Início Editorial “Chora a minha filha que não sabe responder, choro eu que não...

“Chora a minha filha que não sabe responder, choro eu que não a consigo ajudar…”

2559
12
COMPARTILHE

Vá, vai começando os TPC que já lá vou…

Não sei se já passaram pela experiência, mas julgo que acontecerá um pouco por todo o lado… Os pais, além de pais, são muitas vezes obrigados a serem explicadores, alguns porque querem acompanhar o estudo do seu filho, outros por efetiva necessidade.

Esta situação é naturalmente mais frequente no 1º ciclo, até porque a matéria não chegou ao ponto de se fazerem contas com letras, um desafio seguramente… 😉

Mas deve ser assim? Devem os pais fazer o papel de explicadores? Devem os pais ser professores em casa? Julgo que não.

Em primeiro lugar existe uma metodologia de ensino que o encarregado de educação não está a par e poderá cometer o erro involuntário de ensinar de forma contrária ao professor, baralhando assim o seu educando.

Em segundo lugar, o tempo em família deve ser canalizado para a família, continuo a achar que se abusa e muito nos trabalhos de casa e não vejo a escola a ensinar metodologias de estudo que possam tornar a autonomia dos alunos uma realidade desde tenra idade. Quantas vezes já não ouvimos a expressão, “o problema dele (aluno) é que não sabe estudar”. Não deveria a escola e os professores “proibirem” os pais de ajudarem no estudo dos seus filhos? Ensinar a estudar, deveria ser um conteúdo obrigatório na sala de aula.

Em terceiro lugar, se um aluno chega a casa e não sabe estudar ou fazer um TPC, simplesmente não o deve fazer, se não sabe fazer, significa que algo está a falhar na escola e não deve ser o encarregado de educação a fazer algo para o qual não tem competência. O aluno deve chegar no dia seguinte à escola e dizer à professora que não foi capaz de realizar o trabalho de casa.

Por fim e em quarto lugar, os alunos devem estar em igualdade de circunstâncias, empurrar o trabalho de ensinar a estudar, ou a realização de TPC com ajuda dos pais, irá favorecer claramente os alunos que têm pais com formação. Há aquela expressão que uma mãe disse enquanto tentava ajudar a sua filha no trabalho de casa “chora a minha filha que não sabe responder, choro eu que não lhe consigo ajudar.

Ninguém tem que chorar em casa por causa da escola, a escola tem que dar uma resposta cabal a todos os alunos e os alunos não devem ser “sorteados” pela formação superior dos seus pais.

Os pais devem ser apenas pais e a parentalidade já traz responsabilidades e dores de cabeça suficientes…

À escola o que é da escola, a casa o que é de casa…

Alexandre Henriques

 

COMPARTILHE

12 COMENTÁRIOS

  1. Completamente de acordo, Alexandre.

    É por isso que nunca há TPCs para ninguém. Faz-se tudo na aula. E ensina-se a estudar na aula.

    O que eu passei qdo os meus filhos frequentavam o 1º, 2º e 3º ciclos!

    E aquela coisa de mandarem os miúdos fazerem trabalhos de grupo (no 7º ou 8º anos)! Aos fins-de-semana. Nas interrupções do Natal e Páscoa! E a gente a transportar uns e outros para casa de uns e outros……Um dia declarei numa reunião de pais que os meus filhos não faziam nada de nada, especialmente nas férias de Natal.
    Como professora, estou farta , mas mesmo farta de ouvir os queixumes dos meus pares “Os alunos não sabem pesquisar!”

    Provavelmente, tb o terei dito no início da minha carreira.

    Até que chegou 1 altura em que pensei que algo não batia certo. E os alunos que chegavam ao 10º ano não sabiam pesquisar, seleccionar informação, procurar informação credível, organizar 1 trabalho e apresentá-lo oralmente. E então, apercebi-me que o erro não era dos alunos. Passei desde essa altura e passo no presente um tempo precioso a ajudá-los a fazê-lo. E cada vez tornam-se mais confiantes e criativos.

    Abaixo os powerpoints mal feitos!
    Abaixo o Google translator!
    Abaixo a wikipédia!
    Abaixo a pesquisa em Português nas línguas estrangeiras!
    E tomem lá conselhos e mais conselhos sobre como fazer uma exposição oral!
    Já passam muito tempo na escola.
    Deixem os miúdos brincar e os jovens terem hobbies e preguiçar.
    As hormonas andam aos saltos. E vem aí a Primavera.
    Era o que faltava os pais chegarem a casa, cansados e mal pagos e ainda terem de ajudar a fazer os TPCs da prole!

  2. Adoro estas ideias revolucionárias. Os trabalhos de casa nunca foram para os pais ajudarem. São precisamente para que o aluno aprenda a estudar e ganhe autonomia. Acabar com eles não é, de certeza a solução. Basta que pensem como era há 50 anos atrás. Para quem é desse tenpo: alguém vos ensinou a estudar? Alguém vos ajudou com os TPC? Acabem com os trabalhos de casa e ajudem a formar alunos cada vez mais preguiçosos e menos autónomos.

    • Não são ideias revolucionárias- é a realidade que nos mostra que os TPCs não acrescentam nada. E que já que os alunos passam o tempo na escola, das 8:30 às 17:00h, talvez não fosse má ideia aproveitar esse tempo.
      Depois, ainda há os que vão para os centros de estudo fazer os tais de TPCs. A pagar!

      E depois, ainda se dá o caso de muitos professores não corrigirem os TPCs.

      “Para quem é desse tenpo: alguém vos ensinou a estudar? Alguém vos ajudou com os TPC?”
      No meu caso, sim. E no caso da minha prole tb.

      “Acabem com os trabalhos de casa e ajudem a formar alunos cada vez mais preguiçosos e menos autónomos.”

      A sério?
      Como já referi, ou vão para os centros de estudo ou para as explicações!

      Se isto é tornar os alunos menos preguiçosos e mais autónomos?

      Não creio.

      Fazem-se as actividades na aula e chega!

  3. De facto os TPC são uma verdadeiro drama… dos tempos modernos! O pós-modernismo é isto mesmo… A dramalhada já não é o pão, o sentido da própria existência, as interrogações sobre o Homem mas o TEPECÊZINHO, e os grilhões que o TPC coloca no jovem pardal adolescente… e seus sofridos genitores…
    Dando-me para o intelectual, e até poque tenho mais sainete que grande prosa, apetece-me citar Camus, Albert : ”Antes, a questão era descobrir se a vida precisava de ter algum significado para ser vivida. Agora, ao contrário, ficou evidente que ela será vivida melhor se não tiver significado…” Acrescentarei… e aos pulinhos e risotas!

    • “De facto os TPC são uma verdadeiro drama… dos tempos modernos!”

      Não são nenhum drama.

      Mas não fazem qq sentido e, hoje em dia, nem qq bom senso.

      “Aqui há atrasado”, os alunos tinham (eu tive) aulas de manhã ou de tarde. Hoje, é uma jornada escolar de adulto.

      A socialização fora da escola é importante.
      E o tempo para estar com a família tb, sem ser para andar a perguntar se já fizeram os TPCs.

      Havia de ser comigo, se hoje fosse aluna!!!!

  4. Uma das minhas citações favoritas é de Oscar Wilde: “Examinations consist of the foolish asking questions the wise cannot answer”

    Desculpa, Oscar W, aproveitando esta tua citação, eu diria ” School work is nice; school homework sucks!”

  5. Wilde was given the advantage of a superior education. At age 11, he entered the exclusive Portora Royal School and began to assert the scholarship and intellect that would bring him both great celebrity and great sadness. His long interest in all things Greek began at Portora. Winning several prizes, he was already a first-rate classics scholar and ready to pursue serious studies.
    Como eu gosto do Oscar Wild, mas gosto muito, muito… Leio, vezes sem conta, vezes e vezes sem conta, o autor aos meus alunos… e ainda vezes sem conta… Não há uma única vez que me aguente sem vacilar nas emoções…
    Pena para o Óscar Wild que teve de ler os clássicos, em Grego, imagine-se a maldade, GREGO… e em tenra idade…. O que seria dele se vivesse hoje, ”bué da livre” , e como voaria o seu génio com a Flexibilidade Curricular… Pena não ter nascido sob o termo e a prática deste desta ditosa governança que nos coube…
    ”’Wilde was given the advantage of a superior education. At age 11, he entered the exclusive Portora Royal School and began to assert the scholarship and intellect that would bring him both great celebrity and great sadness. His long interest in all things Greek began at Portora. Winning several prizes, he was already a first-rate classics scholar and ready to pursue serious studies.
    Wilde went on to Trinity College where he extended his interest in the classics and his long list of intellectual accomplishments. He won an additional scholarship, made first class in examinations, received a composition prize for Greek verse, and the Berkeley Gold Medal for Greek. In 1874 he received a scholarship to Magdalen College in Oxford. His lifelong love of the classics would continue through his university career and immensely influence his subsequent writing. Little did he know what turns and twists his life would take when he entered Oxford and came under the influence of three very powerful professors.” Depois OXFORD…
    É só para corroborar a ”cena ” dos exames e do estudo é maçada, e nada, e etc…

  6. Concordo plenamente. A casa o que é de casa e à escola o que é da escola. Se assim fosse eu seria a professora mais feliz do mundo porque teria todo o tempo para ensinar em vez de perder tempo a educar. Os pais que ponham a mão na consciência e vejam o belo papel que desempenham no educar. Das cinco horas de ensino passamos umas quantas a educar. Quando nem os pais se respeita… Claro que o problema se passa na escola. Os professores não conseguem cativar os alunos para que se empenhem na aprendizagem. Se em 26 alunos 23 aprendem bem e 3 têm dificuldades (normalmente até acontece serem os que têm uma educação que… ) Deixem -se de lamúrias e eduquem. Nós ensinamos.

  7. Eu sou professora de Educação Musical e mãe de duas jovens que estudam música e não imagino a vida sem “tpc’s” (leia-se: estudo em casa) 😂 É giro, não é? Mas não é o professor que deve enviá-los (era suposto partir mesmo do aluno); estes trabalhos diários permitem aos alunos rever o aprendido na aula. Se o fizerem diariamente, a aprendizagem far-se-á de forma mais consistente. Tal como um futebolista treina diariamente, os outros “artistas” também o deveriam fazer. Mas não forçados, não com choradeiras; também não treinam assim os futebolistas 😱 Porque é que não conseguimos fazer as coisas sem exageros, caramba?! Querem logo treinos capazes de levar a lesões 😜

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here