Início Escola A prioridade do próximo MEC tem de passar pelos concursos de professores.

A prioridade do próximo MEC tem de passar pelos concursos de professores.

47
0
COMPARTILHE

É todos os anos a mesma coisa, apesar de já não concorrer, o contacto diário com os colegas provam a inaptidão da tutela em implementar um concurso justo, rápido e eficaz. Algo que dificilmente se compreende, principalmente se tivermos em conta os rios de dinheiro já gastos e a quantidade de anos que já passaram desde a implementação do 1º concurso para professores.

professorNão é por acaso que há muito se fala na contratação de professores por parte das escolas, e mesmo aceitando que existem vantagens nesse modelo, a verdade é que seria de total conveniência para a tutela “despejar” este problema para as costas dos diretores. E não venham cá com, e desculpem a expressão, a “treta” da autonomia, pois se quisessem dar autonomia às escolas, não tinham elaborado estes contratos que não passam de sound bites em horário nobre.

Sejamos claros, os professores não querem o modelo de recrutamento pelas escolas, pois não confiam em quem contrata e em quem concorre – diretores e colegas professores. Apesar de estarmos a falar de cidadãos, que pela sua profissão, deviam guiar-se pelos mais altos valores morais e éticos, a prática, nomeadamente a recente, não nos deixa tranquilos. A promiscuidade, a cunha, as influências, estão demasiado enraizadas na cultura portuguesa, e apura, ó se apura, quando a procura é muito superior à oferta.

Todos queremos os melhores professores nas escolas, de acordo, mas o problema não está a jusante, mas sim a montante. Estou a falar da formação de professores. Se esta tivesse uma reputação intocável, não andaríamos cá com Provas de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC) e Avaliações de Professores. Ser professor, é a profissão mais nobre que existe, e lá fora, nomeadamente nos países modelos da educação, os professores são a elite em virtude da sua formação e seleção. O que eu gostaria de ver, era quem de direito “chatear” as universidades como “chateiam” os professores, o que eu gostaria de ver, era quem de direito colocar em causa o profissionalismo e competência das universidades como o fazem com os professores. É que até parece que os professores não são o resultado das suas universidades, politécnicos e afins.

Nota: A qualidade docente existe, não me interpretem mal e muito fazem os professores pelas crianças deste país. Mas também é verdade – e não serei mais um com um discurso, inclinado, “redondo”, simplesmente para ganhar uns likes no facebook – que existe uma minoria que apresenta lacunas preocupantes e que não deviam lecionar.

Fica a notícia

Directores dizem que concurso dificulta substituição de professores de baixa

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here