Início Escola Como fazer algo mesmo mesmo…estúpido

Como fazer algo mesmo mesmo…estúpido

195
0

estupidoPodiam ter criado um jogo de um professor a tentar manter as regras na sala de aula, ou em colocar os alunos nas salas corretas após o toque de entrada, ou mesmo em apanhar o lixo dos corredores. Mas não, um génio qualquer, sentado numa secretária qualquer teve a “brilhante” ideia de fazer um jogo em que o objetivo é bater no professor… Elementar meu caro Watson…

Enfim…

VIDEOJOGO POLÉMICO MOSTRA 10 MANEIRAS DE AGREDIR UM PROFESSOR

Em Espanha, há um videojogo online que está a provocar muita, muita polémica. O título original (“Don’t Whack Your Teacher”, ou em português, “Não batas no teu professor”) parece passar um mensagem positiva, mas o objetivo do jogo é precisamente o oposto: encontrar a forma mais criativa de agredir o docente.

E não faltam mesmo alternativas. O jovem aluno virtual pode cortar-lhe a garganta com uma tesoura, atirar-lhe um frasco com abelhas ou bater-lhe com a cadeira várias vezes até que professor caia inanimado no chão. E o quadro só fica completo à medida que o sangue vai espirrando e dentes partidos voam da boca do professor.

O sindicato espanhol de professores (ANPE) já veio a público condenar o videojogo, descrevendo-o como “vergonhoso e repugnante”, como conta o jornal espanhol ABC. A organização sindical acusou os autores do videojogo (Box10) de demonstrarem uma tamanha “irresponsabilidade e insensibilidade” depois de terem desenhado um jogo com estas características.

Além de exigir a retirada imediata do jogo, a ANPE exige um pedido de desculpas público dos criadores do jogo, que, acusa, estão a promover “a violência contra os professores” e a colocar em causa o “clima de convivência pacífica, de liberdade, tolerância e responsabilidade” que deve existir entre professores e alunos.

O jogo é gratuito e de livre acesso a quem disponha de uma ligação à Internet. No menu do videojogo, não há qualquer aviso de interdição a menores, apenas uma mensagem com o seguinte alerta: “Este jogo contém cenas violentas e sangrentas”. O sindicato espanhol de professores já exigiu a retirada imediata do jogo.

Miguel Santos (2015). “Videojogo polémico mostra 10 maneiras de agredir um professor”. www.observador.pt/, 9 de junho.
COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here