Início Escola 942 | Basta de Greves! Vamos Para Tribunal!

942 | Basta de Greves! Vamos Para Tribunal!

2250
16
COMPARTILHE

A revolta dos professores é muito significativa, numa breve passagem pelas redes sociais, constatamos muitos comentários de enorme frustração e indignação para com o Governo e Plataforma Sindical.

Subscrevo tudo o que podem ler em baixo, basta de greves estéreis, é preciso avançar para tribunal e já agora assinar a ILC.

Fonte: Faceprof

COMPARTILHE

16 COMENTÁRIOS

  1. A greve é um instrumento fundamental, usada por todas as profissões que tiveram êxito na sua luta. Não podemos fazer uma grevezinha e ficar logo cansados. Os políticos apostam nessas desistências. Esperam mudos e calados que um a um com desalento, arrumemos as ferramentas. Não deverá ser a única forma de defender os nossos direitos, mas não estamos em condições de abdicar de nenhuma, temos de avançar com todas e sobretudo é altura de estarmos unidos. A desunião não pode ser um atributo do nosso grupo profissional, nunca ninguém ganhou nada assim. Os outros grupos profissionais também têm as suas diferenças mas na hora de agir, falam a uma só voz, temos de cerrar fileiras e mostrar que somos fortes, de outro modo mais tarde ou mais cedo sairemos pela porta da rua que Costa insiste em nos mostrar (quem não estiver bem que se ponha) mostrando o pouco valor que a educação e o conhecimento têm para ele.

    • As greves na área da Educação NUNCA resultaram, diga-me uma que tivesse resultado. Sabe pq?
      Fácil… Os professorzecos faltam, o PIB aumenta (o salário dos profs diminui) e os “não professores” até ficam ao lado do governo. Veja lá a chatice.

      As greves dos docentes são APENAS instrumentos dos sindicatos+PCP para fazerem provas de vida e para dizerem que estão com os oprimidos.

      Tribunal com ELES.

  2. 2-9-18
    Finalmente, o Governo vai dar alguma coisa… mas só a alguns professores. Os que já estão nos 9º e 10º escalões não levam nada. Oxalá fiquem zangados, para ver se deixam as escolas aos mais novos!

  3. Podemos associar-nos enquanto grupo de professores e meter o Estado em tribunal? O reposicionamento é um direito e não um privilégio, todos trabalhámos e contribuímos durante o congelamento e estamos a ser descaradamente roubados! Greves, não obrigada.

  4. Maria Silva,permita-me: estou farto dessa retórica oca!
    Greves, mais greves… “e o resultado é o que tendes visto”!
    Se é para lutar que seja a doer! Não nos professores mas no ministério!!”

  5. Se houve greve às reuniões por disciplinas porque não greves durante um mês, dois ou três em que num dia fazem greve os profs duma disciplina ou departamento, no dia seguinte outro e assim sucessivamente? Com este tipo de greve mostrar-se-á que os profs marcam o ponto de hora a hora, com o desconto de quatro dias de greve o funcionamento das escolas será perturbado durante um mês. Não funcionará hoje a escola perturbando a saúde dos profs e das suas famílias?

  6. A melhor solução para o Sr. Costa encontrar uma solução, será passar a mensagem que somos 120.000 cidadãos votantes, que nunca mais iremos votar no partido do Sr. Costa, e que por sinal poderemos ainda amplificar este número, recorrendo aos nossos familiares e amigos.
    Desta forma a pretensa maioria nas próximas legislativas ficaria de certeza em perigo para o Sr. Costa. Não precisamos de sindicatos em de tribunais.

    • Esquece que o País tem mais de 10 milhões de Portuguese que também gostariam de nunca ter passado pela crise.
      Esquece ainda que os familiares dos professores muitos trabalham no privado e estão fartos de pagar impostos para proteger os interesses dessa sua minoria de 120.000

  7. A ILC está parada.

    Será que nem agora, com o fracasso das negociações, os sindicatos apelam à sua subscrição?

    Alexandre, lancem (nos blogues) mais um desafio direto aos sindicatos. Que assumam a derrota e tenham a humildade de assinar a ILC.
    Custa muito menos do que engolir sapo atrás de sapo.

  8. Os professores deviam ter VERGONHA de exigir o que outros privilegiados tiveram. O passar pela crise sem nada perder.

    TODOS os Portugueses certamente também gostariam de recuperar o que a crise lhes tirou.

    Somos quase todos grandinhos e sabemos ser impossível claro que alguns priveligiados querem mamar mais no estado.
    Deixem de saquear os meus impostos.

  9. Esta minha minoria retirou a maioria absoluta ao seu amigo Sócrates em 2008. Convém não esquecer.
    Quanto ao resto, o outro amigo do Sócrates, o Sr. Costa, terá de arcar com as consequências de falar muito, prometer muito, criar expectativas e não cumprir a lei do estado (que jurou cumprir) cravada em letras garafais no orçamento de estado de 2018.
    Mas como temos visto nestes últimos tempos, os amigalhaços Socráticos não se dão bem com as leis Portuguesas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here