Início Rubricas Aviso à navegação: o uso do subrepticio nas direções

Aviso à navegação: o uso do subrepticio nas direções

1437
2
COMPARTILHE
Este ano letivo tornou-se mais evidente  a utilização de subterfúgios pelas direções, ancoradas na ambiguidade legislativa, para realizarem dois atos: impedir professores do quadro de continuar na escola (um despedimento local…) e aumentar o nº de horas letivas para além dos 22 ou 24 tempos.
Como?
No 1º caso: após analisar vários horários de várias escolas mostrados por colegas, constata-se que a distribuição das turmas foi feita de modo que não sobrem os 6 tempos letivos minimos necessários para o docente não ficar com ‘horário-zero’. Utilizando o nº de turmas existente na escola para determinado grupo de recrutamento, constatei que, utilizando outra distribuição, que todos os docentes teriam tempos letivos necessários. Na prática, é uma forma de despedimento da escola, e as direções têm subrepticiamente um método de ‘despedir’ os profs menos graduados que considerem indesejáveis…
No 2º caso: o recurso à atribuição de serviço como “sala de estudo”, “apoio ao estudo”, etc., destinado a receber alunos numa sala para esclarecimento de dúvidas, colocando esse tempo na componente não letiva de trabalho no estabelecimento. O problema é que o docente fica a trabalhar com um grupo de alunos, podendo constituir um número equivalente a uma turma, só que tendo alunos provenientes de várias turmas diferentes. O ECD estabelece na alínea m) do artº 82º que só pode entrar nessa componente não letiva o “apoio individual a alunos com dificuldades de aprendizagem”…!
É lamentável que existam diretores/as (que são professores/as!…) que coloquem estes tempos na componentenão letiva, dando na prática mais tempo letivo, porque se trabalha com grupos de alunos e não com alunos individualmente.

E deste modo, além da classe docente ser espezinhada pelo poder ministerial, ainda tem de suportar com esta ilegalidade imposta por colegas de trabalho(!), obrigando a uma conflitualidade entre pares que seria perfeitamente evitável, se as direções tivessem respeito pelas regras, como seria a sua obrigação profissional.

Mário Silva

2 COMENTÁRIOS

  1. Acresce dizer que o apoio individual, apesar de legalmente ser tido como uma actividade não lectiva, é uma aula e, como tal, exige preparação.

  2. …acho bem! farto deles andam os diretores que não vêm maneira de os despachar para outro lado! 24 e vez de 22? sim, todos eles não devem nem 1 minuto à escola! é pro que ´stá!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here