Início Escola Afinal A Fenprof Sempre Quis A ILC

Afinal A Fenprof Sempre Quis A ILC

3213
14
COMPARTILHE

Mário Nogueira e os seus camaradas de “luta”, revelaram finalmente o seu amor de perdição. A Iniciativa Legislativa de Cidadãos representa exatamente aquilo que eles agora estão a pedir, uma solução parlamentar para a recuperação dos 9 anos, 4 meses e 2 dias.

Mário Nogueira e os seus camaradas de “luta”, nunca irão assumir que a aposta em negociações de secretaria, acopladas com greves de pólvora seca, foram a opção errada para derrubar o Ministério da Educação/Finanças.

Mário Nogueira e os seus camaradas de “luta”, não perceberam que a solução passava obrigatoriamente pelo Parlamento, tal como aconteceu com o concurso de professores, onde o Parlamento vergou a teimosia dos nossos patrões laborais.

Mário Nogueira e os seus camaradas de “luta”, perderam a oportunidade de unir todos os professores, retirarem dividendos dessa união, apoiando como deveriam ter apoiado uma ILC daqueles que representam. Afinal, desde o primeiro dia que a comissão representativa da ILC tem afirmado, que a solução está no Parlamento e são estes que têm de assumir aquilo que no passado recomendaram – a recuperação de todo o tempo de serviço congelado.

Mário Nogueira e os seus camaradas de “luta”, bem podem argumentar que a ILC quer tudo de uma só vez, os 9-4-2 já em 2019, mas Mário Nogueira e os seus camaradas de “Luta”, não souberam ler nas entrelinhas, pois se assim tivessem feito, teriam percebido que a ILC era muito, mas muito mais que a recuperação imediata dos 9-4-2…

Agora… agora perderam, e como nos representam a todos, perdemos todos, mas a culpa meus caros, essa, seguramente que não é de todos…

Alexandre Henriques

Consideração integral do tempo de serviço docente prestado durante as suspensões de contagem anteriores a 2018, para efeitos de progressão e valorização remuneratória

(carregue no link para assinar)

COMPARTILHE

14 COMENTÁRIOS

  1. “não souberam ler nas entrelinhas, pois se assim tivessem feito, teriam percebido que a ILC era muito, mas muito mais que a recuperação imediata dos 9-4-2…”

    Vai desculpar-me Alexandre, mas a ILC tem como ponto exclusivo a recuperação imediata dos 9-4-2 a partir de 1 Janeiro de 2019.

    E, nestas coisas complicadas, com uma classe numerosa e complicada, não é bom ter-se de ler nas entrelinhas.

    Já não basta o que temos de ler nas entrelinhas do poder.

    • A ILC discutirá a recuperação de todo o tempo de serviço e obrigará a uma clarificação dos partidos políticos. Além disso, ficava aberta a porta a uma proposta alternativa, onde a reposição de todo o tempo de serviço podia ser feita, mesmo de forma faseada. O discurso podia ter sido invertido. “Esta é a nossa proposta, se o Parlamento não concorda que apresente uma alternativa”. Era uma estratégia pró-ativa. Os sindicatos optaram por não apoiar. Porquê??? Eu tenho a minha opinião mas fica só para mim…

      • Esses argumentos são ridículos.
        Não acrescentam nada.
        Só dividem.

        Em vez de disparar sobre quem nos está a lixar, dispara sobre quem tem os mesmos interesses que você.

        Se você tiver um pingo de razão, a ILC quando for votada vai ser a solução de todos os males. Eu nunca acreditei na vitória pela ILC. O que achei era que a ILC ia obrigar aqueles hipócritas todos a definir-se. O PSD e CDS abstinham-se, o PCP e BE votam a favor e o PS vota contra.

        Daí…votei a ILC logo no início. E não sou e nunca fui sindicalizado. Se o fosse seria no SPN/Fenprof do Nogueira.

        Percebi as explicações dos sindicatos para o que se passou.

        Conheço gente sindicalizada e apoiante do Nogueira que votou imediatamente a ILC. A ILC não era de origem dos sindicatos e estava muito bem assim. Uns estavam numa luta, outros noutra, contra o inimigo comum.

        Não deve ter reparado, mas a Fenprof, após meses de negociações, constituiu uma frente sindical. Frente sindical essa com sindicatos que não aceitariam que outros sindicatos assinassem ILC ou apoiassem greves do STOP sem acabar a dita frente sindical. Na minha opinião, essa opção da frenprof falhou. Mas, ao contrário de você, sei isso hoje, o que é fácil, o costa não cedeu um palmo. Duvido que seja a sua ILC que lhe mete medo. Ele já não cumpriu uma lei do orçamento aprovada, muito menos o preocupa uma proposta de lei que ele pode mandar chumbar.

        O problema é que há gente que gosta menos do nogueira que do governo que nos aldraba. Gente que está toda ofendidinha porque o nogueira não correu a dar-lhes os parabéns pela ILC

        E outro problema é que os professores, tal como a sociedade em geral, têm uma percentagem de merdosos queixinhas e preguiçosos elevada. Não se admite a ILC não ter tido 100.000 assinaturas numa semana ou pouco mais. Ainda para mais, podia pedir-se, como eu fiz, a filhos e sogros a assinarem.

        Aposto que os mesmos professores que não se deram ao trabalho de votar a ILC, fazer greve e nem foram à manifestação, serão os mesmos que irão malhar no BE se este não se atrever a chumbar o orçamento 2019 e ir para eleições conforme dizem que o costa quer.

        Se tiver que apontar onde estão os pulhas, não é na fenprof, é no governo. E se tiver que apontar onde estão os montes de merda, não é nos sindicatos, é nos professores.

  2. Sindicalistas na cama com a Política é o mesmo que os Sindicalistas Mafiosos dos filmes de Hollywood, raramente ajudam aqueles cuja função têm de defender. Se o governo fosse de Direita, certamente já teriam esgotado toda a artilharia pesada jurídica contra o referido Governo.

    Se não tivesse tanta coisa em jogo, também já teria emigrado para um país mais evoluído e com menos corrupção entre Políticos, Bancários, Imobiliários e Si dicatos..

  3. “solução passava obrigatoriamente pelo Parlamento, tal como aconteceu com o concurso de professores” e não fosse à teimosia de um grupo de professores e o concurso nunca tinha ocorrido.

  4. OS sindicatos neste momento sao um antro de chupistas que so lhes interessa a sua vidinha. Quer em termos de reivindicações quer em termos de se verem livres de dar aulas. Basta olhar para aquilo que escarrapacham nos autocolantes na lapela e no facto de estarem ha 30 anos no poleiro.
    Só não vê quem é inocente ou nao quer.

  5. Melhor do que o vídeo, melhor seria mostrar por escrito. Passa tudo muito depressa e não se consegue parar e ver algum pormenor.

  6. Quando alguém tenta fazer o impossível (todo o tempo de serviço em janeiro de 2019) cria um problema que poderia não ter existido.
    Acordem! Não tentem transformar uma proposta ridícula, num caminho trilhado pelos professores que poderá encontrar solução parlamentar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here