Início Rubricas “Em casa resolvemos nós os assuntos, lá na escola que os resolvam...

“Em casa resolvemos nós os assuntos, lá na escola que os resolvam eles, que estão a ganhar o ordenado, não é verdade?”

76
2
COMPARTILHE

mulher-chateadaA senhora entra resoluta no café, logo ao bater das oito. Com os braços cruzados sobre o peito, afaga a echarpe vistosa, tentando esconder do frio matinal os dedos gelados. Atrás dela, uma miúda magricela de jeans esburacados dedilha freneticamente as teclas do telemóvel.

“Por aqui tão cedo, D. Maria do Rosário?” surpreende-se a vizinha Silvina, enquanto ajeita na vitrine o tabuleiro dos pastéis de nata. A D. Maria do Rosário vira-se para trás, num movimento hirto do pescoço e confere com a mão a compostura das madeixas loiras que lhe repousam nos ombros. “Deixe-me cá, vizinha… é por causa desta menina.” E continua, após uma ligeira pausa dramática, coroada com um suspiro profundo: “Já tenho de ir outra vez à escola, por causa dela – parece que se portou mal novamente.”

A vizinha Silvina oferece-lhes um sorriso bondoso e encorajador: “ai sim? Então, rapariga, que disparates andas tu a fazer?”, pergunta com genuína curiosidade, incapaz de associar a figura escanzelada e apática a quaisquer malfeitorias. A rapariga brinda-a com um encolher de ombros desinteressado, sem despegar os olhos do telemóvel. A mãe lança-lhe um esgar de reprovação e aproveita de bom grado o incentivo para desfiar o rol dos queixumes:

“Sabe lá, vizinha… aqui onde a vê, assim calminha, ninguém diz do que ela é capaz… mas é uma sonsa, é o que lhe digo! Responde mal aos professores, marcam-lhes faltas disciplinares, veja lá a senhora a minha vida! E eu se mpre a dar-lhe educação, vizinha, toda a gente sabe que somos uma família de valores, que a ensinamos a tratar todos com respeito – sim, que o respeitinho é muito bonito – que lhe dizemos sempre, mas sempre, que não lhe admitimos faltas de educação! E ela faz-nos uma destas, vizinha, há lá explicação para uma coisa destas? Esta já é a terceira vez que sou chamada à escola este ano! Três vezes, vizinha! Quem é que entende esta rapariga?”

“Mas também lhe digo, vizinha: não a percebo a ela, nem percebo aqueles professores, sempre a queixar-se, sempre a queixar-se! Ora eu não estou lá na escola com ela, pois não? Quem lá está são os professores – eles é que têm de lhe dar educação, pois não é? Então, em casa resolvemos nós os assuntos, lá na escola que os resolvam eles, que estão a ganhar o ordenado, não é verdade?”

“Mas não, telefonam-me, chamam-me lá, isto é uma chatice a toda a hora. Já no mês passado lá fui, falar com o director de turma. E para quê? Ainda saí de lá mais incomodada do que quando cheguei! O homem parece que não entende o que eu lhe digo: expliquei-lhe que a miúda tem um feitio muito especial, que não se pode enervar, que têm de lhe falar com calma porque ela reage mal às contrariedades – expliquei-lhe isto tudo, muito explicadinho, vizinha. E ele continuou na dele, que não podia ser, que aquelas atitudes não eram aceitáveis e patati patatá!”

“Mas será que estas pessoas não percebem nada de psicologia? Então andaram a estudar e são doutores para quê? Bem, o meu marido costuma dizer que isto é tudo gente fraquinha, que foram para professores porque tinham notas modestas e não conseguiram entrar em cursos como deve de ser e então fugiram para o ensino… e eu acabo por achar que ele é que tem razão.”

“Ora veja lá o caso do director de turma da miúda: é professor de matemática. Então, se ele tivesse boas notas, podia ter ido para medicina ou engenharia, não era? Isso é que são cursos a sério! Mas não, foi para professor de matemática, está a entender? E depois a pessoa está ali a falar-lhe de questões de psicologia infantil e vê-se logo que ele não está à altura, não está habilitado a lidar com estas coisas. O que é que ele quer que eu faça à miúda? Quem o ouvir, até pensa que a culpa é minha, que eu não a ensino a respeitar os outros – e isso é que não admito a ninguém!”

MC

Professora e autora do blogue Estendal

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here