ponderem a realização de investigação em contexto empresarial, eliminando um dos maiores obstáculos à investigação em contexto empresarial

– Aumento do investimento, como prioridade estratégica na Escola Pública, visando garantir a gratuitidade de todo o ensino público;

– A aprovação de novos modelos de avaliação dos alunos, assentes em princípios de avaliação contínua, incompatíveis com a existência de exames nos 9º, 11º e 12º anos, bem como a revisão do actual regime de provas de aferição nos 2º, 5º e 8º anos

– O respeito pelos direitos dos trabalhadores da educação, com o combate a todas as formas de precariedade e a integração nos quadros de todos os trabalhadores com vínculos precários que satisfaçam necessidades permanentes das escolas/agrupamentos ou do sistema educativo

– A valorização e dignificação das carreiras dos trabalhadores da educação.

– Consagrar uma verdadeira gestão democrática das Instituições de Ensino Superior Público envolvendo docentes, investigadores, estudantes e funcionários.

– Apoiar a inovação educacional: filosofia para crianças, educação emocional, mindfulness e aprendizagem a partir da natureza

– Criar equipa multidisciplinar para a revisão dos programas escolares com vista à redução de conteúdos

– Acesso ao ensino superior não ser apenas aferido pelos exames nacionais

– Reconhecer o estatuto de profissão de desgaste rápido para os docentes

Fonte: Expresso

COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here