Início Escola Como Avalia O Mandato Do Atual Ministério Da Educação?

Como Avalia O Mandato Do Atual Ministério Da Educação?

438
3

* 2ª tentativa 😉

O mandato deste Governo e consequentemente deste Ministério da Educação está prestes a terminar. Justifica-se por isso um inquérito ComRegras, que terá a análise posterior do Professor Santana Castilho.

Votem e partilhem s.f.f.

Como Avalia O Mandato Do Atual Ministério Da Educação?

  • Fraco (65%, 1.179 Votes)
  • Insuficiente (21%, 380 Votes)
  • Suficiente (7%, 131 Votes)
  • Bom (4%, 80 Votes)
  • Muito Bom (3%, 49 Votes)

Total Voters: 1.819

Loading ... Loading ...

Votação encerrada

COMPARTILHE

3 COMENTÁRIOS

  1. Na ânsia de fazer coisas “novas”, de mostrar que são diferentes e “inovadores”, são reformas e mais reformas, sem tempo, descontextualizadas quer da realidade quer das características de um povo. Não se fazem avaliações sérias de nada e, no meio de tudo isto, os professores continuam a ser “os incompetentes”, os que “estão sempre em férias e a reclamar”, os que “ensinam quando não estão em greve”, etc. Quando ouço um “governante” afirmar que o governo vai “apostar” na educação até tremo: o que vem aí agora? O que vão eles copiar e de onde?

  2. Mandato miserável! A flexibilidade, tal como está a ser implementada, é o pior: nivelamento por baixo; desvalorização do conhecimento e das aprendizagens. Criará , a médio prazo, uma desigualdade inadmissível entre diferentes agrupamentos, e ainda maior do aquele que existe, entre Público e Privado de Elite! No meio disto tudo os professores não foram tidos nem achados… e convençam-se os senhores do ministério da educação, Secretário de Estado Costa e cia: fora das visitas da propaganda que vos preparam os directores ,aquando das visitas oficiais , em que vocês olhais para uma farsa montada, OS PROFESSORES , NA SUA MAIORIA ESTÃO CONTRA ESSA ENORME ENCENAÇÃO E BURLA QUE SE CHAMA FLEXIBILIDADE CURRICULAR!!!

  3. Um Mandato de folclore ! Com preocupações de mostrar que faz, que está tudo bem, com a flexibilização curricular a tornar o ensino de baixa qualidade , não primando por motivar os profissionais da educação e não imprimindo o respeito na profissão docente.
    Poucos são e , sê-lo-ão cada vez menos , aqueles que queiram abraçar a profissão docente.
    Por exemplo , a questão da redução da carga horária pela idade, transformada a aludida redução em horas lectivas de trabalho de indole pedagógica , em nada consiste porquanto não alivia os docentes do peso do trabalho docente, convertendo essas horas em turmas para alunos com dificuldades de aprendizagem. Logo, a redução é uma panaceia , de que as próprias estruturas sindicais são conhecedoras mas que nada fazem ou negoceiam nessa matéria.
    Lamentável ! A desmotivação ; o desalento grassa entre a classe docente envelhecida e cansada …. exausta !

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here