Início Rubricas As Mentiras do Governo e do Ministério da Educação à OCDE

As Mentiras do Governo e do Ministério da Educação à OCDE

22527
25
COMPARTILHE

O governo e o ministério da educação mentem e fornecem sistematicamente dados falsos à OCDE.

Analisando o gráfico da OCDE podemos verificar a diferença entre a falsidade e a realidade:

https://read.oecd-ilibrary.org/education/education-at-a-glance-2018_eag-2018-en#page366

https://read.oecd-ilibrary.org/education/education-at-a-glance-2018_eag-2018-en#page377

Consta do gráfico/tabela da OCDE que um professor no topo da carreira ganha de 65.417USD (56.535euros) o que é totalmente falso.

O topo da carreira, o 10.º escalão, foi inventado em 2009 mas ainda nenhum professor está a receber por este escalão. Mesmo os professores que estão posicionados neste escalão continuam a receber pelo 9.º escalão mais 25% da diferença entre o 9.º e o 10.º escalão.

O tão divulgado fim do congelamento é outra mentira. O congelamento só foi cancelado em 25% porque 75% das diferenças remuneratórias de escalões continuam congeladas.

No gráfico aparece também indicado que os professores com 15 anos de carreira ganham cerca de 42.489USD (36.720euros). O que é falso! Estes professores auferem apenas o rendimento de 24.601 USD (21261euros). Para o comprovar basta consultar a declaração do IRS.

Um professor com 15 anos de carreira está colocado no 1.º escalão, devido ao reposicionamento na carreira de 2010 em que foram apagados 4 anos e ao congelamento de 9 anos 4 meses e 2 dias.

Mais gravosa é a mentira se verificarmos que os dados da OCDE de 2015 referem o valor do vencimento anual, para um professor com 15 anos de carreira, de 39.129USD (33.816euros) e nos dados de 2018 é indicado o valor de 42.489USD (36.720euros).

Como é isto possível se os professores estiveram congelados entre 2015 e 2018?

A conclusão é óbvia, o governo e o ministério da educação mentem descaradamente à OCDE!

Por fim, está plasmado no gráfico que um professor em início de profissão ganha cerca de 32.887USD (28422euros) o que é obviamente falso. Um professor em início de profissão terá atribuídas cerca de 8 ou 12 horas e ganhará menos de 12.300USD (10630euros) e muito provavelmente assim continuará por mais 10 anos.

De acordo com os dados fornecidos pelo governo à OCDE os professores ganham muito bem em Portugal. Mas estes dados são todos falsos!

O governo fornece dados falsos à OCDE e depois quando são publicadas as análises estatísticas, são feitas as leituras baseadas nas falsidades e apresentadas conclusões totalmente erróneas e sem qualquer valor científico.

Analisemos mais um gráfico (comparação entre os salários dos professores e outros trabalhadores com formação superior):

Perante estes “gráficos”, os nossos “jornalistas de secretária” que não confirmam dados e são absolutamente crédulos nos “relatórios” da OCDE dizem coisas destas:

“Professores: uma classe profissional a envelhecer, com salários relativos altos.

Apenas 1% dos professores têm menos de 30 anos. Em regra, ganham mais do que outros profissionais com habilitação superior em Portugal, indica a OCDE.”

https://expresso.sapo.pt/sociedade/2018-09-11-Professores-uma-classe-profissional-a-envelhecer-com-salarios-relativos-altos#gs.cGhMRk8

“Professores ganham mais 35% do que a média dos trabalhadores qualificados.”

Relatório Education at a Glance deste ano mostra que salários dos docentes portugueses estão abaixo dos colegas estrangeiros, mas acima dos outros trabalhadores nacionais com cursos superiores.”

https://www.publico.pt/2018/09/11/sociedade/noticia/professores-ganham-mais-35-do-que-media-dos-trabalhadores-qualificados-1843632

Pois, os “jornalistas” do regime, avessos à isenção e independência, não confirmam as fontes e papagueiam também na comunicação social toda uma narrativa pejada de falsidades criada ao mais alto nível.

Haja vergonha!

Sr. Prof. Zé

COMPARTILHE

25 COMENTÁRIOS

  1. Caros,

    e enviar essas informações para os mesmos órgãos de comunicação social que divulgaram os errados, não?
    E um esclarecimento público na tv, jornais, rádios em horas de audiência?

    • Caros colegas, já há vários anos que o governo e o Ministério vêm dando informações erradas à OCDE com intenção de camuflar a verdade. Penso que é urgente de se arranjar maneira de acabar com estas mentiras, estes maus tratos a uma classe que já no seu dia a dia é ofendida e humilhada pela sociedade. E porquê? porque é o própri governo a dar o exemplo; vem para a comunicação social, meio que têm ao seu dispor dizer estas barbaridades, dizerem que estamos a exigir o que não temos direito, chamar-nos preguiçosos e egoístas e que com isso empobrecemos o país. É por isto que muitos de nós não somos respeitados pelas famílias e seus alunos nem pela sociedade em geral. Revolta-me estas mentiras porque com 27 anos de trabalho, Pós-Graduação e Mestrado feito sempre a trabalhar e, como tantos outros colegas, leva-se pouco mais de 1.100,00 para casa. Gostava de saber, onde foi o governo buscar tais tabelas salariais. Mas que tipo de pessoas estas que não têm vergonha, ou então em que conta têm a classe!

  2. Não deviam os sindicatos e ou grupos de professores agarrar nestes dados mentirosos e levá-los à justiça? Já vimos que em relação aos Media não vale a pena, são uma cambada de vendidos e incompetentes.

  3. Então porque é que o meu salário não corresponde ao que está exposto neste relatório??? Então estou certa, andam a roubar me muito dinheiro!!!! Mais uma vez os professores têm razão, de facto, o governo tem de acertar contas com os professores!!!!

  4. Tribunal Europeu com eles. Não só estas mentiras descaradas mas tb, e acima de tudo, manterem pessoas a contrato durante décadas. Vergonhoso e ilegal!

  5. Logo ontem, peguei no telefone e liguei para o Gabinete de Imprensa da OECD. Informei que o assunto do dia, em Portugal, era o Relatório/Livro “Education at a Glance 2018” devido às informações falsas sobre as condições de trabalho(por exemplo, horas semanais) e sobretudo o horário auferido.
    A Senhora que me atendeu, pediu-me que falasse com o meu “Département Scolaire”/School Services… e achava que eu não a estava a entender. Até que lhe disse que “mais valia ficar na cama a dormir”. Riu-se e percebeu finalmente. Então, enviei um e-mail, conforme me orientou pelo telefone, depois de me registar no site.
    Agora questiono:
    – Que valor tem a minha atitude isolada???
    – Será que quem tem poder representativo da classe docente já fez algo, para além de enviar e-mails para professores a dizer que há mentiras a circular??
    POR FAVOR, FAÇAM ALGO DE ÚTIL!!
    -OECD
    2, rue André Pascal
    75775 Paris Cedex 16
    France
    Tel.: +33 1 45 24 82 00

  6. As pessoas tem dificuldades em ler um relatório, provavelmente algo está a falhar no sistema de ensino, não basta ensinar a ler e escrever, também é preciso ensinar atitude, ler tudo e não apenas a parte que interessa, como diz o relatório e passo a citar:

    Annual statutory salaries of teachers in public institutions, based on most prevalent qualifications, at different points in teachers’ careers (in equivalent USD, using PPPs)

    Assim, para converter para os valores reais, tem que converter os dólares em euros, que entretanto os OCS já fizeram e de seguida utilizar o conversor de PPP do banco mundial…que ninguém fez..

    • De facto. Leiam tudo. Na página 373 têm a Metodologia:

      “Salaries were converted using purchasing power parities (PPPs) for private consumption from the OECD National Accounts database. The period of reference for teachers’ salaries is from 1 July 2016 to 30 June 2017 for statutory data and from 1 July 2015 to 30 June 2016 for actual data. The reference date for PPPs is 2016/17 for statutory data and 2015/16 for actual data, except for some Southern Hemisphere countries (e.g. Australia and New Zealand), where the academic year runs from January to December. In these countries, the reference year is the calendar year (i.e. 2017 and 2016). Tables with salaries in national currency are included in Annex 2.”

      O site do world bank dá-nos o factor de conversão do PPP (Purchasing Power Parity): 0.58
      https://data.worldbank.org/indicator/pa.nus.ppp?year_high_desc=false

      Sendo assim, os valores do gráfico parecem-me dentro do correcto: $24.601 / 0.58 = $42.4154 – perto dos $42.489 (a diferença está no valor exacto da conversão de quem escreveu o relatório e o autor do artigo, parece-me).

    • O relatório é um “Olhar sobre a educação” creio que o objetivo não é consultar as tabelas do Banco Mundial e começar a refazer as contas.
      O sistema de ensino Português, ao nível da “sala de aula” pode ter alguns defeitos mas é e está muito melhor do que a maioria dos “comentadeiros” quer fazer crer. Já ao nível do ministério da educação tenho de concordar consigo, está a falhar mesmo muito.
      Assim, como na sala de aula se ensina a ter “atitude, ler tudo e não apenas a parte que interessa” (e ainda se ensina muito mais) podemos concluir que para o mesmo fator de conversão PPPs (Portugal) os valores apresentados para início de carreira, 15 anos e topo da carreira, não são congruentes com os valores reais, qualquer que seja o fator aplicado. Isto significa que que os dados da amostra estão truncados não tendo qualquer valor científico.
      A não ser que a função a aplicar seja uma Série de Fourier ou os cálculos tenham sido efetuados com recurso à Mecânica Quântica, mas nesse caso estaríamos noutros domínios…

  7. Quem parece manipular a informação é o autor do artigo, então vai comparar o valor de um salário completo nos outros países com o vencimento de um professos em inicio de carreira e com cerca de 1/3 do horário total dos outros ? Isso não é manipular informação? Ninguém diz que os professores ganham muito, o que se diz é que comparativamente com outros profissionais com a mesma formação e em Portugal …. ganham muito. O resto é atirar areia para os olhos pelo forte lobby dos professores. Lobby é a pressão exercida por alguém ou por um grupo que, em favor de seus interesses, tenta influenciar um tomador de decisão.

    • Amigo carlinhos, um prof com mestrado, doutoramento , etc, com 25 anos de serviço leva para casa 1300€ e nao tem subsídios, despesas pagas ,nem telemóvel, nem cartao de credito nem NADA. O S. de Alimentacao é de 4€ e tal nem para um ticket refeiçao dá.
      Tem um horario de 35 horas semanais como todo o FP.

      O que não percebeu que está errado?

      • É esta informação concreta que tem sido sonegada à sociedade pelos sucessivos governantes, ao longo do tempo. O objetivo é claro e o resultado está à vista. Como podem os representantes dos professores ficar indiferentes a uma análise cuidada do relatório da OCDE e à necessária contestação e reposição da verdade?

  8. Já agora, que tal implementar esta lei na carreira docente, já que há mulheres a ganhar mais do que homens e homens a ganhar mais do que mulheres… 😛

    Lei n.º 60/2018 – Diário da República n.º 160/2018, Série I de 2018-08-21. Assembleia da
    República: APROVA MEDIDAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE REMUNERATÓRIA ENTRE MULHERES E
    HOMENS POR TRABALHO IGUAL OU DE IGUAL VALOR e procede à primeira alteração à Lei n.º
    10/2001, de 21 de maio, que institui um relatório anual sobre a igualdade de oportunidades
    entre homens e mulheres, à Lei n.º 105/2009, de 14 de setembro, que regulamenta e altera
    o Código do Trabalho, e ao Decreto-Lei n.º 76/2012, de 26 de março, que aprova a orgânica
    da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego.

  9. SOBRE QUEM (REALMENTE) MENTE…
    Como gosto de verificar as coisas e como me “cheirou a esturro” aqui vai: o quadro que é apresentado não reflete diretamente a conversão em euros para dólares. No topo do gráfico à esquerda a legenda da escala refere “equivalent USD converted using PPPs”. Como não sabia o que significava fui procurar informação.
    “Purchasing power parities (PPPs) are the rates of currency conversion that equalise the purchasing power of different currencies by eliminating the differences in price levels between countries. In their simplest form, PPPs show the ratio of prices in national currencies of the same good or service in different countries.” em: https://data.oecd.org/con…/purchasing-power-parities-ppp.htm
    Nas tabelas de conversão aí apresentadas há um factor de conversão de cerca de 0.6, isto quer dizer que os valores reais em Euros serão os apresentados em USD by PPPs multiplicados por ~0.6. Isto implica que para Portugal, no gráfico um valor atribuído de 50.000 USD corresponde a cerca de 30.000 USD e portanto cerca 25.600Euros.
    Há muitas formas de fazer política, mas a que tenho em maior consideração é a da verdade! Os acrescentos a vermelho no gráfico estão automaticamente errados. Não confirmei, e não tenho como o fazer, os dados queo governo enviou, mas quero acreditar que são verdadeiros.

    O caso referido do professor com 15 anos de serviço (42.489 USD) retirando a correção PPP (fator 0.592 para Portugal em 2017) dará em USD 25.153 e em Euros (que é o valor real cá) dá 21493 € à taxa de hoje (via Google). Segundo esta publicação de comregras.com devia ser 21261 €. E segundo a mesma publicação trata-se de uma mentira do governo… Quem me consegue provar com estas contas que o governo mentiu? Ou pergunto quem é que não sabe fazer contas…

    • Depois de 2 dias a fazer contas proponho-lhe que passe agora umas semanas a compilar e estudar a legislação que determina os vencimentos dos professores.
      Ao analisar o gráfico e as tabelas da OCDE não me cheirou a “esturro” cheirou-me mesmo muito mal.
      Para provar que os valores apresentados estão errados basta verificar se existe diferença remuneratória entre um professor do quadro no primeiro escalão com um professor com quinze anos de permanência nos quadros, como essa diferença não é nula (42489 é diferente de 32887) os dados fornecidos estão errados.
      Passo a explicar, um professor com quinze anos de permanência nos quadros sofreu um primeiro congelamento iniciado em 2005 e depois um segundo em 2011 em que foram sonegados 9 anos 4 meses e 2 dias. Sofreu ainda um reposicionamento na carreira em 2010 que fez desaparecer mais 4 anos. No total foram arrancados mais de 13 anos ao tempo para progressão na carreira. Um professor com 15 anos de permanência nos quadros viu os seus 15 anos de trabalho transformados em apenas 2. Este professor está ainda no 1.º escalão, tal como no início da carreira (quando ingressou nos quadros) e recebe como tal.
      Se considerarmos professores contratados então o erro é ainda maior, pois há professores com 25 anos de serviço a receber pelo 1.º escalão.
      Logo, como queria demonstrar, os dados estão errados!
      Perante a falta de congruência dos dados apresentados, eu contrapus com a pura realidade dos recibos de vencimento, porque para mim não faz sentido aplicar o conceito de “Salários Estatutários” com conversões de paridade de poder de compra a dados errados, porque eles continuariam errados.

  10. Com amizade , para todos os professores, do Senhor Secretário de Estado João Costa do Conselho de Direção do Teacher and Learning International Survey (TALIS), OCDE…

  11. Caros,

    Eu trabalho no departamento de Educação da OCDE. Os dados não estão errados, e ninguém está a tentar enganar os professores portugueses. Tal como indicado no gráfico, os salários estão em paridade poder de compra (PPP), medido em dólares. A paridade poder de compra é um método estatístico, que permite comparar salários e outros valores entre países. Como tal, os salários não devem ser lidos como os salários efectivamente ganhos, mas apenas em comparação com outros países, pesados por um factor diferente para cada país.
    Para além do mais, os dados, do Education at a Glance são publicados todos os anos, e podem ser comparados com outros anos. Bastaria algum bom senso para entender que seria necessária muita influência — que não existe — através de muitos governos para que os dados fossem forjados.

    Sugiro que não divulguem informação falsa e que não comecem teorias de conspiração, que não têm qualquer adesão à realidade.

    Um bem haja!

    • Teoria da conspiração? Mas o que é a OCDE? Umas irmãs da caridade? Ou uma organização com fins políticos? E sim os dados estão errados e não vale a pena estarmos a perder tempo com novas explicações!

  12. Caríssimo

    Se os dados não estão errados importa-se de explicar como foram obtidos os dados base a que depois aplicaram as taxas cambiais e a conversão de paridade de poder de compra?

    Porque pelos valores que apresentam, quaisquer que sejam os fatores que apliquem, os valores não são congruentes. Apresentaram diferentes vencimentos para um professor em início de carreira e para um professor com quinze anos de serviço (ambos do quadro suponho) o que é falso. Os dois ganham exatamente o mesmo (graças aos congelamentos e ao reposicionamento).

    A questão é como foram obtidos esses dados base?

    Basearam-se na tabela de vencimentos em função do tempo de serviço fornecida pelos serviços do ministério da educação? Então os dados estão mesmo errados!

    Proponho que no futuro obtenham os vossos dados de forma direta, peçam a professores os recibos de vencimento e as declarações de IRS e vai verificar que os valores são muito diferentes.

    Por favor não me acuse de divulgar informação falsa, os valores apresentados a vermelho foram obtidos diretamente dos recibos de vencimento dos professores, é a mais pura verdade.

    Quanto à teoria de conspiração poderá chamar-lhe o que entender, mas que o chorrilho de notícias negativas para os professores, com base em organismos europeus, que chegou quase simultaneamente à comunicação social do país é demasiada coincidência, não tenho dúvidas. Eu diria que a máquina de propaganda do aparelho partidário e a sua rede de contactos com boys colocados em lugares chave funcionou.

    Cumprimentos e um bom trabalho aí pela OCDE,

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here